Glub Glub

Aaaaaahhhhhhhhh quanta água! Não agüento mais nadar… felizmente encontro uma porção de areia na minha frente.

Acho que finalmente essas braçadas sem destino ao mar aberto chegaram ao fim, cheguei a algum lugar, porém não sei que lugar exatamente é esse.

Confesso que desconheço esse nível. Aparentemente ainda não tem ninguém aqui, a não ser aquelas duas sombras, que me lembram muito bem dois amigos. Ricardo, Kris são vocês????

Ainda não tenho respostas.

Mas para que respostas, acho que elas não vem, eu é quem posso ir atrás delas, não me pergunte como, mas estou vendo dois pequenos veículos motorizados, de uma simplicidade visual, mas eu garanto, que é só visual. Não acho ideal entrar neles agora, podem ser rápidos e, além do mais, está faltando uma pessoas com sua sombra e, os donos das outras sombras.

Ah ainda bem, minha sombra está aqui.

Esse matagal me é aparente, mesmo crescendo na areia, acho que tem coisa lá dentro. Não me pergunte que coisa é essa e se são mais de uma, só sei que tem. Só não teria caso isso fosse fundamentado num pensamento, vago e aparentemente inexistente, porém acredito que se é um pensamento e, como esse pensamento está vindo de algum lugar, ele existe, talvez não concretamente, mas na sua forma mais abstrata. Estou cheio da palavra pensamento nesse texto, quem sabe futura crônica, vou começar a chamar pensamento de pum.

Esse pum pode ser muito forte. Será que todos tem pum?

Como se mede pum, as meninas também tem pum?

Tenho um amigo que admira pum.

Não consigo pensar – digo “”punzar”” – direito no meio de tantos puns.

Ricardo, Kris, vocês estão mesmo nesse “”pum””?

Como agüentam? Eu não aguento, vê se vocês organizem esses puns.

Independente disso, só quero dizer, esses puns voltaram, para serem mais sentidos do que nunca, mais concretos do que paredes no fim da terra, mais pertos da perfeição do que uma criança assim parida, no bom sentido, lembrando que nunca há al sentido para o nascer, tanto o de uma criança, como de um ingênuo pensamento.

Já estou de pé.

Logo terão mais notícias.

Abraços, Herminio.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *