A História de Mamundo

Sentado sob a sombra da velha jabuticabeira, o pequeno Josias esperava o momento em que sua mãe chegaria com seu bolo para comemorar seu aniversário. Era o filho mais novo entre 7 irmãos vivos. Enquanto matava umas formigas com os pés descalços, lembrava com carinho as histórias de seu avô Josimar. Sempre depois do jantar Josimar reunia todos seus netos para contar as suas histórias. Eram sempre as mesmas, mas Josias nunca cansava de escutar de novo e de novo. Histórias antigas, de veracidade duvidosa, mas contadas com tanto entusiasmo que ninguém resistia a dar aquela risada de canto de boca satisfaita no final. Eram histórias de como Josué (tatataravô de Josias) inventou a eletricidade, ou de quando expulsou os terríveis dragões que viviam nas cavernas ao sul da vila, mas a preferida de Josias era sobre da fundação de sua nação, chamada Mamundo.

Josimar sempre começava do mesmo jeito: “Se me lembro bem…” e continuava contando que antes do país se chamar Mamundo, havia 2 reinos. Serafim do Sul e Serafim do Norte, governada respectivamente por Serafião e Serafanel, dois ex-amigos de infância que brigaram por causa de uma mulher: Larisbela. Larisbela era de uma princesa de reino distante e seu pai ordenou que casasse com o governante do reino mais próspero. Serafião ainda embriagado pela beleza da jovem princesa ordenou imediatamente que dobrasse o horário de trabalho ao seu reino. Sabendo dessa notícia, Serafanel dobrou o horário de trabalho ainda transformou sábado em um dia útil. Serafião foi além e aboliu totalmente o final de semana. Serafanel acabou adotando as mesmas medidas: dobro de trabalho e sem finais de semana. E sem os finais de semana, todos os dias eram segunda-feira.

Com a eterna segunda-feira, os dois reinos juntaram mais riquezas que nenhum outro jamais imaginara possuir, mas acabou por causar graves problemas. Sem o domingo, os jogos de futebol acabaram; sem o sábado, a feijoada foi abolida; sem sexta, o happy-hour com a rodinha de samba nunca mais aconteceu. Com isso os dois reinos não conseguiram se classificar para a Copa do Mundo, a culinária perdeu sua característica de símbolo nacional e a música tão apreciada pelos gringos desapareceu. A alegria de toda a população morreu nos braços de Larisbela. Quando ambos os reinos estavam à beira de um colapso, os dois monarcas resolveram fazer uma trégua e re-estabelecer os finais de semana. Foram chamados os melhores matemáticos do mundo para calcular o dia da semana que estavam. Findo os cálculos, as semanas voltaram, com todas as suas sextas, sábados e domingos. Serafião disposto a engabelar Serafanel fez com que o dia em seu reino durasse 23 horas, assim, teria mais dias no ano. Serafião logo percebeu o engodo e diminui seu dia mais ainda. E novamente começou o embate, até que chegou a notícia que Larisbela acabara por fugir, contra a vontade de seu pai, com um príncipe pobretão, mas boa pinta. Nesse dia os dois jovens reis deixaram de lado suas diferenças e decidiram que o primeiro filho homem de Serafião se casaria com a primeira filha moça de Serafanel (ou vice-versa), para que assim os reinos se unissem. Anos depois a promessa foi cumprida. O príncipe Mariovaldo (primeiro filho homem de Serafião) se casa com a princesa Raimunda (primeira filha moça de Serafanel). E assim fundaria a nação de Mamunda. A história poderia acabar por aí, se não fosse um detalhe que o avô Josimar sempre contava no final: “Se me lembro bem…” Serafião e Serafanel havia restaurado os dias das semanas, mas esqueceram de restaurar as horas do dia, por isso em Mamundo o tempo passa mais depressa até hoje.

Josias não sabia se acreditava no avô com essa história do tempo passar mais depressa em Mamundo, mas era sempre gostoso escutar suas histórias. Sob a sombra da jabuticabeira pensava: “Será que ele vem para a minha festa de aniversário?” Mas no fundo sabia que o avô Josimar não perderia por nada o aniversário de 130 anos de seu neto caçula.

Compartilhe!

3 Comentários on "A História de Mamundo"

  • Dani diz

    Grande Little joe!

  • Sérgio diz

    Leopoldo sua imaginação é escabrosa (desculpe, não consegui achar adjetivo melhor…

  • Leopoldo diz

    O adjetivo q vc está procurando é “nerd”.

    Aliás, “nerd” serve para definir qq coisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *