O mais recente romântico.

“Me dá um beeeeijo, eeeeentão. 
Aperta a miiiiinha mão. To-li-ce é vi-ver a vi-da
a-ssim, sem aventura…”. Olha só o que você fez comigo, estou até cantando Lulu Santos. Não tenho mais idade pra essas coisas. Na realidade, nunca fui dessas coisas. Mas você, você é diferente.

Não é que eu tenha algo contra os românticos. De jeito algum, tenho até amigos que são românticos e tudo mais, mas nunca foi a minha, entende? Respeito e tal, mas sei lá, nunca tive curiosidade. Tudo funciona bem no meu mundo prático. Beijos, sexo, envolvimento superficial. Fica mais fácil de tocar com a vida depois que acaba.

Mas você. Você me deixa louco. Não consigo me concentrar, se não me liga, não consigo fazer nada, fico checando o celular a cada minuto, confirmando se está com sinal. Se está com menos de 5 barras vou até a janela. Vai que você está tentando e não consegue.

Nunca entendi essa fascinação pelo romance. Sim, é uma daquelas coisas que você tem que provar pra entender, mas sempre tive a impressão de que era uma piscina gelada. “Vem que tá boa, rapidinho você acostuma”. Eu até acredito, a cara de quem tava lá dentro estava boa. Pareciam estar se divertindo. Mas também via a hora que eram obrigados a sair. Sem toalhas, ficavam com o lábio roxo, batendo a mandíbula, como se quisessem passar uma mensagem por código Morse com os dentes. E a mensagem era “Não vale a pena”.

Mas você. Não sei o que você tem. Me beija como se o sinal nunca fosse tocar, distribui beijos por todo meu rosto, como se não quisesse deixar nem um pedaço sem uma parte de você. Mas depois se transforma. Sem ser mal educada, me trata como se eu fosse a quinta bolacha do pacote, ninguém tem sentimentos pela quinta bolacha do pacote. Você poderia ligar menos para mim, mas sinceramente, não sei como. Você é tão difícil que me sinto um stalker só em te dar “oi”.

Agora que vivo esse romance, que descobri o que é esse tal frio na barriga, essa ansiedade de que algo que vai mudar sua vida está para acontecer a qualquer segundo, não acho que é a melhor coisa do mundo. Mas também não sei mais se vou conseguir viver sem isso. Não sei mais se vou querer ficar numa boa. Se estarei feliz em estar feliz. Sou dependente da miséria e êxtase que você despertou. Acordei e percebi que estava vivendo na Matrix. Me dá aqui essa gororoba e essa roupa rasgada.

Mas você, você eu não sei.

Compartilhe!

4 Comentários on "O mais recente romântico."

  • anna diz

    sempre fui e não nego. e acho que já escrevi enciclopédias em código morse. talvez tenha gelado um pouco de mim na temperatura da água, ao invés de só me acostumar. mas tudo bem.

    ótimo texto, btw. =P

  • anna diz

    p.s. 5ª bolacha do pacote é MTO bom!

  • X diz

    dependente da miséria e êxtase que você despertou

Trackbacks

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *