Hummm

– Ah Gilmar ela até que é legal, mas não sei.
– Não sabe o que Deco?
– Sei lá, ela tem essas coisas sabe?
– Sei.
– Sabe?
– Não! Não sei.
– Então por que falou que sabe?
– Pra dar continuidade ao papo Deco. Fala logo.
– Então. Ela tem dessas coisas. Tipo falar.
– Nossa! Que estranho! Ela fala mesmo? Com a boca?
– To falando sério cara.
– O que ela fala que é estranho?
– Ela fala complicado.
– Como assim complicado? Ela é fanha?
– Não, el…
– Tem língua presa?
– Não, ela f…
– Fala na lingua do “pê”?
– NÃO! Dá pra deixar eu falar?
– OK! Só estou tentando ajudar.
– Ela fala umas palavras que eu não entendo.
– Como assim não entende?
– Não entendo. Não sei o que ela quer dizer.
– Ela se expressa mal você diz?
– Não. Eu não tenho idéia de que cargas d’água as palavras querem dizer!
– Ahhh…. entendi. Ela fala difícil. Tem um vocabulário rebuscado.
– Sei lá onde ela foi buscar Gilmar, só sei que não entendo.
– Mas que tipo de palavra ela já falou que você não entendeu?
– Um monte.
– Fala uma. Dá um exemplo.
– Ok. Ontem mesmo ela falou que era criteriosa.
– E daí?
– Como assim e daí?
– Que palavra você não entendeu?
– Oras bolas, “criteriosa” é claro.
– Você não sabe o que significa “criteriosa”?
– Não é assim que eu não sei. Sei mais ou menos.
– E o que é? Mais ou menos…
– Sei que tem alguma coisa a ver com religião, mas isso não vem ao caso.
– ….
– O negócio não é esse Gilmar. Não importa as palavras que não sei. E sim como vou fingir que sei.
– Mas você disfarça bem pelo que diz.
– Eu também achava, mas ontem no telefone ela me disse que eu era “prolixo”.
– E daí?
– E daí que tive que desligar o telefone.
– Na cara dela?
– É.
– Mas por que?
– O que eu ia fazer? Não sabia se agradecia, discordava ou a mandava pro inferno. Não ia fazer papel de bobo né.
– Ah lógico. Disso você se safou.
– Sim mas não é sempre que vou ter saídas inteligentes como essa. Como resolvo isso?
– Você já tentou dar uma lida no dicionário?
– Já, mas nunca consigo passar da letra “B”.
– Daí fica difícil.
– Você também acha então? Ufa. Já achei que só eu achava difícil ler todas aqueles “babilônicos” e “babuínos”.
– Deco, não tem jeito, ou você aprende ou vai ficar sempre boiando.
– Tem que ter uma saída. Não aguento mais ouvir ela falando que vai “contextualizar” e eu morrendo de medo de levar uma tapa.
– O que você pode tentar é, sempre que não souber uma palavra responda com “Hummm”.
– “Hummm”?
– É. “Hummm”.
– Ahhhh, Hummm.
– Isso. Entendeu?
– Não.
– Pô Deco. Colabora. “Hummm” como em, “Hummm, interessante.”
– Ahhhh, esse “Hummm”.
– Isso.
– Hummm. É uma boa. Assim não me comprometo e também não fico sem resposta.
– Exato. Assim acho que você estará resguardado.
– Hummm.
– Aê, aprendeu rápido.
– É, eu sou assim.
– Problema resolvido então.
– Acho que sim.
– Por que acha?
– Agora fiquei preocupado.
– Acha que não vai dar certo?
– Acho que vai sim, mas eu não vou estar enganando ela?
– Não exatamente. Só um pouquinho.
– Sei lá. Fico com dó. Uma menina tão frágil, doente.
– Doente? Mas ela aparenta ser tão saudável.
– Eu também achava. Até esses dias quando ela me contou sobre o problema dela.
– E o que ela tem?
– Ela é Eclética.

Compartilhe!

12 Comentários on "Hummm"

  • Hmmmmmm ….

    Demais! Parabéns mano!

  • José Ignacio diz

    Também fiquei doente, ou melhor, “desopilado”, de tanto rir!

  • Rafael.... diz

    Boa…. muito boa…… imagino atŽ de onde possa ter vindo as referncias.. hehehehe

  • Murilo Boudakian Moyses diz

    O menino está inspirado. Muito boa!

  • Thais diz

    muito boa amor!!!

    sempre escrevendo coisas diferentes e gostosas de ler. adorei!

    te amo. beijos

  • Van diz

    Dei boas gargalhadas!!! Gostei :)

  • É mesmo muito ótimo esse esquema de diálogos. E o fim foi impagável!

  • Mafê diz

    Muito boa essa, o final realmente é impagável!!

    Amplexos,

    Mafê

  • José Ignacio diz

    Kris, estou preocupado com você, todo mundo está dizendo que você é “impagável”. Dói muito?

  • José Ignacio diz

    Ainda bem que o riso está longe da realidade de indivíduos sisudos como nós.

  • Kris diz

    Só quando rio

  • anninha diz

    Boa, mto boa!

    “daí eu tive que desligar o telefone” foi a melhor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *