Hipocrisia

Dentre todos os defeitos gerados pela sociedade, pessoalmente, a hipocrisia é um dos mais irritantes. Eu me lembro bem que 1ª vez que ouvi falar na dita cuja foi em uma música do Claudinho e Buchecha (provando que até o funk já foi cultura), eu devia ter uns 12 anos. Como toda boa pirralha curiosa, fiz o que toda criança faz quando pinta uma dúvida: perguntei pra mamãe. Ela logo me respondeu que era um jeito elegante de chamar a mentira.
Depois eu aprendi na prática o que era uma pessoa hipócrita, aliás o que eram várias pessoas hipócritas…
Enfim, o que levo aqui em questão é nosso bom e velho POR QUE? Por que existem seres que se dizem humanos, tão hipócritas?
Já ouvi de alguns que para se viver na sociedade todos temos que carregar um pouco de hipocrisia na bagagem. Será?
É aquele tipo de coisa que ninguém aprecia… eu finjo que gosto de você e você finge que me atura. Bastar virar as costas para rasgar o verbo e destilar o veneno…
– Oi amiga! (Aposto que ela vai ficar se gabando… essa ridícula!)
– Amiga! Tudo bom? Que saudades! (Ai que saco…)
– Tudo maravilhoso! E você?? (Maravilhoso nada, tá tudo uma bosta, mas NUNCA vou dizer isso à você.)
– Ah! Melhor impossível! Sabe o Robertinho? Aquele gatinho lindo do 12? Pois é! Está dando em cima de mim! Não tira o olho. (Ela não saber que quem mora no 12 é a dona Alzira… o Robertinho mudou semana passada… não ela não sabe… que trouxa)
– Sério? Que bom! Boa sorte! (Começou, agora ela vai falar que até o filho do vizinho do porteiro é afim dela! E o Robertinho é horroroso!)
– Poxa! Obrigada amiga! (Rá que trouxa… sabia que ela ia acreditar)
– De nada! Eu torço muito por você viu? (Eu quero que você morra sua lambisgóia azeda)
– Bom, o papo tá muito bom mas eu estou com um pouco de pressa sabe? ( Eu tenho que contar essa pras meninas!)
– Eu também! Hoje estou super atarefada! ( A galera deve estar me esperando no barzinho já, essa ultima eu tenho que contar.)

Meia hora depois as duas encontram as amigas… se essa historia de orelha esquentar com gente falando mal… ui. Outra situação que, ao meu ver, é no mínimo ridícula, são aqueles indivíduos que vêem uma pessoa do seu circulo social mudando ou indo pra intercâmbio…
– Oi João! Quanto tempo! Por onde andas ( Ué? Esse cara não tinha ido embora?)
– Ah Ricardo, você não sabe da nova? Vou fazer intercâmbio! (Finalmente vou me livrar de você pentelho!)
– Sério? Que legal cara! (Porque esse babaca faz intercâmbio e eu não? Que inveja!)
– Pois é… tô indo sexta! (Finalmente)
– E então? Vai fazer um bota fora? Temos que fazer né! (Oba! Boca livre!)
– Pô nem vou… (Já fiz já… e nem te convidei porque você é um porre e sempre fica de porre e vomita no sofá da minha casa, seu ridículo. Você acha que eu esqueci? Cara de pau me perguntar isso!)
– Que pena! Vou sentir muitas saudades! Volta logo! (Tomara que você fique por lá seu bosta!)
– Eu também! Aparece no aeroporto! (Com presentes, de preferencia)
– Ah! Pode deixar! (Espera sentado! Vê se eu vou acordar cedo pra ir pra lá e gastar minha grana com você!)

*3 meses depois*

– Oi Aline! Tudo bom?
– Ricardo! Que saudades! Tem noticias do João?
– Quem? João? Que João?

Isso me irrita. São por essas pequenas coisas que eu sinto saudades da minha infância… No meu mundo não existiam hipócritas, mentirosos e falsidades. A gente falava o que dava na telha e aceitava o que os outros falavam. É… realmente não é preciso refletir demais pra sabe porque as crianças são tão felizes.

Compartilhe!

1 Comentário on "Hipocrisia"

  • Zen diz

    Oi Luciana,

    A gafolheira estah fora do ar???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *