O Rei do Verão

“O Verão é uma época do ano que de certa forma me agrada e de certa forma me incomoda. Uma dualidade compreensível, afinal a moderação é uma virtude, acho. Mas esse verão certamente está mais incomodo do que agradável. Isso por que depois de muito tempo ele voltou na minha. Eu achei que nunca mais fosse sofrer tanto com ele, mas me enganei.

Tudo começou no litoral. Alugamos uma casa, com piscina, churrasqueira e tudo mais que pessoas de férias podem querer. Só não contávamos com a chuva. E como choveu. No verão sempre chove, lógico, mas não me lembro de um janeiro com tantos dias seguidos de chuva como este.

Até aí tudo bem, você consegue pegar uma praia com o tempo nublado, nadar na piscina e até fazer churrasco. Existem essas e outras várias maneiras de passar o tempo sob a ira de São Pedro. E você fica torcendo para que a chuva passe o sol saia o mais forte possível.

Pois bem. Esse desejo se tornou realidade. De um dia para o outro o sol saiu. Quente como nunca, sozinho no céu, sem nenhuma nuvem. Maravilha, as férias vão começar. Ledo engano. Foi aí que ele, o famigerado, apareceu com toda força, em maior número e incrivelmente resistente.

O pernilongo. Alias, milhares de pernilongos. Eu odeio pernilongos. Provavelmente grande parte das pessoas normais também.

Eles começaram a aparecer aos montes, na casa, na rua e até dentro do carro. Não havia veneno, ar condicionado ou paciência que matasse todos eles. Repelente então só se você tomar um banho, pois ao sobrar um espaço sem o produto, ele espaço será todo picado, sugado e inflamado. Nessa ordem.

A conclusão é triste porém verdadeira, se você acha que depois da chuva vai ficar como um rei tomando sol, é melhor pensar de novo. No verão, o pernilongo é o Rei, e nós somos o banquete real.”

Compartilhe!

2 Comentários on "O Rei do Verão"

  • Ma diz

    Que mau-humor… Relaxa….

  • malena diz

    vai pro ES que lá é mais legal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *