Melhor do que nunca

Fazia 5 meses desde o fim. Meio sem explicação ele encerrou o namoro de quatro anos e meio que segundo todos, “ia dar em casamento”. Ela bem que tentou salvar a relação, porém quando percebeu, não havia o que salvar. Ele já estava em outra. Ou melhor, outras. Mais ou menos segura do que sentia ela tocou em frente enfim, o nick do seu MSN já dizia:

– Karen – Virei a página… – All by myself – Celine Dion

As amigas queriam ajudar e os encontros a cegas começaram a pipocar. Uma tinha um primo gatíssimo, formado na GV, bem de vida, mãos fortes. Mas não comia sushi. Outra queria de todo jeito fazê-los se encontrar, seu amigo de infância era uma graça, cara de bebê, fazia faculdade de jornalismo, super-culto. Mas odiava Dance Music. Já a irmã entrou na briga, querendo dar seu pitaco argumentava racionalmente:

– Eeeeeeeuuuuuu tenho o cara perfeito pra você!

Ele era advogado, franciscano, sócio de um dos maiores escritórios do Brasil, lindo e engravatado. Mas de Áries.

– De Áries não dá né maninha, você sabe como odeio gente de Áries. Impossível dar certo.

Logo, ela percebeu que ligar para o ex durante a madrugada para saber se tinha algum filme bom no cinema não colava muito, então teve que arrumar uma ocupação de verdade. Comprou um cachorro e deu o nome do falecido. Assim passava todos os dias e noites. Abraçando o Flávio, beijando o Flávio e quando estava de mau humor, xingando o Flávio.

– Sua mãe é uma cadela Flávio!

Um dia Flávio ficou mal. Ficava atrás dela o tempo todo, choramingando pelos cantos, o oposto de seu homônimo em versão humana. Então Karen levou Flávio ao veterinário.
O Pet Shop era do lado da casa dela, a fachada não era tão bonita, já o veterinário. Um metro e oitenta, cabelo bem preto, milimetricamente bagunçado, olhos castanho-escuro, cheiro de banho. Do tipo dela, beleza ordinária. Conversava leve. De Capricórnio.

– Que coincidência, eu também sou de Capricórnio, nós somos “tudo” não acha?

Era o destino que os tinha juntado. Méritos para o Flávio, que a propósito estava muito bem já. Trocaram telefones, olhares, toque de mão. Na volta pra casa ela nem pensava no Flávio, o coitado aliás, quase foi atropelado por um ônibus virando a esquina.

O pobre cão não agüentava mais tomar vacina, escovava os dentes uma vez por dia e tomava banho duas em certas ocasiões. Tudo para ver o capricorniano da vida de Karen. Todos apoiaram-na. Afinal ela tinha dito a verdade. Virou a página.

Para sacramentar seu estado de espírito ela entrou na Internet. Desbloqueou Flávio, escreveu belas verdades, estava muito feliz, era uma pessoa muito melhor, aprendeu muito com o que ele fez para ela. O perdoava afinal. Estava melhor do que nunca. Fechou a janela e nem deu tempo para ele responder. Seu nick já dizia tudo.

– Karen – Mais feliz do que nunca… – All by myself – Celine Dion

Compartilhe!

8 Comentários on "Melhor do que nunca"

  • malena diz

    “é o q eu sempre digo, o dia passa, a nuvem passa, até a uva passa”, hehehehehehe

    gostei!

  • Murilo Boudakian Moyses diz

    Kris, provavelmente o texto mais importante para a humanidade já publicado nesse site. Vou lutar para que seja obrigatória a leitura dele em todo ensino primário brasileiro.

  • Andrea diz

    vai ter parte 2?

  • Andrea diz

    brincadeirinha…adorei mesmo! bjs

  • Paulo diz

    Puta, Kris, muito bom! Olhar clínico, velhinho, olhar clínico!

  • Kris diz

    Muchas Gracias!!! Voltem sempre!!! :-D

  • Van diz

    “é o que eu sempre digo… a fila há de andar” hehehe

  • Van diz

    Gostei, Cris! beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *