Nova Zelândia

Ok. Numa boa. Senhores músicos vamos dar uma variada. 99% das músicas presentes hoje em dia no rádio são sobre desilusões amorosas. Tudo bem, talvez eu esteja exagerando um pouco mas no mínimo 98%. E não estou falando só de música romântica, sertaneja ou pagode. Podem incluir aí todos os genêros. Rock, R & B, Hard core e Reggae. Só escapam o Rap legítimo, o gospel e o Death Metal (que prefere falar sobre larvas?!?!).

Tenho caminhado todos os dias, ou quase todos, por 1 hora, ou quase uma, pela manhã. Como companheiro levo um daqueles radinhos que você prende no braço sabe? Sempre quis usar um radinho desses. È coisa de gente saudável e bonita. Mas hoje percebi que este radinho mais me trouxe tristeza do que saúde ou beleza. Não adiantava eu mudar de estação ou de estilo que lá estavam as famosas frases: ” Não vivo sem você.”, “Volta pra mim”, “Não sei viver sem ter você”, “Since i don´t have you” e etc. Raramente interrompida por um “Move your body”. Não sei o por que disso. Antigamente as pessoas cantavam sobre os rios, sobre as planícies e planaltos. Hoje em dia só sabem dizer que “que quem se ama já não se importa com você.”. Isso me leva a uma triste conclusão. Ou hoje existem mais desilusões amorosas (vulgo pé na bunda) ou nossas paisagens já não são o bastante.

Otimista que sou acredito que a segunda razão seja a mais provável. Acha incoerente? Tome como exemplo a Nova Zelândia, terra do senhor dos anéis. Lá existem paisagens de sobra. Neve, mar, praia, abismos. De tudo um pouco. Ás vezes até combinados. Logo não enfrentam essa epidemia pela qual passamos. Ou você conhece alguma dupla sertaneja neo-zelandeza? Já ouviu alguma música neo-zelandeza que fale “cadê a alegria estampada no meu rosto?” Acho que
não. Nem o Frodo sofreu de amor. Tinha o Sam o tempo todo.

Tá certo que tenho que concordar com o fato de que eu estar passando por uma desilusão amorosa possa estar piorando as coisas. Mas só um pouquinho. Nada que afete o quadro geral.

Passar por uma desilusão não é nada fácil, talvez por isso as pessoas escrevam tanto sobre isso. O grande problema é que nessa situação você só pode pensar sobre o assunto. Já que não é você quem está nas rédeas da situação. Muito pelo contrário. Você é o cavalo.

Algumas pessoas tomam atitudes desesperadas que só pioram as coisas. Eu nunca vou ser um desses.

– Alô

– Oi.

– Por que você está me ligando Kris.

– Por que preciso saber que roupa eu ponho na mala.

– Hein?

– É isso.

– Não entendi.

– Você vai voltar pra mim?

– Não sei Kris. Tinhamos falado que…

– É isso. Já chega. To indo pra Nova Zelãndia.

Compartilhe!

7 Comentários on "Nova Zelândia"

  • Verônica Almeida diz

    Pois é Kris…Hoje as pessoas não fazem música com letras construtivas para que possamos refletir sobre as mesmas (aliás, hoje as pessoas não fazem música). A música virou um mercado, onde as gravadoras querem vender…e não importa o quê. O importante é satisfazer momentaneamente essa grande “massa de robôs”.

    Achei muito legal a sua crônica, que apesar da sua desilusão amorosa (sinto muito), faz uma critica muito pertinente à esse “mercado musical”.

    Parabéns e continue escrevendo!

    Bjos!!!

  • Mommy diz

    Oi filhão como protagonista de uma história parecida só tenho a dizer uma coisa ; enquanto não passar para onde quer iremos a disilusão ira nos acompanhar. Mas quando passar iremos cantar … viver e não ter a vergonha de ser feliz …cantar e cantar a beleza de ser um eterno aprendiz … É isso filhao, neste mundo somos eternos aprendizes Beijo grande te amo

  • Vamo aê, mano! Nova Zelândia à cavalo … Nada mal!

    Mandou bem, mano … tomara que continue!! É bom tê-lo de volta aqui no CR!

    Abraços! Tamos sempre aí!

  • Em 3 parágrafos quase escrevi 32 “manos” ! Eita vício ruim!

    Mal aê, mano !

  • Paulo diz

    É verdade! É verdade! Não sei se é o mesmo filtro, mas é só lamento – pelamordedeus, como o povo sofre. E como sofre mal! Umas metáforas aí já aliviariam a coisa. Agora, se vc tá atrás de paisagens, conheço umas gaúchas que… :D

  • Van diz

    Se você for pra nova zelandia me leva junto… apesar que eu acho que não foram as paisagens que se tornaram insufucientes, foram nossos olhos que deixaram de ver a beleza das pequenas coisas…

    te amo kis

    bjo

  • Fixação ! É isso que ocorre com as músicas nesse período insólito que as vezes nos colocam. Essas frases melo-dramaticas são atraidas pelo sistema auditivo; e o que antes nos satisfazia pela simples melodia, nessas horas nos importuna com as letras desses tipos de músicas. Aparece até que esses compositores do CARA . . . não têm mais nada o que fazer do que escrever letras para nossa situação. Aí lhe pergunto, nessas horas letras até com CHUPATODA são orquestrais para nossos ouvidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *