A Vida de Raalah

Nossa história começa em 1978, em uma pequena vila do Tibet, quando uma pequena cesta foi deixada com um bebê na porta de um grande Sábio. Vendo o pequeno bebê em sua porta, resolve acolhe-lo, pois sabia que tudo tinha um por quê; e esse bebê havia um destino a cumprir. Assim, foi-lhe dado o nome de Raalah e logo iniciado seu aprendizado. Raalah aprendeu tudo sobre a bondade, a tradição, os ensinamentos de Buda e em poucos anos já havia aprendido tudo o que o grande Sábio poderia ensinar. Mas lhe faltava uma coisa: experiência de vida. Sabendo disso, o Sábio o manda vagar pelo mundo e aplicar os ensinamentos budistas para espalhar o bem para a humanidade. Raalah se despede de seu mestre e assim começa sua jornada. Paquistão, Turquia, Indochina, Malásia, Nigéria, Jamaica… e por fim… Brasil. Assim como os grandes colonizadores portugueses, Raalah começa sua conquista por paz e ensinamentos por uma região dominada por água de cocos, músicos que dormem em rede e políticos que ostentam grandes bigodes. Mas a situação estava um caos completo, e ninguém ligava pra suas mensagens. Começou a pregar uma mensagem de paz, mas foi pego repentinamente e acabou levando socos e pontapés de uma horda de garotos de rua fazendo arrastão. Se os garotos de rua não queriam ouvir suas mensagens de não à agressão, provavelmente os oficiais da lei ouviriam. Para sua infelicidade o pobre Raalah acaba levando mais socos e pontapés de uma horda de policiais reivindicando maiores salários. Vendo a situação piorar, Raalah foge pro interior, onde começa a fazer greve de fome a fim de chamar a atenção da população para seus ensinamentos. Infelizmente ninguém ligava para sua greve de fome, pois a população de lá tinha mais fome que ele. Decidido a melhorar a situação desse pobre país, Raalah toma uma atitude mais sensata (?) e resolve entrar para política. Mas ainda não consegue nada, pois ninguém ouve os políticos. Tenta aprovar centenas de medidas em favor da população carente, mas todas são rejeitadas. Entendendo melhor o mecanismo do governo, Raalah começa a fazer alianças e concessões a todos, tudo para o bem da população. Seu plano dá errado e acaba expulso do mundo político pela oposição, por achar as atitudes de Raalah muito “neoliberais”, e também pela situação, por acha-lo radical demais. Pensando ainda em ser ouvido pelo povo, Raalah tenta a paixão deste país: o futebol. Por sua grande força de vontade e disciplina, enfim consegue entrar para a Seleção! Infelizmente ninguém mais dava bola para este (agora) pobre esporte bretão. Persistência é uma virtude, então resolve mudar de tática, Raalah entra pra mídia! Consegue uma gravadora, o produtor arranja mais 10 músicos e 2 dançarinas e, após uma “pequena” modificação em suas músicas, alcança o estrelato com seu grupo de pagode “Raalah o Buda”, emplacando logo de cara os hits “Mexe o Buda” e “Buda da Peste”. O sucesso não durou muito, o grupo se desfez, uma das dançarinas virou apresentadora de TV, e o resto do grupo se separou de Raalah pra montar um grupo Gospel. A última notícia que temos de Raalah, são rumores em revistas de fofocas que ele poderá ser o novo apresentador de um quadro do programa Fábio Júnior ou então um novo personagem de “A Praça é Nossa”. Aguardamos o retorno do grande Raalah, para terminarmos essa história de grandes filosofias e ensinamentos.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *