Vaquinhas Pastando

“Hoje eu olho no espelho e sinto saudades da época de criança em Ribeirão Preto. Saudade que nunca achei que fosse ter, já que me considerava senhor do meu próprio tempo. Mas, aos 23 anos, sinto falta de ter 10. Considero que a minha infância foi sensacional: eu brincava o dia inteiro. Brincava de Lego, de guerra de futebol, de bets (taco), de bicicleta e outras coisas mais. Não haviam limites, já que o limite era a imaginação. Essa imaginação, a de uma criança, não é corrompida como a nossa: pelo trabalho, convívio social, compromissos e outras coisas de adulto e acho que até hoje luto para não deixar essas coisas se intrometerem tanto.

Odeio lugares em que você tem que se comportar. Como assim me comportar? Qual o problema de imaginar que um dragão de três cabeças acabou de entrar no restaurante e meu super raio laser (o garfo) vai me ajudar a salvar o mundo? Qual o problema disso? A grande diferença é que um adulto precisa beber, fumar ou cheirar muito para chegar nesse nível de ausência de sobriedade. E quando isso acontece a cena não é bonita.

Você já andou do lado de pessoas que ficam falando como você deve se comportar? – Não fale alto! – Ande ereto! – Olhe para cima! Que vá andar sozinho então! O ser humano vai ficando chato com o passar dos anos. Às vezes, é necessário termos pessoas que não se desvencilharam da sua infância. Nesse caso, por exemplo, o Volponi é nosso guru. Ele, como bem disse o Rafael, tá sempre brincado ou sacaneando com alguma coisa. Lógico que ele tem seus momentos ruins, mas são exceção.

Vídeo Game. Lembra da cena da sua mãe parando em frente à TV quando você estava no última fase do Mário Brother e ia matar o Bowser? E, detalhe, você ia fazer isso antes do vizinho. Pois bem, até hoje eu adoro vídeo game e até hoje minha mãe faz isso…(adoro você mamãe)

A grande verdade é que nossa rotina infantil era mais flexível, a gente estudava de manhã, almoçava, fazia uma lição de casa meia boca e depois era só diversão… o tempo dava de sobra, dependendo do dia e das circunstâncias eu tinha tédio. Hoje, eu acordo e, quando percebo, já estou indo dormir…e a parte divertida do dia não é a maior…ela se torna exceção.

Agora, se você não entendeu o porquê do título das vaquinhas, eu explico. Quando minha casa em Ribeirão Preto ficava em um lugar isolado, cheio de terrenos baldios as vaquinhas iam pastar do lado de casa. Um dia, quando estávamos jogando bola, ela caiu do outro lado do muro e era minha vez de ir buscar. Eu era novo e pequeno. Fui passando pelas vaquinhas, peguei a bola e quando estava saindo do terreno eu escutei:

– MUUUUUUUUUUUUUUU!!!

Não tive dúvidas, sai correndo e fui para casa gritando:

– Mãe! Mãe! Socorro! A vaca está me chamando.”

Compartilhe!

3 Comentários on "Vaquinhas Pastando"

  • Rafael diz

    Você perdeu uma grande oportunidade de falar com ela.

  • Kris diz

    Cara, sinto em vc o mesmo que eu sinto…falta de VIVER…

  • luciana hakozaki diz

    Ô Murilo, larga mão de ser mentiroso, 23 anos tenho eu. Você tem a cara cinza de tão barbada, para de mentir a idade, e confessa, vc tem mesmo saudade de jogar pac man.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *