Casa Grande Também Cai

Em meados da década de oitenta, fui ao cinema, no Shopping Eldorado, com um amigo meu do prédio e sua avó, que aliás é muito minha amiga.

Fomos assistir “”Um Dia a Casa Cai””, lembram? Com Tom Hanks. Um filme legal, comédia legal para uma tarde. Porém, ficou durante anos na minha cabeça e penso “”Imaginam uma casa cair, deve ser trágico””…

Os anos passaram, as experiências vieram e descobri que não é tão simples fazer uma casa cair, certo? Mais ou menos. Do jeito que as coisas vão, é muito fácil!

O que estamos vivendo, contaremos aos nossos netos, e se Deus quiser, aos nossos filhos, já que espero que todo esse processo seja breve, que meus filhos não nasçam no meio da confusão e da destruição, mesmo que distante, existente.

O que estou tentando dizer é que a casa não caiu, ainda. A casa é muito grande, e está caindo aos poucos. Não sei se só falta a porta, ou ainda está na primeira telha.

O que estamos vendo, há mais de um mês, em todas as manchetes de jornais, se chama guerra. Isso é coisa séria. Eu, particularmente, não imaginava o que seria uma guerra de âmbito mundial. Talvez não seja denominada ainda como a 3º Guerra Mundial, mas sabemos que não são só dois países ou povos em guerra.

São poderes políticos e econômicos em jogo. A união de morte e prováveis crises econômicas, junto ao desemprego pode tornar o atual cenário em uma catástrofe, onde o mundo para par ver mortes e destruição, enquanto deixam a perder tudo o que tem.

Em meio a bombardeios, intensos, o que será que ocorre do outro lado? Vocês acham que um povo, seita, ou seja la o que, tem algo a perder? Se eles jogaram aviões contra a democracia, eles não tem medo de nada, certo? Certíssimo. Me digam, o que eles tem a perder? Uma população que vive em meio de minas de guerra, dividida pela repressão e pela fome não tem nada a perder. Tudo bem que a grande maioria não tem nada a ver com isso, mas se um grupo domina um país que não tem condições humanas de vida, pra que a humanidade?

Através de poeiras, fica claro. É simples, eles estão mostrando que não tem nada a perder, aliás querem ver os outros perderem. Ninguém sabe se eles estão no Afeganistão só para esse sofrido país servir de campo de batalha ou se eles querem mesmo que o mundo exploda.

Não tenho nada contra o povo islâmico, muçulmano e o que for, nada contra religiões, nada contra raças, nada contra etnias, mas tudo a favor da vida, da paz, do amor, da saúde e da alegria.

Ao mesmo tempo que não consigo me desgrudar dos noticiários, fico triste e exausto de ver tragédias.

Acho que está claro, o que o Taleban mais quer é a retaliação. O que pode aparentar estúpido torna-se real. O contra-ataque já era esperado, disso a gravação adiantada de um vídeo pelo Mr. Osama.

Bom, já não sei mais quem tem razão e quem é vilão. O que pode ter sido uma tentativa desesperada de mostrar ao mundo o sofrimento de um povo pode ter virado motivo de ira e guerra. É complicado falar, não sei o que se passa do outro lado do mundo e a visão que eles tem de vida.

A casa não deve cair tão rápido, só espero, sinceramente, que todos saiam a tempo da casa e, que no terreno onde estava a casa, seja construído um lindo jardim, para todos os povos, todas as raças e todas as crenças, sem mais diferenças e opressões. Tem muito gente inocente nisso tudo e seria, pelo menos um pouco, interessante ouvir quem são eles e o que querem, afinal de contas, tudo deve ter um motivo de ser, alguma coisa acontece lá e tudo pode ser um pedido desesperado de socorro e de atenção.

Fiquem atentos, não temos culpas mas corremos riscos de conseqüências. Dependemos de nós mesmo, podem ter certeza, para a paz existir. Já não sei mais o que falar, só sei o que quero e se chama paz.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *