Aqui jaz Cristiano Alves de Arruda

Muitos tem preconceito com o assunto morte. Eu não. Não que eu não a tema, porém ela é nossa única certeza absoluta e coletiva na vida. Portanto penso sempre que devo estar preparado para tal evento.

Primeiramente devo ter um bom terno. Afinal eu não quero chegar no além como um desleixado. Posso ver a cena, todo o clã celestial, São Pedro na sua típica túnica branca, São Francisco com suas sandálias que nunca saem da moda, Jesus com aquele sagrado coração que aparece mais do que qualquer jóia, Deus, bem, Deus ninguém sabe, mas sua roupa deve ter detalhes em cristal Swarovski pois todos os relatos que ouço descrevem um brilho, uma luz. E eu não posso destoar, imagina se eu chego com aquela minha bermuda branca que ta só o bagaço e a camiseta do “Cronistas Reunidos”? O pessoal vai achar que sou um vagabundo.

Mas só entre nós, eu vou com a camiseta do cronistas por baixo da camisa social, afinal me falaram que o pessoal lá do céu lê muito e a conexão deles é ótima.

Outra coisa com que me preocupo é com a bandeira. Sim, bandeira. Afinal em todo velório respeitável o defunto tem algo por que luta, ou defende. Por exemplo, se fosse o Ronaldo, “Fenômeno” seria uma bandeira da Nike. Se fosse a Carla Perez seria uma bandeira com a própria bunda. Se fosse eu acho que teria de ser a bandeira do E.N.S. Para quem não conhece é a sigla que diz respeito a meu time, equipe, turma, sociedade secreta, etc que eu pertenço.

Beleza. Terno. Ok. Bandeira. Ok. Agora falta o material de homenagem. Afinal como diz meu Pai no meu velório quero que todos chorem muito. Quero ver todo mundo muito triste, senão não vou me sentir querido. Nem me venham com essa história de “Ele foi para um lugar melhor” , ou “ele foi por que merecia mais do que nós”. Eu estou indo pro além e não tenho idéia do que tem lá, pode ser horrível. Nunca se sabe. E se eles só comerem salada? Vocês sabem como eu odeio salada. Então quero histeria coletiva e ataques de desespero viu…

Mas voltando ao material de homenagem, bem, preciso de um discman, um cd do Garth Brooks que contenha a música “The Dance” versão estúdio e um cigarro. O cd deve tocar antes de eu ser cremado para aumentar a choradeira, o discman por que eu não sei se ainda vão existir aparelhos de CD, até lá a Sony já vai ter lançado o MCT – MicroChip Tântalo. Vocês sabem como são esses japoneses. O cigarro é por que me deu uma vontade de fumar…

Pra terminar são necessárias minhas instruções. Primeiro um texto escrito por mim, uma carta-despedida. Nada melhor que uma carta-despedida para disparar a choradeira. Deve conter também minhas intenções para o deve ser feito com minhas cinzas. Ainda não sei mas a idéia inicial é que elas devem ser jogadas em Mônaco. Na curva depois do túnel, assim se eu não realizar meu sonho de ir pra lá assistir uma corrida de F1 ao menos irei pra lá de algum jeito. Fora o fato que ao menos uma alegria estarei dando para meus descendentes. Não quero que eles sofram tanto. MAS É PRA CHORAR!!!

Assim acho que estarei preparado para a jornada final. Existem outras preocupações como seguro de vida, me confessar e dinheiro para o caixão e cremação mas isso não é tão importante.

Agora posso descansar em paz.

Compartilhe!

7 Comentários on "Aqui jaz Cristiano Alves de Arruda"

  • veve diz

    Bom, o chorar pode deixar por conta..,mas ja que entrou no assunto… espero que, a mim e ao Ricardo, seja dada a tarefa de enviar ao destino suas cinzas… assim juntos nos consolaremos, refletindo… ” ele esta num lugar melhor”… (eu,laranja e cinza, vc entende!!! e o Ricardo apropriadamente elegante com sua camiseta do Senna, tudo p/ vc!!!).

  • Kris diz

    Você e o Ricardo??? Xiiii…mal morri e já to levando chifre….

  • Kris diz

    Paulão, acho que essa pergunta o Ricardo pode responder por mim…e anninha, não é sadismo não…nesse caso é utilidade pública…

  • Ricardo diz

    Se Ferrou Schummi!!!

    Pode deixar pra mim Kris, vai ser um prazer! Dos grandes!!

    E pode ter certeza que se for eu, vai ser muuuuito rápido!

  • Paulo diz

    No visor de quem vc gostaria que as suas cinzas grudassem e provocassem um senhor acidente?

  • anninha diz

    Putz! MUITO bom o texto, muito bom, mesmo.

    Amei!

    Apesar de um tema altamente evitado pela maioria das pessoas, uma resolução altamente irônica, mas imagino que verdadeira, acabou com qualquer barreira e peso.

    Maravilhoso o texto, Kris.

    Mandou muito bem, principalmente na escolha da trilha sonora! *rs*

    Parabéns!

    P.S. Paulo, esse é assunto para a “Discípulos de Sade”! *rs*

  • Fabiane Secches diz

    E que essa crônica fique como herança… o que vcs escrevem, o talento de vcs, é algo que não dá para se pagar (mesmo!). Adoro passar pelo site e ter a alegria de ter textos tão diferentes e tão divertidos e bem escritos. Viva os Cronistas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *