Previsões

Pode-se dizer que cada um de nós nasce com um dom. Há aqueles que sabem jogar futebol, outros plantam bananeira e ainda há aqueles que escrevem crônicas (não que eu seja um deles). Mas o fato é que Caroline nasceu com um dom especial: enxergar o futuro. Não como aquelas cartomantes enganadoras ou aqueles astrólogos que prevêem o óbvio. “Sinto que você tem um problema em seu caminho”,”Se você não tomar cuidado, algo ruim pode acontecer com você” ou “Alguém se apaixonará por você”. Ah, paixão! É esse o tema desse texto. Caroline previa mesmo o futuro, pelo menos previu a sua paixão.

Uma breve explicação sobre o dom de Caroline (ou apenas Carol). Suas previsões eram, diferentemente da maioria dos que dizem predizer o incerto, extremamente claras e precisas. O problema é que eram completamente aleatórias e fragmentadas. Não conseguiu prever que sua irmã passaria no vestibular, mas em compensação, sabia que no dia da prova ela sentiria vontade de ir ao banheiro exatamente 3 vezes, indicando inclusive os respectivos horários. Muitas vezes eram previsões absolutamente cotidianas, como a música que tocaria em seguida na rádio ou então sobre que roupa a Marcinha estaria usando amanhã. Outras vezes eram visões tão fragmentadas que ela não conseguiria interpretá-la, até que tal fato se concretize. Mas errar, nunca errava.

Sua sina começou aos quinze anos, quando ela teve uma visão. Dessa vez uma visão nítida e fundamental para sua vida. A visão da pessoa que seria a paixão de sua vida. Tinha certeza. Não sabia quem era, o que fazia, quantos anos tinha, quando iria conhecê-lo, mas sabia que seria uma paixão devastadora. Carol tinha uma vantagem sobre todos nós, pobres mortais. A cada minuto, a paixão de nossa vida pode passar despercebida por nós. Com ela não isso nunca aconteceria. Cada traço de sua fisionomia estava impressa em todo canto de sua memória.

Carol iniciou a busca por tal homem. Procurava pelas ruas, sem nunca o encontrar. Não conseguia manter nenhuma relação estável. Tinha medo de se apegar demais. De se entregar totalmente. Afinal, seu príncipe encantado poderia aparecer em qualquer instante. Sabia que ele apareceria. Tem que aparecer para tirá-la dessa sua infelicidade. Vai aparecer. Nunca errava.

É hoje! Acordou Carol com essa certeza. Tirou o melhor vestido, passou o melhor perfume e saiu confiante em finalmente encontrá-lo. É hoje! Nunca errava! Ansiosa, caminhou até o trabalho distraidamente até trombar com alguém. Era ele! Sim era ele! Suas pernas tremiam, sua garganta secou, seu coração ecoava de emoção. Isso é paixão? É paixão! Era exatamente como previu. A mesma fisionomia com que sempre sonhava.

– Você está bem? – Ele perguntou.
– Sim… er… Claro… – Balbuciava Carol.
– Certeza? Você não parece muito bem.
– Não, não… É apenas nervosismo… Eu… É que…
– Relaxa, não foi nada.

E assim, ele a deixou. Ela apenas sentou na calçada e chorou. Uma paixão avassaladora tomou conta de seu ser. Paixão por toda vida. Nunca mais o viu. Nunca mais o esqueceu. Nunca errava.

Compartilhe!

9 Comentários on "Previsões"

  • Juliana K. diz

    Nossa, acho que realmente gosto de suas histórias (ou estórias, como diria o célebre…Guimarães Rosa). Simples e verdadeiras, parabéns!

  • malena diz

    buá…emocionante…fiquei tocada…muito boa, Leo!

  • Camila diz

    Leo, muito boa. Mesmo!

  • Plinio Volponi diz

    Nossa! Que final depressivo!!!

  • Diego Henrique M. diz

    Eh… gostei… só que acho que todos nós esperavamos por um final mais feliz… hehehe

  • gerpo diz

    PERFEITO!

  • Coitadinha… snif… =óP

  • anninha diz

    Adorei, Leo! Perfeito.

    E não esperava por um filal mais feliz, não. Talvez quisesse, mas não esperava.

    Bem escrito.

  • Taiguara Rastelli diz

    Parabéns. Objetivo e original, mas não deixa de conter (ou levar a) reflexões comuns para todos, ainda mais quando se trata de paixão…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *