A gente vai se falando.

– Não agüento mais. Vou responder.

– Calma. Muito rápido.

– E daí?

– E daí que se responder agora, vai parecer que está desesperado.

– Eu estou desesperado.

– Eu sei, você sabe, ta bom assim.

– Vou responder essa merda.

– Você quer a minha ajuda ou não?

– Querer eu não quero. Mas depois dos meus fracassos sucessivos, não tenho opção.

– Cara, você tem coração bom, é educado, é claro que só vai se ferrar com mulher. Vem na minha.

– Mas sério que isso é importante? Puta coisa de menininha, ficar esperando pra responder. Não posso responder e pronto?

– Pode. Responde aí.

– Não é para eu responder né?

– Nope.

– Mas já faz uma cara.

– Que horas ela te mandou a mensagem?

– 14:33

– E que horas são?

– 14:51

– Espera mais 3 minutos.

– 3? Porque 3?

– Daqui a 3 minutos vai dar 31 minutos que ela te mandou a mensagem. Um numero bom. 30 minutos fica forçado.

– Ah, cala boca.

– Sério.

———————————————————————————————————————————————

3 minutos depois

———————————————————————————————————————————————

– Beleza, vou responder.

– Vai fundo.

– Ta.

– …

– O que eu respondo?

– Cacete. Você ta de sacanagem né?

– Por que?

– Fica me enchendo o saco que quer responder logo e nem sabe o que falar.

– Ah, até sei, mas sei lá.

– Qual foi a última mensagem dela?

– Ela me disse que podemos nos ver quinta, mas que ela pode ficar com vergonha porque ela acabou de pintar o cabelo.

– Como se você se importasse.

– É!!!

– Bem. Deixa eu pensar.

– Não. Já respondi.

– Respondeu o que?

– Que ela não precisa ter vergonha, que é linda de qualquer jeito.

– Sério, mano?

– O que?

– Por que não declamou logo uma poesia pra ela?

– Será?

– Não, seu cabaço. Óbvio que não. Não pode tratar mulher assim.

– Assim como?

– Assim. Bem.

– Ah ta, malandrão. Então quer dizer que o lance é tratar mal?

– Sim. E não.

– …

– Assim. Você tem que sacanear a mulher, brincar com ela. Sem desrespeitar é claro.

– E como eu faria isso?

– Ah, sei lá. Se fosse eu diria que só iria se ela garantisse que ia ficar extremamente envergonhada.

– E qual o sentido disso?

– Sentido? Que sentido? Isso aqui é pegação, brother, conquista. Não rua, que tem sentido. O negocio é brincar com a vaidade dela. Fazer ela sorrir.

– Fazer ela sorrir?

– É. Você tem que falar coisas que saiba que do outro lado, ela vai sorrir.

– E acha que ela não vai sorrir?

– Ah vai, mas…

– Cala a boca. Ela respondeu. Nossa, que rápida.

– Lógico que ela é rápida. Puta encalhada.

– Ah, vá se catar.

– Que ela disse?

– Ela disse que a gente vai se falando.

– Aê! Conseguiu tomar perdido da encalhada.

– Como assim perdido? Ela disse que vamos nos falando.

– Pensa comigo. Lembra semana passada, que estávamos lá no bar da Neide, e apareceu aquele mala do colegial.

– O Joça. Lembro. Cara chato dos infernos.

– O que você falou pra ele quando estávamos nos despedindo?

– Merda. Devia ter feito a sua piada.

Compartilhe!

2 Comentários on "A gente vai se falando."

  • As vezes “a gente vai se falando” é só isso mesmo, depois mulheres é que complicam as coisas!
    Ainda assim, adorei o dialogo.

    abraço

  • Kris diz

    Muito obrigado. ;)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *