“Depende de nós…”

Hoje cheguei a uma conclusão triste e resolvi escrever sobre isso para eu ver se mudo de idéia. Existe altruísmo verdadeiramente altruísta…

ALTRUÍSMO

do Fr. altruisme
s. m.,
disposição para se interessar e dedicar ao próximo;
amor ao próximo;
abnegação;
filantropia.

Será que em qualquer que seja nossa “boa ação” não há um pouco de egoísmo…penso que se damos um trocado para o garotinho do farol estamos nos aliviando de não fazer nada…se lutamos contra a poluição é para que não morramos asfixiados…se levamos o saquinho de lixo para a praia é por que queremos a praia limpa para nós mesmos…
Este pseudo altruísmo quebra com todos os conceitos do verdadeiro altruísmo, é totalmente o contrário…

OMSIURTLA

Do Fr. omsiurtlat
s, m
disposição para se interessar e dedicar a si mesmo;
amor próprio;
egoísmo;
pilantropia.

Sim na verdade é isso que praticamos, o omsiurtla está presente na vida de todos nós e pior que isso, está na moda. É impossível fugir pois o que você vai sentir quando chegar no escritório e seu colega da sala ao lado perguntar: “Já ligou pro Tele Ton?”, obviamente você não vai se sentir bem…mesmo não gostando de ninguém que está na T.V no horário que você está assistindo é sua obrigação ligar, você deve isso….a quem?? Oras a você mesmo… afinal seu eu mesmo merece um pouco de alívio. Você pega no telefone e rapidamente passa pela sua cabeça que o criança esperança acabou de passar e você já colaborou, neste momento você pensa em colocar o telefone no gancho mas aquela melodia começa a entrar pelos seus ouvidos, maldita T.V estéreo, sim é ela: ” Depende de nós…lalalalalalalalala” então é fatal , um homem tem que fazer o que um homem tem que fazer, isso aí rapaz disque esses números que você vai se sentir muito melhor, assim que você escuta o agradecimento da gravação uma paz invade seu coração, neste momento você é o melhor ser humano do mundo e ninguém pode tirar isso de você.

Mas mesmo chegando a essa conclusão ninguém pode negar que alguém sai lucrando desse omsiurtla pois seja lá por qual razão nós continuamos ajudando, pensando em nós, nos outros ou nos dois e isso já é um bom começo.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *