Passeio no Shopping

Domingão. Véspera de feriado (sim! É isso mesmo). Brasil e Argentina na TV, cervejinha gelada no refrigerador e, para completar, minha sogra viajando para o Pantanal. E eu aqui no shopping fazendo compras com a Dani. A Dani disse que o Carlinhos já está muito grande para ir no banheiro feminino com ela, e muito pequeno para ir ao masculino sozinho. Por isso eu vim, para levar o Carlinhos ao banheiro! Tudo bemS talvez daqui a uns 10 anos esse momento se repita, e com sorte a minha sogra já vai ter morrido e o Carlinhos será grande o suficiente para fazer xixi sozinho. Quem mandou ter filho cedo? Pior, quem mandou engravidar a mina mais Paty da faculdade!

Faz um século que a Dani entrou na última loja, mas nem se compara com o tempo que eu estou segurando esse menino no colo procurando um banheiro. Aposto que a Dani está comprando algum acessório preto para mim. Ele diz que preto emagrece e nunca sai de moda. Deve ser uma gravata preta, para combinar com a calça preta que ela me deu no Natal e com a camisa preta que ela me deu no meu aniversário. Mas se a Dani quer tanto que eu pareça mais magro, por que ela pediu para eu sair da academia? Primeiro ela me obrigou a ir junto, porque ela detesta fazer ginástica sozinha. Depois insistiu para eu sair. Acho que foi por causa daquela loira gostosa que vivia pedindo para eu ajudá-la com os pesos. E ainda tem marmanjo que acredita que mulher bonita gosta mesmo de músculos. Elas não resistem à uma barriguinha sexy de chope.

Isso me faz lembrar que eu também preciso mijar. Já posso quase sentir a calça úmida. Na verdade, totalmente molhada. O Carlinhos não foi homem o suficiente para esperar chegar ao banheiro. Esse menino não se parece com o pai. Se eu não tivesse certeza de que a Dani nunca me traiu, eu diria que o Carlinhos é filho do Cabeça, o cara mais babaca do time. Não tem uma partida que o cara não pede para ir ao banheiro. Aliás, cadê a porra do banheiro?

Eu já passei trocentas vezes por esse corredor e ainda não encontrei. Aposto que já virei motivo de piada para os seguranças: ” QAP Oswaldo. QAP Oswaldo. Elemento na área pela terceira vez. O idiota passou de novo na frente do banheiro” Quer saber? Perdi a vontade de ir ao banheiro, só de raiva. Ainda bem que a minha calça é preta, pelo menos disfarça a mancha, agora, o cheiro está insuportável.

Cheguei na loja onde a Dani estava e para variar levei uma bronca. A Dani adora me dar bronca na frente dos outros. Ela acha que isso sedimenta o papel da mulher moderna e põe abaixo conceitos ultrapassados de submissão feminina. Eu acho que ela devia parar de ler essas revistas da moda. Principalmente porque assim, sobraria mais dinheiro para eu tomar cerveja com a galera.

– Você é mesmo um incompetente, Carlos Henrique! Eu te trouxe no shopping só para levar o Carlinhos ao banheiro e você ainda deixa o menino fazer xixi na roupinha nova!
– A culpa é sua Dani! Quem mandou ficar na loja escolhendo presente para mim ao invés de tomar conta do menino? Tá certo que é papel da mulher cuidar bem do marido, mas também não vamos exagerar, né?
– Que presente Carlos Henrique?
– Ué, a gravata preta!
– Que gravata preta, Carlos Henrique?
– Ô Dani, eu pensei que você tivesse empacado nessa loja porque estava comprando algum presente para mim.
– Ai, ai..! Quando o meu pai disse que você era muito devagar, e que eu devia ter escolhido ir morar na França ao invés de ir morar com você, eu achei que ele estava exagerando. Eu demorei porque estava escolhendo um shortinho preto para combinar com o top de suplex que eu comprei para usar na academia.

Antes de sair da loja, decepcionado, carregando uma dezena de sacolas e um garoto mijado, só tive tempo de perguntar:

– Dani, você anda pedindo ajuda para alguém na academia com os pesos?

Compartilhe!

14 Comentários on "Passeio no Shopping"

  • Kris diz

    Fantástico. Barbára é o nosso Chico Buarque feminino hehehe…parabéns…

  • Ricardo Alter diz

    É por isso que eu sempre detestei ir ao banheiro de shopping!!!! Muito legal.

  • Danillo diz

    Eu achei muito boa esta cronica, apesar de me deixar meio triste pois eu posso vir a ser um Carlos Henrique algum dia.

    Fora isso, parabens Barbara, vc tem futuro menina.

  • Anninha diz

    Mto legal mesmo, Bárbara! Eu cheguei a me pegar voltando ao início da página para ver se eu tinha lido o nome do autor errado tamanha a veracidade que passa. Além de mto bom, está mto gostoso de ler. Parabéns e continua escrevendo!

  • Ricardo diz

    Dá cada vez mais orgulho entrar nessa página. O problema de ler um texto como o seu, é a responsa de continuar escrevendo. hehehehe Brincadeiras a parte, acho que um dos melhores textos masculinos feito no site, foi feito por uma mulher, e o melhor de tudo, sem culpa ou medo de ser chamada de machista !

    parabéns, obrigado pela colaboração e continue conosco !!

    Beijos!!

  • vandreza diz

    Sabe de uma coisa, Barbara? Eu também pensei que tinha lido errado o nome do cronista… Parabéns, garota!

  • Rafael Blecher diz

    Muito bom o texto. A cronista Bárbara tem a capacidade de identificar pequenos detalhes do cotidiano, que passam despercebidos por nós, reles mortais. Muito instigante e muito legal.

  • bem legal esse texto… eh bem real… e engraçado… essa mina tem vários textos legais, conheço ela… tenho um monte deles no meu computador… vcs deviam publicar mais coisa dela aih (ps: acho o site de vcs eh muito louco…)

  • Marcela Marinho diz

    Um texto muito bom, onde a autora conseguiu de maneira simples e divertida expressar o pensamento de um típico homem moderno, com suas pretensões e crises.

    Parabenizo a autora e espero encontrar mais textos seus publicados com o mesmo carisma que foi transmitido nessa crônica!

  • Rafael diz

    Puxa, mulher escrevendo sobre homem, ou melhor como homem! Ficou muito legal e real, heheheeh. Parabéns Bárbara!

  • Barbara diz

    EEEEE!!!! Que legal!!!! tem gente lendo!!! Valeu galera, estou super feliz.

  • Peraí, esse negócio de uma mulher “escrever como homem” é elogio? Eu, por exemplo, adoraria escrever um texto desses da Bárbara… parabéns, menina! Bem-vinda!

  • Tiago Barreto diz

    Bem legal, solto, gostosa a linguagem do seu texto Bárbara. Você mostra que presta atenção nos detalhes, e são eles que tornam um texto bom. Ótimo, no seu caso.

  • paulo roberto vasconcellos diz

    bárbaro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *