Jogo da vida

Hoje tive muitas saudades. Aliás preciso fazer alguma coisa a respeito disso. A úinica coisa que tenho sentido ultimamente é saudade, isso quer dizer que não estou fazendo nada ultimamente. Tenho feito algo como os torcedores do Juventus. Sempre lembrando do passado glorioso mas sem ter nada a contar sobre o duro presente.

Tenho pensado na única época que consegue ser mais indefinida do que a adolescência. Aquela fase em que tudo que você quer é jogar video game com uma playboy do lado. Num confornto inimaginável de interesses. Algo parecido com a vida de um programador de computadores.

Bem, nessa confusa época em que eu sonhava com um Phantom System minha vida amorosa era complicada. Sempre fui um romântico. Adorava sofrer por amor. Sentar no chão do meu quarto, encostado no canto da parede segurando a testa com as palmas das mãos tomando um copo de tang. Gostava de sofrer também por que nunca tive opção. Sempre fui muito tímido e nada auto-confiante. Mas sempre me achei poeta. Por isso adorava escrever cartas de amor. Mandá-las era só um opcional, escrevê-las era a grande atração. Imaginar minha amada lendo, chorando ao ver que tinha achado seu principe encantado. Na minha imaginação tudo dava certo.

Eficiência zero, essa minha poesia não me arrumava namorada alguma, mas muitas amigas com certeza.. Com essas amizades comecei desde pequeno a estudar as mulheres. Sem saber que isso seria uma perda de tempo enorme.

Do alto dos meus 15 anos já entendia o que as mulheres queriam. No ginásio era simples. Elas podiam se divertir com os caras errados mas no fundo queriam um certo. Era difícil competir com o cara que era o artilheiro do time, astro do time de vôlei, cestinha do basquete e além de tudo plantava bananeira. Auto -confiança era o nome desses indivíduos que além de tudo não tinham timidez nenhuma. Mas tudo isso fazia-os não valorizar as mulheres e isso uma hora ia fazê-las ir atrás dum cara certo. Um pra valer. Aquele famoso perfil de cara inteligente, sensível, apaixonado, romântico, fiel, companheiro. Mas que ao mesmo tempo fosse arrojado, firme, corajoso e até agressivo quando preciso.

Eu já sabia disso desde a quinta série então por partes fui me forçando a me tornar esse cara. Algumas coisas foram fáceis outras mais difíceis como tudo na vida, mas numa certa época da vida achei que tinha chegado lá. Com toda a modéstia é lógico eu tinha englobado todas as carcterísticas do homem perfeito. Obviamente em doses diferentes mas um pouco de tudo.

Daí pra frente era só encontrar minha pretendente perfeita. Tarefa não muito fácil (talvez impossível). Por muito tempo procurei e chegue até a começar a perder as esperanças pois achei que nunca encontraria minha pretendente perfeita.

Minha alma gemêa. Mas por diversas brincadeiras do destino um dia eu a encontrei. Mesmo antes de se consumar alguma coisa eu já sabia que daria certo. Indôles muito parecidas, interesses muito próximos, convivência pacífica, objetivos de vida similares. Se aquilo não era amor perfeito o que mais poderia ser.

E ENTÃO EU RELAXEI…

Relaxei por que já não sonhava mais. Projetava meu futuro. Nunca mais eu precisaria pensar no que as mulheres pensam ou querem. Eu tinha ali ao meu lado a mulher da minha vida que se precisasse ou quisesse de alguma coisa me falaria e pronto. Simples assim. Achava isso por que era exatamente o que eu fazia.

Pobre ingênuo. Como posso ter sido tão estúpido ao ponto de ter estudado as mulheres a vida inteira e não ter percebido a suprema primeira lei da convivência com elas? Mulheres não mudam. Serão pra sempre mulheres, agirão pra sempre como mulheres assim como homens serão homens.

O amor não nos tranforma em anjos perfeitos. Na realidade somos as mesmas crianças de 13 anos. Os homens geralmente dando a mesma importância para o jogo de futebol e para o aniversário de namoro. As mulheres nunca falando o que realmente querem, sempre fantasiando milhares de universos ao simples “oi”. Isso é o que somos e seremos até o final de nossas vidas.

Hoje acho que ao invés de me enganar com a improvável mudança dos indivíduos devo é me adaptar ao mundo real. Aprender a lidar com esses infindáveis “jogos” entre homem e mulher. Aceitar que o meu romance ideal. Meu amor perfeito que idealizo desde criança só existe mesmo nas letras escritas.

O que existe é um jogo eterno em que o melhor resultado é uma partida fatal que termina num empate.

Compartilhe!

12 Comentários on "Jogo da vida"

  • Rafael diz

    Sensacional a parte do copo de Tang.

  • Kris diz

    É Paula, não sei se estou só passando por um momento amargurado, espero conseguir encarar do jeito que você encara…

  • Paula diz

    Sabe que ultimamente tenho pensado muito nisso. Realmente somos os mesmos de quando tinhamos 13 anos. Mas mesmo assim continuo sendo romantica e repito os mesmos erros qdo me apaixono. Não tem como escapar disso. E prefiro viver em um mundo nada real, porque a realidade me impede de pensar de que um dia ainda vou encontrar a pessoa certa. E se são os sonhos que nos mantêm vivos, não vamos cometer um suicídio…

    Kris, não existe uma pessoa perfeita, existem várias. Se ela fez seu coração bater mais forte, suas mão soarem frias e principalmente se vc se pegou ensaiando o que ia falar pra ela ao telefone…pode ter certeza: ela é a mulher certa, nem que seja por poucas horas, minutos ou segundos.

  • Paula diz

    Errata: onde lê-se soarem, leia suarem.

    Ops

  • Paula diz

    Vc vai encarar sim….só uma fase ; )

  • Inacreditável ! Como ainda pode falar de autoconfiança ? Autoconfiança é isso. Ter coragem de compartilhar um momento desses com o mundo. As vezes tenho muitos sentimentos estranhos. Alguns bons outros ruins, mas, só posso lhe dar a certeza de uma coisa. Tudo passa … e sempre nos é dado algo tão melhor do que antes, que agradecemos a Deus por ter feito as coisas acontecerem do jeito que aconteceram.

  • Texto ótimo, mas faltou revisão antes de publicá-lo, não? Alguns erros de digitação e pontuação atrapalham.

  • Alessandra Xavier diz

    Adorei!

    Saiba que o tempo traz experiência, sabedoria, mas consigo, leva pessoas, lugares e sentimentos que não voltam e ficarão para sempre no passado.

    Abraço da Alê

  • Ellen diz

    Kris, esses texto é muito ótimo, como todos os outros. Meu ex namorado várias vezes me mandou crônicas que escrevia de tão lindas que são, e só assinava: Faço das palavras do Kris as minhas. E disso tenho muitas saudades. Abraço.

  • Ellen diz

    Kris, esses texto é muito ótimo, como todos os outros. Meu ex namorado várias vezes me mandou crônicas que escrevia de tão lindas que são, e só assinava: Faço das palavras do Kris as minhas. E disso tenho muitas saudades. Abraço.

  • Ellen diz

    Kris, esses texto é muito ótimo, como todos os outros. Meu ex namorado várias vezes me mandou crônicas que escrevia de tão lindas que são, e só assinava: Faço das palavras do Kris as minhas. E disso tenho muitas saudades. Abraço.

  • Erica diz

    Kris,

    Estou passada!!!!!

    A Van me ligou ontem e comentamos sobre suas crônicas, ela falou que as últimas estavam ótimas, mas ao ler essa me surpreendi.

    Não sei como mas vc parece tornar tão simples a expressão dos sentimentos mais intensos.

    Amo vc!!!!!

    Erica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *