Era só uma garrafa de vinho

“Ele acabara de entrar no apartamento novo. Caixas para todos os lados. Móveis amontoados. Pó, muito pó. Será que a Cremilda não limpou isso direito? Deve ter limpado. O caminhão de mudança é que deve estar imundo. Não há o que fazer. Começou o a abrir as caixas do bar. As mais importantes, lógico.

Na primeira estavam as garrafas de uísque. Entre cinco e oito, de várias marcas e anos. Não se pode acomodar com uísque. Separou as caixas e deixou uma delas para o pessoal que estava fazendo a mudança. Não são dos mais limpos e cuidadosos mas até são rápidos, pensou. Contou as garrafas, conferiu as quantidades e as guardou.

Depois veio a caixa com os copos, todos embrulhados em jornal. Vou ter que lavar tudo isso depois. Cremilda nunca tinha posto as mãos naqueles copos de cristal. Não confio meus copos a ninguém. São meus favoritos. Terminou de desembrulhar e constatou que não houve nenhum acidente. Todos intactos e sujos. Odeio sujeira.

Charutos. Chegou a hora de guardar os charutos Nem haviam tantos, eram mais os acessórios, alguns cachimbos, fumos, fósforos especiais e cartões de lojas. Nem sabia para que tinha guardado aquilo. É sujeira, vou jogar fora.

Alguém me disse que uma taça de vinho ao dia faz muito bem, mas outro me disse que ao abrir uma garrafa de vinho é preciso toma-la inteira no mesmo dia. Está aí uma contradição difícil de conviver com. Por definição sempre escolho a segunda opção. Reparou na caixa, estava cheirando vinho e tinha uma pequena mancha vermelha.

Desastre. Alguma garrafa havia se quebrado. Abriu a caixa com a pressa dos desesperados. Foi tirando garrafa por garrafa. O cheiro estava ótimo. É um vinho bom! Inferno. Lá se foi um vinho bom. Será que é dos franceses? Aqui está. Chileno. Mas justo esse?

Presente. De todos os vinhos, justo o que havia sido presente. Constrangedor. Era um vinho desconhecido para o meu paladar. Um vinho novo. Mas isso não importa. Era um presente. Só sentia o cheiro dele. Embrulhou os cacos no jornal. No caminho pensou, era só uma garrafa de vinho. Outras virão.”

Compartilhe!

1 Comentário on "Era só uma garrafa de vinho"

  • Van diz

    Mu,

    Tem certeza que não era miolo reserva???

    Beijo, van

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *