Festa Louca

Ia ser uma daquelas festas loucas. Mulheres beijando mulheres, bebidas servidas em baldes, bonecos infláveis de gorilas. Ou seja , tudo que uma festa louca deve ter. Gastão acordou atrasado, deu aquela cochilada depois que chegou do trabalho, coisa rápida, das 19:00 até ás 02:00 da manhã. Se ele corresse ainda pegava as zebras. Isso se o cronograma da festa fosse igual ao ano passado. A festa era num lugar desconhecido, como havia de ser, então pegou o carro e saiu voado, ligaria da rua para alguém lhe dar as instruções.

Quando chegou perto da onde imaginava que era a festa, uma rua cheia de galpões, ligou.

– Alô, Paulão?
– Faaaaaaaaala Gastonildo. Cadê você cara, vi você entrando no banheiro faz a maior cara e desapareceu. Peraí perai… Galera, galera, achei o Gastão.
– Que é isso Paulão. Nem cheguei na festa ainda.
– Como não? Acabei de ver você entrando lá, tava com o gorila.
– Não era eu Paulão.
– Putz então melhor continuar procurando. Galera, galera, não achei não, continuem procurando.
– Paulão, Paulão, me escuta. Como é que chega aí?
– Putz, então, pêra um pouquinho. Linaaaa!!! Vou te passar pra Lina cara, ela sabe explicar melhor.
– Mas Paulão pêra…
– Alô.
– Alô, errr…Lina?
– Não, sou a Ange, Lina é minha irmã. Mas no que posso te ajudar?
– Bem, tenho que falar com a Lina mesmo.
– Porque? Não pode ser comigo? Eu não sirvo? Acha que não sou boa o suficiente?
-Não, não é isso, é que…
– É isso sim. Já estou cansada dessa história, desde pequena é a mesma coisa. Tudo é pra ela, todos querem ela, ficou até com o pedaço do nome melhor. Quando éramos pequenas, eu não percebia, ainda que achasse estranho só ela ter capacete para andar de bicicleta. Mas agora já saquei, e não vou admitir mais essa palhaçada. Vou agora atrás dessa piranha, quebrar um vaso na cabeça dela, aproveitar que ela não está de capacete.
– Não, não, o que você vai fazer?
– Não te importa, mas caso se interesse saindo daqui vou para o México. Tchau. Alguém pega essa porcaria desse telefone, cadê minha irmã?
– Err, alô, alô?
– Alô!
– Quem tá falando?
– É o Julião. Quem é você?
– Oi Julião. Eu sou o Gastão. Tô tentando descobrir como chega aí.
– Onde você está?
– To numa rua cheia de galpões, tem uma fabrica laranja na minha esquerda.
– Ah, já sei onde você está. Faz o seguinte, segue até o final dessa rua. Ta vendo o final?
– Tô, tô.
– Me avisa quando chegar.
– Cheguei.
– Legal, agora pega essa avenida a direita e…Peraí, peraí, po galera, tira essa zebra daqui, ta carimbando todo lugar por onde passa.
– Alô, alô? Pega a direita e faz o que?
– Alô. Então, desculpa, é que as zebras comeram space cake e acho que fez mal, estão sujando a festa inteira. Ainda bem que já estão indo embora.
– As zebras já estão indo?
– Estão.
– Droga. Bem, virei a direita, e agora?
– Então, pega a primeira a direita, segunda a esquerda, faz o contorno na pracinha, daí você vai ver um posto.
– Direita, esquerda, pracinha, posto. Ta legal, to vendo.
– Agora você para no posto, entra na loja de conveniência, compra umas 4 caixas de cerveja e volta até a fábrica laranja que você passou, a festa é lá. Galera, já mandei buscar a cerveja.

Compartilhe!

4 Comentários on "Festa Louca"

  • Thais diz

    hahahahaha. que sacanagem!!!! nossa, o cara chega atrasado, alem de fazerem ele de bobo no telefone, ainda mandam comprar cerveja. eu ia ficar com muita raiva! nunca faça isso comigo!

    bem engraçado. te amo! 20 beijos

  • Murilo Boudakian Moyses diz

    Cara, adoro festas com Zebras!

  • diz

    Presença de espírito é isso aí.

  • diz

    Porém, a meu ver, festas com quatis são mais animadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *