Como o Beckham se entende?

– Numa boa. Com todo respeito. Mas, vá pra puta que pariu!

– Me desculpe…

– Não faça essa carinha de desentendida não. Vamos acabar já com essa palhaçada.

– Meu senhor me desculpe mas não sei do que está falando.

– Eu sou o Arruda.

– Prazer eu sou a Cris.

– Eu sei quem você é. Você é o maldito Lado Feminino do Kris!

– Não sei por que maldito. Eu tenho muita honra em ser o lado feminino do Kris. Pelo seu tom rude imagino que deve ser o Lado Masculino não é?

– Sim , sou eu mesmo mocinha, e vou te dizer uma coisa, não to gostando nem um pouco dessa merda viu. Essa bichice toda já está passando dos limites.

– Nossa. Quanta grosseria. Se o Kris só tivesse você pra guia-lo estaria perdido.

– Pois eu acho que muito pelo contrário. Ele tá parecendo um afrescalhado com a sua influência. Antigamente, quando ele era mais novo não te escutava. Ou melhor, escutava mas o meu poder de censura era muito maior. Agora ele te escuta, confia em você. Acha realmente que o que você fala tá certo. Que ele fica melhor quando te escuta.

– E o senhor não concorda?

– Com o que?

– Com o fato de que depois que ele começou a me escutar se tornou uma pessoa muito melhor. Mais limpa, mais bonita, mais culta, mais educada.

– Mais bicha, mais bicha, mais bicha, mais bicha.

– Nossa! Que machismo. Pelo visto está precisando se atualizar. Os tempos são outros amor. Já passamos da época em que o homem tinha que se parecer com um macaco pra mostrar virilidade. Acho que o senhor é homofóbico.

– Homofóbico de cu é rola. Eu sou é macho. Sou o Lado Maculino PORRA! E olha. vou te dizer uma coisa, é melhor você parar com essa baboseira toda. O Kris é muito macho, sempre foi, e depois que você começou a falar essas bobagens pra ele tem muita gente duvidando da sua masculinidade. Fazendo brincadeirinhas, insinuando coisas. Não gosto dessas merdas não.

– Mas meu senhor…

– Arruda.

– Ok Sr Arruda. O que eu falo que tanto te irrita?

– Bem. Vamos começar. Primeiro de tudo. Essa porra de alisamento no cabelo.

– Qual o problema do amaciamento capilar?

– Meu. Puta coisa de viado. Já começa que o cara vai no cabelereiro. Macho que é macho vai no barbeiro. O Kris nunca deveria ter deixado de cortar o cabelo com o Valmor, aquilo sim era ambiente pra cortar cabelo. Agora vai num salão. Salão de beleza. E corta o cabelo com um cara chamado Johny. Tenha santa paciência. Johny? Onde esse mundo vai parar? Onde estão os aventais? Não tem. Em vez disso usa um quimono. Daí fica lá. De quimono, lendo revista de fofoca, com o Johny. Tudo isso sem esquecer que ele fica meia hora com uma meleca branca no cabelo que mais parece…bem…deixa pra lá…

– Olha. Pro seu governo todas mulheres valorizam um cabelo bem cuidado. Não é por que você é homem que não pode ter um cabelo diferente do que o seu avô usava. O que mais?

– Também tô puto com essa história de ficar comprando essas roupinhas de fresco.

– “De fresco”? Me desculpe Sr. Arruda. Não te entendi. O Kris só usa roupas normais. Camisas, calças, nada de feminino.

– Nada de feminino? Cacete. O cara comprou uma camisa rosa.

– Qual é o problema, rosa é só uma cor, como todas as outras.

– É sim. Só uma cor. Uma cor de viado. Isso que é. E isso nem é o pior. Semana passada ele comprou uma camisa bordada. Por que diabos uma camisa bordada?

– Ai, essa camisa é linda.

– Não me interrompe. Puta camisa afrescalhada. E cara. Você quer transformar o Kris numa bicha pobre. Tá gastando fortunas com essa história de comprar roupa. Estes dias foi num bazar. Quer coisa mais gay que ir no bazar? Bem, foi no bazar e comprou um terno que custou mais de mil reais. Mil reais você tá me entendendo?

– Foi uma ótima compra, aliás uma pechincha.

– Você tá doida. Pechincha. Na Colombo você compra um terno, um cinto, um sapato, uma gravata por 299 reais em 6 vezes sem juros. Isso sim é pechincha.

– Você não quer comparar o seu Colombo com o meu Ricardo Almeida não é?

– O meu pelo menos descobriu a América e o seu….não fez porra nenhuma aposto.

– …

– Ei, não foge não, eu tava brincando….ei….droga…

Compartilhe!

10 Comentários on "Como o Beckham se entende?"

  • Muito bem, Mamute!

    Afrescalhado é bom pra caramba!!

    São os bons e velhos diálogos “Kristinianos” voltando a ativa!

    Ficou muito bom cara!

    (ah … uma coisa … meu lado feminino tá perguntando com que roupa você vai na próxima balada Cronistas. E … meu lado masculino falou que esse negócio de lado feminino é coisa de viado!)

  • Rafael diz

    Esse lance de ladopra mim é frescura, de lado só tenho mesmo o direito e o esquerdo.

  • Kris diz

    Rafa você fica na boa que seu lado feminino é bem saidinho e vc sabe…

  • Thais diz

    a cronica ficou muito boa amor! muito boa mesmo!

    te amo um montao!

    beijos

  • Verônica Almeida diz

    Muito boa! Parabéns…Pelo jeito vc é o único cronista que trabalha em 2005! Hahhaa

    Bjão!

  • Murilo Boudakian Moyses diz

    Que merda é essa? Por que catso meu lado feminino não foi convidado para esse Bazar?

  • amei esse texto!!!

    imagino que o SEU conflito esteja superado, uma vez que vc até verbalizou a situação, com nome pro lado feminino e tudo.

    mas não posso negar que fiquei rindo uns 5 minutos disso: “Você quer transformar o Kris numa bicha pobre”.

    Muito bom MESMO.

  • Kris diz

    Fico muito lisonjeado com seu elogio Vanessa. Obrigado. Mas confesso que fiquei meio preocupado com o que vc imagina que eu tenha superado…hehehe…

  • hahahahaha

    nada grave, Kris! Vc só superou o fato de ter um lado feminino, ué (:P)…

    tem gente que não se conforma, e diz que o lado feminino é sapatão… hahahaha.

Trackbacks

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *