Dona Maria e o Presidente Bush

Tudo começou com uma simples frase de Dona Maria: “Eu adoro o George Bush” e seguiu com a explicação: “ah, é q ele se parece tanto com o meu pai. Se eu o encontrar vou dar um beijão nele”. Claro que ninguém levou à sério o que aquela Maria falava, mesmo assim ela não desistia do seu sonho de dar um beijo no presidente dos EUA.

Dona Maria sempre possuiu uma mão de anjo para a cozinha. Só de lembrar a feijoada que fazia para a vizinhança toda aqui do bairro já me dá água na boca! E graças à esse dom, foi aceita (mesmo sem saber falar uma palavra em inglês) como cozinheira em uma comitiva de diplomatas brasileiros. Eles iriam para Washington em um Fórum Internacional, onde o presidente americano seria o convidado de honra. Claro que ela ficou excitada com a possibilidade. Ficou noites sem dormir pensando em como entrar em contato com o George Bush até que em um site descobriu o E-mail do presidente.

A humilde Dona Maria que não falava nada de inglês, pegou o dicionário “Português/Inglês” e começou a traduzir palavra por palavra: “Senhor Presidente, eu quero beijar você”. Por um infortúnio do destino (ou pela emoção do momento), Dona Maria se engana e digita:
“Mister President, I want to KILL you”.
Ela pressiona o botão “enviar” e vai dormir, afinal tem uma longa viagem até Washington.

Enquanto Dona Maria dorme, nem imagina que a mensagem é interceptada pela CIA, que começa uma investigação até descobrir o autor dessa mensagem terrorista.
“Oh, my God! Essa mensagem veio do Brazil! Mas alguém sabe onde fica o Brazil?” Indagavam alguns dos bravos agentes. “Brazil fica ao sul do México! You know… Samba, Pelé, Save the Raining Forest, like Sting used to say…” respondiam prontamente outros. “Fucking cucarachos!” bradavam os mais exaltados.

Quando a grandiosa inteligência americana descobriu que o E-mail veio da Dona Maria, ela já estava servindo sua tão famosa feijoada preparada especialmente para o banquete com o presidente dos EUA. Temendo que a feijoada estivesse envenenada por essa nossa falsa terrorista, os agentes da CIA intervieram prontamente:
“Mr. President! Don’t eat this “fayjoewara”! Eagle Team, do you copy? Arrest Maria now! Code Blue! Be careful, she may be dangerous!”
Por sorte, o presidente George Bush escapou ileso, mas a CIA não chegou à tempo de impedir que dois outros pobres diplomatas americanos comessem a feijoada da Dona Maria com aquela pimentinha arretada. Ambos foram hospitalizados em estado grave.

A Dona Maria foi levada ao Pentágono e interrogada à exaustão:
“Are you a terrorist? Do you know Bin Laden? Why do you want kill George Bush?”
“Por que eu quis beijar o George Bush? Ué, porque o homem parece com o meu pai.”
“Sorry, I don’t speak spanish.”
“Er… Bicause… He… He is dad man.”
“He is a DEAD man?”
“Yes, yes…”

Depois disso nunca mais tive notícias da Dona Maria. Ainda sinto saudades da sua feijoada com aquela pimentinha.

Epílogo:
George Bush depois do susto volta pra casa e vai comer um pretzel, que provavelmente deve ser bem mais seguro.

Compartilhe!

1 Comentário on "Dona Maria e o Presidente Bush"

  • paulo diz

    Aê, Joe, bem loco! Adorei a passagem do “dad man”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *