Fenômeno.

–    Sabe…
–    Quê?
–    Ando diferente.
–    Como assim diferente?
–    Me sentindo diferente.
–    Tá triste, feliz, boiola, o que?
–    Não, não é isso. Tenho me sentido diferente mesmo. Fisicamente.
–    Não é por menos. Com a quantidade de Salgadinho Torcida que você come.
–    Você não me entendeu. Não tenho sentido essas coisas corriqueiras. Tenho sentido coisas que nunca havia sentido.
–    Tipo?
–    É estranho. Difícil de explicar. Mas tenho a sensação que estou ficando… melhor…
–    Melhor como?
–    Melhor. Em tudo. Meu raciocínio parece mais rápido, meus reflexos estão instantâneos, enxergo as coisas de muito longe.
–    Ah é?
–    É. Cada vez mais resolvo questões complicadas com rapidez. Nunca mais deixei cair nada, não sei mais o que é tropeçar. Parece que meus movimentos são todos perfeitos.
–    Mas isso não é impressão sua não?
–    Não é não. Eu achei que fosse no início. Que estava querendo acreditar nisso. Mas daí comecei a me testar, me submeter a provas.
–    Que tipo de provas?
–    Bem…
–    Que tipo? Você cospe pra cima e pega de novo? Atira bolinhas de papel no lixo? O que?
–    Os primeiros testes foram desse tipo sim.
–    E aí?
–    Perfeito. Tudo que eu fazia era perfeito. 100% de eficiência. Consegui até fazer malabarismos com panqueca na frigideira.
–    Uau!
–    É, mas isso não é o mais impressionante.
–    O que é?
–    Eu consigo aprender coisas complicadas em segundos.
–    Como assim?
–    Ontem peguei um dicionário de cantonês. Folheei. Após alguns minutos eu sabia falar o que quisesse em “Xing Ling”.
–    Caramba. Fala alguma coisa aí.
–    龍以向太陽
–    O que quer dizer isso?
–    O dragão falou com o sol.
–    Uau.
–    É. E isso é só uma das coisas. Todos meus sentidos estão desenvolvidos, resistência muscular. Tudo. Poderia ficar horas te dizendo coisas que sou capaz de fazer agora.
–    Então isso quer dizer o que? Que você está se tornando um tipo de super-herói?
–    Ah não sei. Essas coisas não existem né. Mas como explicar? O que você acha?
–    Olha, ás vezes você é como aquele cara, daquele filme.
–    Que filme?
–    Aquele que o cara parece comum, mas depois de certo momento percebe que ele é super poderoso e tal.
–    É, também pensei nisso. Você está falando de Corpo Fechado né, em que o Bruce Willis sobrevive a um desastre de trem e depois começa a ajudar pessoas com seus poderes.
–    Na verdade não. Pensei naquele que o John Travolta vira um gênio do dia pra noite, mas que na verdade estava doente e morre no final.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *