ALTIUS, Fortius, C i t i u s

Quem é o mais forte, o mais rápido e o que vai mais alto? Bem, isso só saberemos daqui a algumas semanas quando os Jogos Olímpicos terminarem, mas por enquanto temos outras questões que já estão bem esclarecidas.

Temos definidos vários “mais” antes mesmo das competições terem início.

O “mais” tarde (possível). O horário dos jogos é estranhíssimo. Você chega da noitada depois de algumas e liga a TV , lá está um cara arremessando dardo com sol a pico e o logo da Globo no canto inferior esquerdo dizendo “ao vivo”. Desde as Olimpíadas de Seoul não lembrávamos que existe esse negócio de fuso horário. Fora as três corridas de F1 (Austrália, Japão e Malásia) não costumamos ficar acordado até as 2:00 AM para ver um evento esportivo e muito menos ensolarado. A Austrália tem 14 horas a mais e se você é um amante de esporte algumas horas de sono a menos.

O “mais” chato, nosso amado e odiado narrador Galvão Bueno. Quem assiste o vê esbanjando suas pérolas e interrompendo todos repórteres com comentários no mínimo dispensáveis. Quem não assiste mas liga a TV só pra dormir melhor é surpreendido em seus sonhos por vozes chamando Barrichello de Schumacher e estranhas vozes gritando: RRRRRRRRRRRRRRONALDINHO.

A “mais” vitoriosa é a delegação dos EUA pois quem tem alguma dúvida que ela é quem vai ganhar o maior número de medalhas.

O “mais” ridículo é o fato do país tetracampeão mundial de futebol nunca ter ganhado a medalha de ouro de futebol.

O “mais” legal é assistir aqueles esportes estranhos que parecem só existirem na época de Olimpíadas, como esgrima, saltos ornamentais, arco e flecha e nado sincronizado. No esgrima o desafio é conseguir enxergar onde está a espada, nos saltos ornamentais o legal é ver que aquele mergulho de costas que você deu na piscina do clube é uma porcaria, o arco e flecha foi feito para nos indagarmos: “Como ele acerta de tão longe?” e finalmente o nado sincronizado nos faz perguntar: ” Por que elas não usam biquínis?”.

A “mais” rica com certeza é a Austrália que está faturando nada mais nada menos que 7 bilhões de dólares com os jogos olímpicos, entre publicidade, concessões e mascotes o povo da terra do canguru está se tornando bem mais abastado. Vendo isso descobri também quem é o “mais” idiota; Eu, que um dia me perguntei por que todos lutavam tanto pra sediar as Olimpíadas.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *