FIA x CBF

Mais uma vez com ar de protesto me apresento por aqui. Depois da última crônica, sobre a Fórmula-1, as coisas melhoraram nas pistas, principalmente nos GP’s de Mônaco, Europa e Canadá, onde muitas mudanças de posições ocorreram, mas pouquíssimas ultrapassagens nas primeiras colocações. Como talvez fosse muito precipitado, da minha parte, escrever uma crônica no sábado anterior à corrida dos EUA, resolvi esperar, principalmente, ao saber que a corrida não seria transmitida na íntegra, já que a nossa fantástica seleção brasileira de futebol participaria de um dos mais importantes – senão o mais – campeonato de futebol existente: a Copa das Confederações.

Até sábado, esse seria o motivo da minha reclamação. Deixar de transmitir a corrida para tantos brasileiros, para transmitir um jogo que, sinceramente, não vale nada, mas a fantástica CBF acha tão importante (junto com a Globo) que leva todos os jogadores importantes do futebol brasileiro para essa competição. Está tratando como se fosse Copa do Mundo. Será que o Atlético/PR teria vencido um Santos com Robinho e Léo? Não sei, mas vou ficar extremamente indignado se o São Paulo tiver problemas do seu lado direito no jogo contra o River, em função da convocação do Cicinho.

Esse poder todo da Globo com seus direitos de transmissão de tudo, leva alguns telespectadores, como eu, à ira total. Onde já se viu deixar de transmitir uma corrida para passar um jogo de um torneio que não vale nada?? E o pior, em vez de transmitir então a corrida pelo seu canal pago – Sportv – aproveita o canal para também transmitir esse fantástico jogo contra o México – de acordo com a programação de TV que consultei em alguns jornais, já que não tenho Sportv, mas com certeza iria à casa de alguém, algum bar, sei lá, para ver a corrida, caso esse canal a transmitisse. Sou brasileiro, patriota ao extremo, mas não tolero esse tipo de injustiça. Quem gosta de Formula-1 acaba não tendo escolha. E outro problema: quem gosta de futebol sério, competição séria, vê seus times “mancos” com essa convocação da CBF. Times BRASILEIROS, diga-se de passagem.

ATENÇÃO: estou escrevendo essa crônica no momento desse “jogasso” entre Brasil e México e nossos amigos latinos acabam de fazer um Gol. Que estranho né, super entrosada nossa seleção. Será que o Cicinho volta para o segundo jogo da semifinal da Libertadores???

Agora chega de falar de Futebol. Vamos falar de Fórmula-1. É incrível o que se passa. Desde a morte do Senna, só se fala em segurança, estreitar pneus, etc. Nos últimos cinco anos o fator segurança se juntou ao fator “chega de ganhar, Ferrari”. De uma forma brilhante, a FIA resolve só disponibilizar um jogo de pneus para as corridas, para o Schumacher não ganhar de forma alguma Claro que pneu gasta e temos visto acidentes violentos demais em função desses desgastes. Seta tudo errado! Já falei antes, modificações lúcidas para a Formula-1, POR FAVOR!!!

Depois dos gênios da FIA muito conversarem, resolveram fazer modificações fantásticas para a temporada de 2008. UAU! Faltam só três temporadas e meia!!! E até lá? Mais acidentes? Mais corridas sem ultrapassagens entre primeiros e segundos colocados? Mais equipes quebrando? Provavelmente, mas em 2008 teremos uma categoria temática: anos 80! Câmbio manual (acho ótimo), embreagem e pneus largos e slick (melhor ainda). Agora só falta achar pilotos arrojados, já que o grande item hoje em dia, é técnica. Outro fator importante é de não desprezar e ignorar todo o desenvolvimento que a categoria teve nos últimos 20 anos, para ser competitivo. Tenho medo.O pessoal da FIA está tão perdido que são capazes de distorcer mais as coisas.

Ao meu ver, deixar a “competição competitiva” é MUITO importante, mas mais importante é não deixar de usar o que foi aprendido. A Formula-1 é grande demais para ficar sem rumo. Acho que ela está complicada demais. Simplificar pode ser uma luz.

Essa semana estava vendo uma corrida de Indy. Há tempos não via uma seguidamente, mas foi muito bacana. Circuito oval, cinco pilotos na briga pela vitória na última volta e o mais impressionante: os carros são, aparentemente, idênticos ao de 15 anos atrás, quando eu acompanhava com mais freqüência. Quero dizer quer a fórmula pode ter mudado, novos desenvolvimentos e tecnologia, mas a essência continua a mesma, com muitos carros, muito equilíbrio e um autódromo lotado. Hoje, ao ver o pouco que se passou do GP dos EUA, vimos um autódromo com muitas arquibancadas vazias, um público decepcionado com “only 6 cars in the track”e uma grande palhaçada: por segurança, os carros de equipes que lutaram com dentes e unhas para bater Michael Schumacher não correram. Advinha quem ganhou??

Mas é isso, o campeonato está disputado nos números e quase bizarro nas pistas. Quando a coisa parece que vai melhorar, algo inédito acontece e o Schumacher vence. Que coisa, né?

Compartilhe!

1 Comentário on "FIA x CBF"

  • malena diz

    Não entendo nada de fórmula 1, mas vc poderia me explicar, pls, p q o Schumacher ganhava tanto? Ele é realmente o melhor? Ou o carro é o melhor? Pq a impressão que tenho é q na F1 o que faz meeeeesmo a diferença é o carro…O Schumacher venceria correndo pela Jordan? Pq ele não está mais vencendo esse ano? O q é a Renault na liderança?

    Isso é esporte?

    Pls! Responda…quero ver as corridas com um pouco mais de noção do q acontece

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *