Crescendo.

– Pai.
– Oi filho.
– Posso perguntar uma coisa?
– Claro filho.
– Quando eu for grande, eu vou ter que colocar gravata todo dia?
– Não necessariamente filho. Vai depender de onde você trabalhar.
– Hummm…
– Por quê?
– Por nada.
– Você não gosta de gravata?
– Ah…fica engargejando.
– Hehehehe, enga-o quê?
– Engargejando. Não dá pra respirar.
– Mas desde quando você usa gravata pra saber?
– Não uso, mas uma vez amarrei uma fronha pra ver como ficava e não conseguia respirar. Muito ruim.
– É filho, não posso falar que é das coisas mais confortáveis. Mas você se acostuma. Alem do mais, nos melhores trabalhos você tem que usar gravata.
– É mentira.
– Como assim mentira?
– Astronauta não usa gravata.
– É verdade. Astronauta não usa. Mas o resto usa.
– Bombeiro também não.
– Ok, ok, mas são poucos.
– O tio que controla a fila no Hopi Hari também não.
– Eu entendi. Você está certo.
– Nem o Ronaldinho. Ele só usa gravata quando vai ganhar prêmio.
– É verdade.
– Também, imagina que engraçado se ele jogasse de gravata. Ele correndo com ela pendurada voando?
– Ia ser engraçado.
– E se ele fizesse um gol de gravata. Pai, gol de gravata vale?
– Olha filho. Desde que a gravata não esteja em posição irregular deve valer sim.
– Quê?
– Valeria sim filho. Se vale de chuteira vale de gravata né. É tudo roupa.
– É verdade. Pai, quando eu for grande, eu vou poder pular no pula-pula?
– Só se for um pula-pula bem grande.
– Legal. Adoro pula-pula. E ganhar brinquedo? Eu vou ganhar brinquedo quando for grande?
– Ah filho, aí depende de quem for te presentear. Mas nada impede.
– Mas porque você nunca ganha brinquedo pai?
– Porque sua mãe acha que basta o tanto que eu brinco com os seus.
– E ela não gosta quando você brinca comigo pai?
– Gosta sim filho. Mas não o tempo todo.
– Porque pai?
– Porque se brincarmos o tempo todo não sobra tempo pra ela.
– Pra brincar com ela pai?
– Isso filho. Pra brincar com ela.
– E de que vocês brincam pai?
– Errr…de muitas coisas filho. Depende do dia.
– Depende do dia?
– É filho. Se sua mãe teve um dia bom, brincamos de uma coisa, se foi muito bom, de outra. Se é dia que chego tarde não brincamos de nada.
– Entendi. É que nem eu e a carlinha então. Quando a mãe dela briga com ela nós não brincamos. A mãe dela não gosta que ela brinque só comigo e não fique com ela.
– Isso filho. Comigo e sua mãe é quase igual.
– É difícil né pai.
– É filho. É difícil.

Compartilhe!

5 Comentários on "Crescendo."

  • mommy diz

    Eu queria comentar…eu queria falar tudo que senti quando li esta cronica,mas não consigo passar para o papel, então vou cair talvez na mesmice e dizer que TE AMO

  • Erica diz

    Quanto medo de usar terno e gravata heim????

  • Kris diz

    Por obrigação? Muuuuito!

  • diz

    Ahhh, eu acho lindo homem de terno e gravata!

  • diz

    Tá ótima, Kris, emocionante. Parabéns!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *