Por uma vida menos sedentária

Esporte é saúde. Pelo menos é o que dizem. Estava há tempos sem exercício físico nenhum, sempre com a promessa “semana que vem eu começo”. Freqüentava uma academia de bairro, esta, digna de comentários, em vez de pôsteres de homens e mulheres no auge do físico, ostentava nas paredes quadros do “Corcunda de Notre Dame”. Talvez por isso a academia tenha fechado. Ou talvez pelo fato que várias vezes em que eu chegava cedo, encontrava-a fechada, pois “O fio da muié, que toma conta da acadimia de manhã, teve um troço e ela foi levá o muleque no dotô pra mó di tirá umas chapa”.

Voltando ao mote principal da crônica, finalmente decidi largar essa vida sedentária que estava levando e resolvi correr no parque. Lá fui eu para o Parque da Aclimação, que apesar de morar mais próximo ao popular Parque do Ibirapuera, tenho uma relação mais antiga com o simpático bairro da Aclimação. Comprei até um tênis novo para correr, pus minha bermuda, minha camiseta velha e peguei as chaves do carro. Ok, eu concordo, é uma incoerência, embora fato corriqueiro em grandes cidades, ter que sair de carro para fazer exercícios físicos.

Chegando no parque defini uma meta: 5 voltas no parque. 3 voltas correndo e 2 andando. Como a extensão da pista de Cooper é de 1000m, então acredito que seja razoável correr 3km e andar 2km. Alonguei-me e pus a correr de imediato. Na entrada vejo a placa “Pista de Cooper Antônio Daoud – Homenagem dos usuários do parque ao atleta falecido em 6 de Maio de 1984 durante uma atividade esportiva”. Ótimo incentivo.

Primeira volta. Passo pelos guardas do Parque “Olá guardas!”, passo pelas quadras poli-esportivas “Olá quadras!”, passo por um casal namorando no banquinho “Olá casal namorando no banquinho”, passo pelas garças no lago “Olá garças no lago!”, passo por dezenas de pessoas caminhando e conversando “…sim, e você acredita que o Paulinho não quis entregar a prova no horário?” e um senhor com seus 55 anos e barba grisalha me passa correndo. Fim da primeira volta.

Segunda volta. Passo pelos guardas do Parque “Uf… Olá… Uf… Guardas!”, passo pelas quadras poli-esportivas “Uf… Olá… Uf… Quadras!”, passo por um casal namorando no banquinho “Uf… Olá… Uf… casal!”, passo pelas garças no lago “Uf… Olá… Uf… garças!”, passo pelas mesmas dezenas de pessoas caminhando e conversando “…não! e aí? O que você respondeu?” e um senhor com seus 55 anos e barba grisalha me passa novamente. Fim da segunda volta.

Terceira volta. Passo pelos guardas do Parque “Uf… Olá… Uf… Uf..”, passo pelas quadras poli-esportivas “Uf… Olá… Uf… Uf…”, passo por um casal namorando no banquinho “Uf .. Olá… Uf… Uf…”, passo pelas garças no lago “Uf… Olá… Uf… Uf…”, passo novamente pelas mesmas dezenas de pessoas caminhando e conversando “…pois é! E o pior é que depois o Paulinho…” e um senhor com seus 55 anos e barba grisalha me passa correndo. Fim da terceira volta.

Quarta volta. Passo pelos guardas do Parque “Uf… O… Uf.. lá… Argh… Uf..”, passo pelas quadras poli-esportivas “Argh… O.. Uf.. lá… Arf.. Uf…”, passo por um casal namorando no banquinho “Irc .. O.. Argh.. lá… Puf… Uf…”, passo pelas garças no lago “Eek… O… Argh… lá… Arf… Uf…”, passo novamente pelas mesmas dezenas de pessoas caminhando e conversando “…cada uma viu? Alguém devia dar umas palmadas no Paulinho…” e um senhor com seus 55 anos e barba grisalha me ignora completamente e passa impassível. Fim da quarta volta.

Quinta e última volta. Os guardas do parque me passam “Argh… Uf… Puf… Argh… Uf… Puf…”, as quadras poli-esportivas me passam “Irc… Puf… Arf… Argh… Uf… Puf…”, o casal namorando no banquinho me passa “Arf… Argh… Uf… Argh… Uf… Puf…”, as garças no lago me passam “Urc… Argh… Puf… Argh… Uf… Puf…”, as dezenas de pessoas me passam “…e ainda essa! Essa juventude de hoje em dia…” e o senhor com seus 55 anos e barba grisalha me passa 2 vezes! Filho da mãe! O cara não cansa? Como uma pessoa com mais que o dobro da minha idade, com menos cabelo na cabeça que na orelha, 2 pontes de safena e que só começou a correr por ordens médicas pode me ultrapassar assim? (embora seja bem plausível, admito que inventei o histórico desse senhor de barbas grisalhas) Esporte pode fazer bem à saúde, mas faz um mal ao ego…

Últimos 500 metros. Arf… Urgh… Uf… Irc… Arf… Puf… Argh… Uf… Argh… Puf… Puf… Uf… Ah… Urgh… Quase… Argh… Puf… Puf… Lá… Urgh… Uf… Irc… Arf… Puf… Argh… Uf… Urgh… Uf… Irc… Arf… Puf… Argh… Uf…

Enfim completei as 5 voltas. Cumpri o prometido: 2700m correndo e 2300m andando. Não era essa a minha meta? Aguardo o dia em que terei meu nome estampado numa placa: “Escada Rolante Leopoldo Joe Nakata – Uma homenagem de todos os sedentários ao mártir falecido durante um inocente cooper. Que isso sirva de lição à todos!”. Que venham as dores musculares!

Compartilhe!

8 Comentários on "Por uma vida menos sedentária"

  • Herminio diz

    Muito legal, principalmente a iniciativa.

    Mas devo dizer que também faço cooper frequentemente e mentalmente… e pode deixar que na proxima mentalizada vou dar um pau nesse cara de 55 anos…

  • Ricardo` diz

    Muito bem Joe,

    Que bom que pra escrever, pelo menos, vc continua bem em forma! hehe

    Ficou bem legal!

  • Engraçado… acho que eu já vi meu nome escrito num elevador, não lembro onde. Boa, léo!

  • Camila diz

    Como eu sempre digo: vida sedentária rule!!!

  • Rafael diz

    Não sei, achei sua crônica meio cansativa, hehehe.

  • Juliana K. diz

    hahaha…excelente crônica!!! Bem que dizem que pior do que um sedentário é aquele que insiste em ser atleta! Mas não se sinta desmotivado, quem sabe uma natação ou um tênis da próxima vez…ou mesmo o velho e bom futebol das quintas, hehehe…Mente sã, corpo são! E vice-versa!

  • Paulo R Vasconcellos diz

    Escuta, se na quarta e na quinta você supostamente estava andando, como que vc se cansou ainda mais? O certo seria o contrário. Ou vc tá mentindo ou está muito mal mesmo.

  • Maya diz

    Tsc tsc tsc…. tem gente que nao entende mesmo de esporte e sedentarismo…

    Eu estou com um acumulo de acido latico q eu vou te contar, Leo… Como doem as pernas… Mas eh compensador. Corra a Sao Silvestre comigo, um dia!

    Tenho um tio q me tira o sarro, falando q tem um monte de velhinhas de mais de 60 anos me passando na corrida (e tinha uma batchanzinha q realmente me passou loooonge ontem), mas tenho o orgulho de pelo menos completar a prova e comer pra kct no dia 01/01. Como vc nao tem essa preocupacao, bom…. corra soh por diversao, entao!

    Estou te esperando, heim!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *