Arquivo de janeiro, 1999

O tempo passa…

Bem amigos do site do hermínio estamos aqui para mais uma sequência de palavras sem sentido. Tenho de falar essa semana sobre o envelhecimento. Abordo tal assunto pois levei um choque qdo estava eu em meu carro com a minha irmãzinha ( 12 anos) escutando um cdzinho(que aliás eu custei a achar) do RPM.

Escutando a faixa “Rádio Pirata” o vocalista fala…”Baixo e voz…Paulo Ricardo…” então minha irmã pergunta : “O Paulo Ricardo era roqueiro???” Isso imediatamente me deu um desespero pois como a minha irmã não conhecia o RPM???? Quem ela pensa que ela é??? Com isso cheguei a uma conclusão…estou ficando velho…

Depois disso lembrei de várias coisas que me fazem me sentir e me mostrar que realmente ….EU ESTOU FICANDO VELHO!!! Existem alguns sinais….tipo….qdo vc já acha os jogos de vídeo game complicados( Como é que esse moleque dá esse golpe???), qdo vc para no farol e os meninos de rua te pedem uma ajuda( Tio me dá um trocado???), qdo vc relembra a sua época e critica a atual ( Bom era na minha época que…), qdo vc fala mal dos Backstreet Boys ( Lembra dos New Kids e dos Menudos).

Tais fatores te mostram que vc não é mais aquele moleque. Vc começa a pensar na sua carreira, na obrigação de ganhar o seu dinheiro. Assim caminha a humanidade, nós cruzando as duas décadas de idade, partimos para uma nova fase que quem já viveu diz que é tão boa qto a adolescência com o pensamento no passado mas com o planejamento no futuro nunca deixando de ser no presente: grandes sonhadores com espíritos diria pq não…..infantis. Foi meio séria mas garanto que todos pensamos nisso….Prometo mais alegria na semana que vem…..Inté!

Viver é preciso, trabalhar não é preciso

É caros leitores eu estou em débito com vcs e sabe o que é pior….é que eu tenho uma desculpa…uma bela desculpa pra ser sincero… eu comecei a TRABALHAR( me desculpem por falar essa palavra feia).

Sim trabalho…no começo de trabalho sempre existe aquela história antagônica, sempre se estabelece aquele paradigma. Vc não tem mais tempo pra fazer nada mas vc não faz nada no trabalho…afinal vc está começando …vc está aprendendo tudo(se for estagiário então…). Vc sem saber nada no trabalho é pior do que bixo de faculdade, vc se pergunta em como pode ser tão cabaço…

Vc pode passar na frente da xerox 100 vezes que qdo vc precisar vc vai errar o caminho, e se acertar vc vai chegar lá e não vai ter ninguém….pra não voltar com cara de bobo vc se aventura a mexer naquela enorme e desafiadora maq de xerox, aí (vc não sabe pq é claro) mas as instruções estão escritas em Francês( vc pensa…bem que eu poderia ter feito Francês), não satisfeito vc tenta a sorte e qdo menos vc espera as folhas começam a sair sem parar, com medo de alguém ver isso vc começa a jogar as folhas embaixo da maq, que a propósito já está apitando …como última alternativa vc corre p/ fora da sala…no corredor vc encontra seu chefe e torce p/ que ele não veja nada…depois de 2 anos qdo vc já domina tudo na empresa vc ainda é conhecido como o cara que quebrou a maq de xerox de 3.000 dólares….é complicado.

Ser um novato é cômico, como um bom calouro vc não recebe cartas, não recebe telefonemas, não tem cracha com a sua foto, não conhece o Moreira(sabe …aquele empregado antigo que fazia todo mundo dar risada…) Não sabe o que é um PI, uma AP, um D2 ou um KY, vc usa o login do cara que usava a seu comp antes de vc chegar e pior de tudo…fica preocupado de perceberem que vc está escrevendo uma crônica e não está fazendo nada de importante… Mas a vida é assim …não é possível começar de cima, mas vice presidente até que pegava bem…. Agora eu tenho que trabalhar….Inté.

Aceita maminha?

Bom dia, boa tarde e boa noite caros leitores, vou descrever um ambiente p/ vcs e quero que vcs abstraiam o máximo possível.

Visualize a cena: Um grande Salão, cheio de homens barrigudos(os papais), “Hebes Camargos”(as mamães), rebeldes sem causa(os irmãozinhos) e as perdições dos papais(e as irmãzinhas). Nesse salão, com todos esses personagens ficam rodando homens vestidos geralmente de branco e preto empunhados de espetos onde estão instaladas vísceras e músculos de animais.

Gostou? Provavelmente sim pois essa é uma das maiores paixões do povo brasileiro, o RODÍZIO. Esta semana após Ter almoçado na ótima churrascaria Montana Grill (Valeu Chitão) pensei em quanto é louco e sem sentido um rodízio de carnes. Qquer povo acha isso louco, mas nós como vamos neste tipo de restaurante todo dia das Mães já estamos acostumados.

Qdo comentamos sobre isso com pessoas de outros países temos sempre reações curiosas: uns pensam que o boi vem inteiro, outros acham legal e a maioria acha muito estranho, principalmente qdo falamos de coração de galinha, aí todos vão abaixo. Agora pense…coração de galinha….é uma coisa meio primitiva, fora a parte romântica da história, ou seja, tudo o que a galinha sentiu, seus galos, suas primeiras penas…sabe…tem um sentimento envolvido, e é tão pequeno que vc tem que comer vários, e assim de coração em coração as galinha vão pro saco. Mas tudo bem, rodízio tbém é alegria, cada vez mais os garçons de sobremesa, licor e outras bebidas alcóolicas estão se tornando showmen. Sim eles dão um show a parte, com direito a causos, piadas, imitações e etc. Com isso enxergamos a situação de qto está se tornando difícil e fácil ganhar dinheiro no Brasil. A parte fácil é a seguinte, independente do que vc exerça, seja inovador, essa tem sido a fórmula do sucesso. Agora a parte difícil é que além de vc ser um garçom, tem que ser um palhaço – humorista – imitador – equilibrista – maluco – etc, para fazer sucesso e se destacar.( e ganhar o salário de garçom) Mas apesar de tudo o rodízio continua sendo uma beleza, valendo a pena em cada real pois afinal não é uma refeiçao, e sim um ritual.

Tudo começa na refeição antes de vc ir p/ a churrascaria……ela não existe, pois vc já vai guardando espaço p/ a carne. Depois vc senta na salinha de espera pois como eu disse: Preferencia Nacional( sempre está cheio)! Vc come aqueles pãezinhos de queijo, amendoins, e vai atiçando a sua fome. De repente de longe vc vê ela e tudo parece parar, seu maior objeto de desejo, ela está molhadinha, quentinha esperando sua boca a abraçar, ela é a mais desejada do recinto mas naquele momento só existe vc e ela, apesar de já Ter visto várias ela é a mais espetacular, estonteante e suculenta PICANHA que vc já viu.

Depois do primeiro encontro vc só quer saber de mais, dá o sinal verde e começa a ignorância, até não aguentar mais. Após tudo vc belisca uma torta holandesa, da uma bicada no licor e vai pra casa feliz, se sentindo uma sucuri(depois de comer três capivaras), mostrando p/ todos que vc come mesmo e ainda por cima se orgulha disso, mostrando de forma(redonda) que isso não te afeta e que seu estomago é um praticamente um alçapão.

Depois desse show de horror, vc volta pra casa assiste o futebol, chinga o juiz, briga com a mulher (afinal Domingo é dia de ficar com a família, e não assistir jogo) , assiste Faustão, espera o truque do Mister M, se recusa a assistir Sai de Baixo. Fechando com chave de ourovc da um beijinho na sua mulher (faz as pazes e fala que semana que vem vai ser diferente), deita a cabeça no travesseiro e pensa: MINHA VIDA É BOA PRA CACETE! Por hj só. Inté.

Síndrome do V.I.P, essência da felicidade moderna.

Comprar, gastar, Ter, consumir, essas são as atividades favoritas do mundo atual. O consumo deixou de Ter um caráter simplesmente capitalista e fútil, para Ter um sentido muito mais global e essencial.

Hoje em dia estamos caminhando para um ambiente mundial onde a felicidade de todos dependerá do consumo. E sim, já vemos isso acontecendo. Atualmente para ser mais respeitado você tem que Ter “consumos”. Consumos são os objetos de desejo, os carros, as jóias, etc. Não adianta Ter dinheiro, é necessário consumir.

Com “consumos” você alcança muito mais facilmente seus objetivos fisiológicos, sociais e de auto – realização. Como? Vamos exemplificar. Os “consumos” como qualquer uma das melhores coisas da vida também nos traz algum mal. Por exemplo, os “consumos” são um dos maiores motivos da prostituição no Japão. Sim, as japonesas vendem o corpo para comprar bolsas, sapatos e outras coisas. Mas ao mesmo tempo o consumo é uma das maiores terapias dos tempos modernos, pois é uma forte válvula de escape para o público em geral.

Hoje em dia , em vez das pessoas gastarem fortunas com psicólogos, elas preferem gastar nos shoppings, lojas de carro e tudo mais que traga felicidade extremamente material. Mas o que teria feito o mundo ficar tão materialista, ao ponto de depender desse consumo? O fato é que o mundo não está tão materialista quanto ele se apresenta. No fundo o que todos procuramos é respeito, amor, dignidade, ou seja, todos procuramos nos sentir especiais, todos queremos ser V.I.P. Essa síndrome do V.I.P ataca todos, desde os comunistas até os anarquistas, pois seja um ou outro, todos somos humanos.

A síndrome do V.I.P surge de uma necessidade de se “enomear” num mundo onde todos são “enumerados”. Se já pensaram que você é o produto do meio em que vive, acredito que hoje você é o produto que você compra, o meio de transporte em que você anda e o lugar da cidade em que você vive. E mesmo que nos recusemos a se render a este sistema, não escaparemos, de pegar a mesa no restaurante depois daquele cara com o Mercedes que chegou duas horas após você, não escaparemos de sermos atendidos depois do cara com o Rolex e o terno Armani, não escaparemos de sermos julgados pelo nosso bolso, afinal não somos o que somos, somos o que compramos. Então, numa conformidade geral, as pessoas seguem comprando. Comprando carros para Ter o orgulho de Ter aquela vaga especial, comprando roupas para Ter a honra de ser elogiado, comprando propriedades para Ter o respeito de quem anda com você, comprando jóias para garantir o amor de quem você ama, comprando a felicidade, pois já passou o tempo em que ela era de graça. A síndrome do V.I.P seria uma tragédia? Olhando emocionalmente sim, mas com um olhar mais friamente vemos que sempre foi assim, só que antes precisávamos do só do fogo, hoje precisamos do microondas de última geração

Falar sem comunicar

Vc com certeza já passou por aquele tipo de comunicação em que ninguém diz nada mas todo mundo diz alguma coisa. Me desculpem, ta muito confuso, vou me explicar direito.

Qdo vc está em um ambiente novo em que todos se conhecem mas na verdade ninguém se conhece, e vc é apenas aquele cara novo que senta do lado Cleide, não é possível estabelecer nenhum papo profundo com as pessoas em geral. Então, vc segue os padrões. Vc pode perguntar: “Que padrões?” , ora que padrões, todos conhecem os padrões, o problema é que não nos ligamos que conhecemos. Por exemplo, sabe qdo vc esta indo pro banheiro e cruza com aquela mulher que trabalha logo ali no canto esquerdo? Apesar de nunca tendo trocado uma palavra com ela se sente obrigado a fazer algo, por isso, vc olha pra ela e ela olha pra vc, sua cabeça já pensa : ” Pô, se eu não falar nada já vão falar que o cara novo é antipático, eu vou ser malvisto, depois de um tempo eu vou ser despedido, pois ninguém vai gostar de mim mesmo, aí meus pais vão ficar putos, ai eu saio de casa, começo a me drogar então já era o meu futuro”.

Pensando em tudo isso vc olha para aquela velha filha da p…(pois afinal ela queria acabar com a sua carreira), e pra não acabar nas drogas vc a comprimenta. Agora o jeito como vc comprimenta a velha é que é interessante, sem saber ao menos o nome dela, vc e ela movimentam as respectivas bocas de um modo que nenhum dos dois pronuncia nada nem murmura nada. Ou seja, vcs se comprimentam por exercício bucal. Isso qdo vc mexe a boca, tem vezes em que vc faz aquele gesto levantando a mão com o dedo indicador e o maior de todos juntos(o que não significa nada, pra variar) e com a boca faz apenas um barulho que é a mistura de uma panela de pressão com um espirro.

Existem saudações que se vc prestar atenção não são tão mão quão melão limão….quer dizer, não são tão normais como pensamos. Por exemplo vc está na sala de aula, e seu amigo chega atrasado. Ele senta na cadeira do seu lado e diz: “E aí?”, a minha vontade seria de dizer: ” Aqui tá igual aí caramba, vc ta do meu lado, pq ta perguntando – e ai?-” se ainda fosse – E ali?- tudo bem…pelo menos tá mais longe. Sei lá viu…quero dizer, sei aqui, não sei lá, e vc não viu nada pois vc não está do meu lado, vc só leu. Essa língua portuguesa viu…(olha o viu aí de novo), só nos complica. Voltando ao assunto, podemos citar outras coisas sobre o relacionamento em um ambiente novo. Por exemplo, seu chefe, aquele cara batuta que é simpático com todo mundo(pela manhã de vez em quando), chega e com o peito erguido fala aquele ” BOM DIA!”, sabe, aquele com pomposidade, voz grossa, feliz. Vc, diante disso não pode decepcionar, com aquela voz de base da cadeia alimentar trabalhista vc diz “BOM DIA”, ainda que ele não olhe direito para sua cara e parece não Ter ouvido vc acredita que ele é seu amigão. Enfim, assim seguimos em direção àquele “BOM DIA!”, só que do outro lado, falando sempre, mas com muita pouca comunicação.