O Palhaço Fedegoso

“O palhaço Fedegoso era o tataraneto de um dos maiores palhaços do mundo, o famoso palhaço Fandervorth (ele era alemão). Toda a sua família era de palhaços e palhaças. Passavam-se as brincadeiras, os truques e os ensinamentos de pai para filho, de tio para sobrinho de vô para neto, de marido para esposa e assim em diante. Era uma família muito grande e feliz, apesar de um ficar molhando o outro com aquela maldita florzinha que espirra água.

Porém, o palhaço Fedegoso tinha um grande problema, para um palhaço. Odiava crianças. Não suportava as pestes. Quando ele usava a florzinha, era sempre na maldade. A família preocupada, pagou terapia, tratamentos holísticos, homeopáticos, enfim, fizeram de tudo, mas nada adiantou. Fedegoso não podia ver uma criança que tinha crises. Nos seus piores momentos ele até se empipocava só de ver crianças.

Sem muita opção e pressionado pela família para continuar a linhagem de palhaços iniciada pelo grande Fandervorth, Fedego, como era chamado pelos amigos, saiu pelo mundo a procura da terra prometida (um lugar sem crianças).

Após sua fuga ele não teve muito sucesso, afinal nenhum dos 20 chefes que ele teve gostava do fato dele xingar as criancinhas, só por elas existirem. Fedegoso até mendigou, mas foi preso depois que bateu em uma criança que lhe deu uma esmola.

Na prisão, ele ficou muito famoso. Todo dia, na hora do almoço, ele fazia um show para seus companheiros de cela usando sempre a maldita florzinha. Um dia, um dos presos mais influentes, o “”Tripé””, procurou Fedê (novo apelido) e pediu-lhe que fizesse um show para seu filho, que iria mudar de cidade com a mãe e o novo marido. Ele, receoso e um pouco irritado, foi fazer o show, afinal, desafiar o “”Tripé”” não era bom negócio para ninguém.

Chegando à área de visitas, todo fantasiado, Fedê começa as estripulias e, para sua surpresa, a criança começa a chorar e corre para os braços da mãe.

– Mãe! Tira o monstro de perto de mim!
– Buááááááá!!
– O papai trouxe um monstro para me devorar!
– Buááááááá!!

Fedê saiu correndo, meio confuso, já que nunca tinha visto uma criança com medo de palhaço. Ao contrário, pois ele é que não suportava crianças. Ele ficou sentado por horas no pátio da prisão e não conseguia entender o que havia acontecido.

No outro dia foi falar com o diretor da penitenciária e pediu uma condicional para voltar ao circo. Depois de outras muitas consultas com terapeutas, Fedegoso volta ao Gran Circo de Berlim. Logo no seu primeiro show, no qual já conquista a criançada, sai aplaudido de pé. Depois do show quando perguntado pelos jornalistas o porquê de sua volta, ele respondeu:

– Vou me empenhar em fazer muitas crianças sorrirem, para apagar da minha memória o choro de uma só. Obrigado.”

Compartilhe!

3 Comentários on "O Palhaço Fedegoso"

  • Renata diz

    Bem vindo, Turcão!!!!

    A caricatura tá a tua cara!!!

  • Rafael diz

    Cara!!!! E o palhaço carequinha? Será que ele não gostava de crianças?

  • Marina diz

    Parabens bonitinho!!!! O palhaço e algum trauma de infancia? (Mais um)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *