Crime Hediondo

“Sexta-feira à noite, onze horas e meia, no décimo quarto DP de narcóticos.

– Já tinha visto algo assim, delegado?
– Nunca. Em 15 anos de Corporação, nunca vi nada igual, Sargento.
– Isso é crime hediondo, não é?
– Não sei nem como classificar esse tipo de coisa. Só sei que me embrulhou o estômago.
– Metade da equipe vomitou, a outra tirou licença por 15 dias.
– Dias terríveis que estamos vivendo, Sargento. Dias terríveis!

Sexta-feira à tarde, duas horas, numa empresa.

– Maurão, você não acredita…
– Que foi? O que, Dedé?
– A Cidinha vai lá em casa hoje. É hoje! É hoje!
– Não acredito! Aquela gostosa? Na sua casa?
– Larga disso, Maurão, larga disso. Vou fazer um jantar bacana, com música ambiente, velas…
– Você e jantar bacana não combinam muito…
– Como não? Vou pedir uma pizza toda invocada…
– Hahahaha…haha..ha, desculpe…pizza?
– Isso, a melhor da cidade: aquele queijo derretido, tomate, orégano, hummm… acho que hoje vou comer bem, se é que você me entende, hehe.

Sexta-feira à noite, sete horas, na casa do Dedé.

– Oi, Cidinha! Entra aí. Sinta-se em casa.
– Nossa Dedé, legal seu buraco, hein? Brincadeirinha…
– Agora senta aqui, princesa, que eu vou pedir nossa janta.

Dedé já estava com tanta fome que nem sabia se ia querer sobremesa depois da janta. Passaram-se vinte minutos:

– Pronto, Cidinha, tá aqui a melhor pizza da cidade, espetacular.
– Legal, mas posso ir pegar um tempero na cozinha, Dedé?
– Pode, pode, eu vou lavar as mãos e já volto. Ah! Todos os temperos ficam na porta da geladeira.

Sexta-feira à noite, nove horas, na casa do Dedé.

– Teje preso meliante, já para o camburão.
– Mas eu sou inocente! Ela que começou, eu perdi a cabeça…
– Levem o meliante daqui. Sargento, venha comigo. Vamos examinar a cena do crime.

O delegado e o Sargento chegam na sala de jantar:

– Arghhh, eca, urghhhh… Meu Deus. Não é à toa que ele ficou louco.
– Manda chamar o fotógrafo, mas prepare o coitado, a cena não é bonita.
– Sargento, põe aí no laudo: o meliante foi lavar a mão enquanto a vítima foi buscar essas coisas na cozinha. O meliante volta para a sala, vê a vítima jogar, indiscriminadamente, essas, arghhh, coisas na pizza. Meliante perde a cabeça e espanca a vítima até a morte. Pronto.
– Agora vamos embora que eu não aguento mais ver isso.
– Vamos, delegado, vamos sim! Agora me diga uma coisa: aquilo na pizza, era maionese ou mostarda?”

Compartilhe!

2 Comentários on "Crime Hediondo"

  • Maionese na pizza? Aaaaargggh ! morra !

  • paulo diz

    bravo! O lugar pra quem põe catchup, mostarda e maionese na pizza é o xilindró!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *