Como Uma Onda

“Nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia”. A inocência era tanta que ouvíamos aquela música sem perceber-lhe o sentido de profecia . “Como uma onda no mar…”
Aquele tinha sido um verão como muitos outros, com a diferença de que estávamos todos os primos um ano mais crescidos que no ano anterior. E isso realmente faz diferença quando falamos dos 13 anos. Aos olhos de nossos pais e tios ainda éramos crianças (sempre seremos), mas as brincadeiras dentro do rio já não eram mais as mesmas. Os meninos não mais esfregavam areia nos nossos cabelos nem passavam de bicicleta em cima dos nossos castelinhos. O que eles faziam agora era passar a mão nas nossas costas para ver o biquinho dos seios arrepiar e estar bem perto quando a água do mar levasse nosso biquíni.
Neste ano, me apaixonei pelo meu primo. No final da tarde, enquanto as mães preparavam a janta e os pais tiravam uma soneca, íamos todos para a praia, catar conchinhas. Às vezes entrávamos no mar, sentindo o ventinho de começo de noite. Víamos o pôr do sol. Íamos até o trapiche.
Numa dessas tardes, Júnior me puxou pela mão e eu o segui. Andamos pela praia, calados, pelo tempo necessário, envolvidos por algo mágico que não se deve explicar. Mãos suadas, taquicardia, pernas que não obedecem. Ele me beijou assim, meio de lado, de repente, no canto da boca. Congelei. Ele passou a mão nos meus cabelos, me abraçou e me beijou, de verdade, de língua, e eu dura, sem acreditar, sem saber. Foi meu primeiro beijo. Ninguém estava vendo, mas eu olhei em volta, assustada. Ele garantiu que estávamos a salvo. E lá ficamos por todo o tempo do mundo, descobrindo tudo o que anos mais tarde se tornaria banal, uma pena. Beijamos, beijamos, felizes pela novidade e trocando pequenas juras de amorzinho e promessas de segredo eterno. Anos depois contaríamos para todos os tios, rindo, tomando uma cerveja, naquela mesma casa de praia, este nosso pequeno segredo. Uma pena. Algumas coisas não deveriam envelhecer nunca.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *