Discípulos de Sade

No final das contas todos somos sádicos. Somos segundo o Michaelis pessoas que tem prazer no sofrimento alheio. Sim, e você não pode fugir disso assuma logo antes que exponha fotos para ilustrar esse sadismo coletivo.

Um dia desses me assustei comigo mesmo, percebi que era mais louco do que imaginava, mas ao mesmo tempo percebi que era só eu que sofria disso. Nada melhor para exemplificar do que um acidente de trânsito. Cria-se aquele congestionamento enorme mesmo que o carro ou moto tenha sido removido e colocado na calçada. Aí as coisas pioram, ou melhoram dependendo do ponto de vista. Se estabelecem quatro faixas de platéia, procurando exaustivamente por algum sinalzinho, uma pessoa gritando, chorando, explicando. O s mais radicais chegam a procurar até por um sanguinho nas proximidades do carro. Com certeza de 10 carros que passam apenas um se preocupa se a pessoa passa bem. Mas não se assustem, não é que a gente quer que alguém se machuque, mas seria legal ver alguma coisa, pela aquela velha curiosidade humana. Imagino que os médicos não se encaixem nesse tipo de exemplo por motivos óbvios.

Mas de um exemplo ninguém escapa, quem nunca vibrou com uma multa de outra pessoa. Pense bem. Você está na Marginal Pinheiros ali do lado do Shopping D&D, você já sabe que ali sempre tem um radar móvel (muito mais prazerozo). Devido a já saber você abaixa a velocidade para os 70km/h permitidos, de repente você vê atrás de você faróis de xenom, aqueles bem brancos que indicam que é uma carrão bom, estas luzes vem costurando o trânsito, sedentas por velocidade, o carrão, que agora você já sabe que é uma Mercedes das grandes, passa lambendo o seu retrovisor continua acelerando sem titubear, como num filme você vê tudo em câmera lenta, o carro segue lentamente (mas acima dos 70km/h) em direção a quase R$ 500,00 de multa, você consegue enxergar a placa do carro que tem os dizeres: “RJ – RIO DE JANEIRO” depois dessa informação você se pega torcendo como se fosse o Ronaldo “Fenômeno” indo em direção ao gol, : “VAI VAI VAI VAI FLAAAAAAAASH!!!!!!” . Você comemora como se aqueles R$ 500,00 fossem ser creditados na sua conta e aquele flash fosse sinal de uma premiação da prefeitura para os sortudos que o vissem.
Fora o fato da placa ser do Rio você não tem razão nenhuma para desejar o mal daquela pessoa mas é incondicional. Vem de dentro. Assim como os serial killers matam. Lógico que não na mesma proporção e esse desejo não dá cadeia. Mas não se sinta um psicopata, é normal.

Conheço pessoas que quando vão a um autódromo ver uma corrida escolhem o lugar com base na chance de acidentes. Se você prestar atenção tem o preço mais alto justamente por causa da grande procura.

É lógico que temos sempre alguns desvios que causam um desejo maior, do tipo de ir atrás de carros de resgate pela cidade em perseguições dignas de Hollywood, causando o grande risco de transformar a platéia em palco.

Não se sinta culpado, você não pode mudar isso, tente da próxima vez que você ver alguém tropeçando não torcer para ela cair, é impossível, e mesmo que você consiga admita, não vai ser tão engraçado.

Espero que este texto não tenha feito você se sentir mal, por que você sabe, ver o sofrimento de alguém pra mim é inconcebível.

Compartilhe!

4 Comentários on "Discípulos de Sade"

  • Fabiane Secches diz

    Corajoso o seu texto. Corajoso e divertido.

  • anninha diz

    Como assim o Rafa não esperava? Ele esquece que RJ é o inferno e aqui é o céu?! *rs*

    Na verdade, nem precisava ser carioca nem nada, qualquer um que passar assim pelos flashes merece ser comemorado, pelo simples fato de não ter sido você.

    Também achei muito boa, Kris! Muito verdade!!!

    P.S. não ficar esperando o tombo depois do escorregão é praticamente impossível! É pra ser canonizado!

  • Rafael diz

    Doente. Você é doente, só porque a placa é do RJ …..tsc..tsc….tsc ….eperava mais de você Kris!

    hahahaha vc aquase acreditou, fala aí?! Muito bom esse seu novo texto.

  • Rafael diz

    eperava não, é esperava … hehe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *