Dez Anos.

Se me perguntassem, dez anos atrás, onde eu estaria hoje, sem dúvida alguma eu teria errado. Com 22 anos, minha percepção de mundo era bem distinta da que tenho hoje, que sem dúvida é bem distinta da que terei daqui a dez anos. Amadurecimento é isso aí. Eu acho.

Como você se vê em 5, 10, 20 anos é pergunta frequente em entrevistas de emprego, e visa reconhecer ambição, comprometimento, et cetera. Mas se tem uma coisa que aprendi nesses 10 anos é que por mais que queiramos, ou mesmo achemos, que vamos chegar em algum lugar, o mundo não liga a mínima. Simples assim.

Não que tenha feito planos, mas 10 anos atrás achei que o Cronistas Reunidos daria algum dinheiro. (Pausa para risada histérica). Achei que nós, pioneiros na Internet, acharíamos uma maneira de ficarmos ricos. Iriam descobrir a gente. Nosso “talento”. Não poderia estar mais errado. Não tínhamos nada para ofertar em troca de dinheiro. Nosso “talento” como cronistas era/é mediano, e não revolucionaremos o mundo da literatura.

Outra coisa que aprendi nesses 10 anos é que não existe amor pra sempre. Não como eu idealizava pelo menos. Sou um romântico, não posso evitar, mas a maneira simplista e utópica como enxergava o amor se transformou em algo muito mais sincero e verdadeiro. Algo que não depende do Cosmos, ou de almas gêmeas, depende de alinhamento de idéias, de buscar objetivos de vida semelhantes.

A última década me mostrou que sou mortal. Veja só, que imbecilidade, a única certeza que todos podemos ter e demorei mais de 20 anos pra me dar conta. Quando jovem sentia que não morreria nunca, ou melhor, morreria, num dia que nunca chegaria. Mas daí envelhecemos, e pessoas em nossa volta, mais velhas, começam a morrer. Começam com os avós, daí, de repente o pai de um conhecido morre, depois a mãe de um amigo próximo. Quando você menos percebe, já perdeu irmãos de amigos, ou seus próprios irmãos, de sangue ou não.

Minha mortalidade não me deixou com medo de morrer. Não sou apegado a vida. Mas me deu pânico de não viver. De deixar pra amanhã meus maiores desejos, e de repente, não ter amanhã. Não faço mais listas de coisas pra fazer antes de morrer. Faço.

Nem tudo é pessimista, como pode estar soando, não mesmo. Sou feliz como nunca, lido melhor com frustrações, me decepciono menos, sonho bastante, mas sempre com coisas a meu alcance.

E se por um lado realizei que como “cronistas”, não tínhamos um talento fora do comum, percebi que como “reunidos”, somos imbatíveis. Vivemos um casamento de 7 pessoas, todas diferentes, todas sinceras, todas complementares, nos vemos toda semana, e não vivemos um sem o outro.

 

Compartilhe!

5 Comentários on "Dez Anos."

  • Murilo Moyses diz

    Se eu não soubesse que esse texto era seu, diria que era meu…

  • Kris diz

    Um dos maiores elogios que poderia receber. Gênio.

  • Anônimo diz

    primeiro parabens pelos 10 anos.
    e concordo que é dificil achar um relacionamento com base na sinceridade e confiança.
    mas o mais dificil é o alinahmento de idéias e objetivos.
    e mais dificil ainda é achar isso e perder.

  • Rodolfo Rodrigues Soutto Borges diz

    texto legal, assim como disseram anteriormente, primeiro parabéns pelos 10 anos, e gostaria de lhe dizer q as vezes entro aqui, sou uma pessoa do interior de são paulo tenho 23 anos, não sou um gênio em nada, mas conheço o site e gosto das coisas q leio aqui, e somente acho que você deveria deixar a pagina um pouco mais atrativa .. com mais vida e mais cores, talvez assim mais pessoas lhe veja, e talvez assim você acabe tendo um retorno financeiro. apenas uma opinião. eu nem sei o porque eu entro aqui as vezes, e essa na verdade é o meu 1º comentario desde que eu conheci a pagina, e por falar nisso sabe como eu conheci a pagina?! eu simplismente digitei no google MAURO DIAS DE G FILHO, ai apareceu umas 2 opções ou 3 no maximo, esse era o nome do meu melhor amigo q morreu, e na epoca desorientado pesquisei o noem dele e quando econtrie aquie visualizei pela 1º vez eu pensei, meu…. esse cara era louco mesmo olha as coisas q ele ficava fuçando rs, mas ai li o texto q ele havia comentado é um texto antigo se nao me engano foi escrito em 2003 está aqui sobre um livro de RICA URSO se estou corrreto. enfim acho q ninguem vai ler isso, mas e dai rs .. isso é internet mesmo, me desculpe pelas abreviações todo mundo que posta aqui escreve tão corretamente. que a gente as vezes fica sem graça até de comentar, mas a pagina é ótima e os textos q leio aqui são fantasticos realmente fazem a gente refletir. e assim como meu amigoq vai ficar guardado pra sempre na minha memoria as vezes a gente faz coisas q acham q nunca vai fazer diferença nenhuma e no final você está ajudando muta gente e não sabe.

  • Johnson Carvalho diz

    Olá, acabei descobrindo esse site por acaso, e 3 anos depois do ultimo comentário, posto este em 2013, eu senti um dever em responder o texto acima, realmente é muito difícil fazer oque se gosta, no nosso caso escrever, e ganhar dinheiro em cima disso, mas só o fato de fazer as pessoas se identificarem com o que escrevemos, isso já me deixa feliz e completo, feliz por que de alguma forma me sinto responsável por arrancar lagrimas, sorrisos, risos e até algumas vezes já arranquei aplausos. Tudo isso já basta. Senti um grande carinho por tudo que foi escrito aqui. Dizem que uma imagem vale mais que mil palavras, mas uma palavra pode transformar mil imagens. Sou estudante de publicidade, 17 anos e amante da palavra, e deixo uma mensagem. Nunca desistam de escrever. A palavra é o nosso domínio sobre o mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *