Quem sabe um dia…

“Olha essas suas costeletas ridículas.

– Mais respeito, demorei anos para deixar ela assim.

– Perdeu seu tempo, já te disse que tá horrível!

– E você? Usa esse turbante amarrado na cabeça. Cogumelão!

– Opa! Olha aí, hein?

– Cogumelão! Cogumelão! Cogumelão!

– Fica quieto. Pelo menos tenho tudo inteiro aqui em baixo…

– Que nojo! Além do mais, assim, dá impressão de ser maior do que é.

– Se você precisa disso…

– HAHAHA, muito engraçado, aliás não tá na hora de fazer ginástica?

– Não é ginástica, é reza, seu coió!

– Você usa uma toalhinha e fica se mexendo… Isso me parece ginástica.

– Não é uma toalhinha!!!

– Dá na mesma.

– E esse chapeuzinho… Já falei que é coisa de bicha!

– Pára com isso! Sou muito macho!

– Não com esse chapeuzinho.

– Não é chapeuzinho!!!

– Senhores, aqui está a coalhada seca com kaft e o arroz sírio. Desejam algo mais?

– Sim, um copo de coca-light.

– Amanhã vamos jogar bola?

– Lógico. Aliás, eu vou…você não joga nada mesmo…

– Cala a boca e come essa coalhada!

Ninguém pode acreditar, mas esses dois amigos, um árabe e outro judeu, freqüentaram juntos aquele bar por muito tempo. Um bom bar na tranqüila Jerusalém. “

Compartilhe!

1 Comentário on "Quem sabe um dia…"

  • Anninha diz

    Na verdade, poder acreditar, podem, mas tem mta gente que não quer mesmo… Infelizmente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *