O Apartamento de Todos Nós

Consegui realizar um dos meus mais belos sonhos por apenas R$ 1, graças à extraordinária capacidade de investimento do juiz Nicolau dos
Santos Neto, o Lalau. Acredito que os demais brasileiros estão alegres como eu.

Hoje, podemos dizer com orgulho, que temos um imóvel de veraneio. Um apartamento de cobertura de 600 metros quadrados no exterior, situado na Avenida Brickell, no centro de Miami (EUA). Realmente um imóvel que é um assombro: três quartos enormes, quatro banheiros, sala de estar, sala de jantar, lobby e um terraço com vista para uma das regiões mais bonitas de Miami: Bay Shore. Ainda não tenho informações precisas, mas me parece que está incluso na garagem: Picape Cherokee, uma BMW, um Porsche, uma Mercedes, um Lamborghini e uma Ferrari. Nós brasileiros, podemos nos orgulhar disso, são pouquíssimas pessoas do Planeta Terra que conseguem essa proeza.

Isso só foi possível graças à extraordinária visão econômico-financeira do nosso Lalau, que, diga-se de passagem, é de dar inveja aos yuppies de Wall Street, em Nova York.

Como eu quero usufruir o mais rápido possível desse investimento, vou providenciar, com urgência, a escritura e o registro da minha fração ideal do imóvel, isto é, 1/169.590.693 e começar a programar as minhas férias, enquanto minha auto-estima estiver elevadíssima.

Outro fato que julgo de maior importância, foi a solução para os sem-tetos. Vejamos. Os, agora, ex-sem-tetos não podem exigir um teto aqui no Brasil; eles já possuem um apartamento de veraneio. E para que o governo atendesse suas justas reivindicações, eles não poderiam ter nenhum imóvel em seu nome, principalmente um imóvel de veraneio. Acredito que eles não abririam mão de um imóvel em Miami para adquirir um aqui no Brasil. Dessa forma, o Governo resolveu o problema de moradia de nossa população, graças ao engenho do Lalau.

Como é fácil resolver os problemas Nacionais! Basta apenas uma pequena dose de criatividade.

Como somos 169.590.693 proprietários de único e belíssimo imóvel, precisamos por ordem para que todos possam usufruir desse investimento sem nenhum conflito.

Em primeiro lugar, precisamos eleger um síndico para administrá-lo. De principio, eu não aceito ser síndico, eu só quero, apenas, usufruí-lo. Sugiro que seja elaborada uma lista tríplice para que daí saia o síndico comprometido com uma administração científica e sem nenhum interesse pessoal. Cabe lembrar que o Lalau fica dispensado dessa lista porque ele já deu a sua valorosa contribuição. Indico para essa lista, os proeminentes e ilustres cidadãos Srs. Paulo Maluf, Jader Barbalho e Luiz Estevão. Acredito que exista muitos nomes à altura para ocupar este cargo, e como estou muito eufórico, neste momento não consigo lembrar dos demais. Entretanto, se for da vontade de todos, a lista poderá ser múltipla e cada um dos proprietários poderá indicar um nome para compo-la. A única preocupação é: se a lista chegar ao número de 169.590.692 de pessoas qualificadas para a função de síndico. Se por acaso chegar a essa quantidade de indicações, haverá apenas uma solução para resolver esse problema, o Tribunal de Haia.

Em segundo lugar, devemos propor um mecanismo para que todos possam usufruir do imóvel e que não venha causar nenhum problema. Partindo da premissa oficial que para a habitação de um família não precisa mais do que 30 metros quadrados de área útil construída, para que se tenha um razoável conforto, e como o apartamento possui 600 metros quadrados de área útil, podemos afirmar categoricamente que podem utilizar o apartamento 20 famílias de cada vez e se considerarmos o número de proprietários e agrupá-los por família, entendo que todos poderão usufruir desse belíssimo imóvel.

Considerando que a média de vida do brasileiro está aumentando a cada dia que passa, não há dúvidas que todos nós conseguiremos, pelo menos uma única vez, sentir o quanto é maravilhoso esse nosso mundo. Ah, ia me esquecendo, não esqueçam a filmadora…vale a pena!

Compartilhe!

2 Comentários on "O Apartamento de Todos Nós"

  • Rafael diz

    Pois é …. nunca há indignação o suficiente. É preciso lembrar e lembrar que somos enganados a cada instante. Sem perder o humor e a ironia que nos são peculiares. Parabéns, Benigno!

  • Felipe diz

    Parabéns pelo texto. Com um verdadeiro show de criatividade você conseguiu criticar sendo engraçado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *