Conhecer o Sogro

“Chega um momento em que todo homem adulto, passível de reprodução, precisa conhecer o progenitor da sua companheira de sexo oposto. Esse momento varia de relacionamento para relacionamento. Pode ser na primeira semana, quando o casal é louco normalmente, ou pode ser depois de 2 anos, normalmente quando o pai da menina ameaça mandar matar o desgraçado que nunca aparece. De qualquer forma, em qualquer um dos casos, nunca é um momento agradável. Ninguém se sente bem, ninguém se diverte de verdade e quando termina todo mundo bufa: Ufa.

Eu lembro da minha primeira vez, ou melhor, da primeira vez que conheci os pais da minha primeira namorada. Eu era adolescente, não muito bonito e muito menos bem vestido. Gostava de rock e ficava o dia todo no computador. Tinha até mania de escrever textos num site com uns amigos. Era bem bacana, a gente escrevia sobre quase tudo, as professoras broacas, os colegas esquisitos, os acontecimentos em geral e logicamente, sobre mulheres, óbvio. A gente pensava 100% do tempo em sexo, fazer o que.

Era um sábado. Fui convidado para almoçar na casa da dita cuja, apenas com elas e os pais. Pessoas conservadoras da cidade. Iam me comer vivo, pisotear-me como se eu fosse um inseto. Mas fazer o que? Depois de dois meses, era o mínimo que eu podia fazer. Me lembro bem da casa, bom recuo, muitas janelas, plantas por todos os lados e dois cachorros bem grandes, isso está bem claro na minha memória, eram imensos, os cachorros e os dentes.

Almoçamos sem trocar muitas palavras. O pai mau olhou na minha cara durante o tempo da refeição. Falava com a filha, com a esposa e quando queria me perguntar alguma coisa não perguntava para mim, e sim para minha namorada. Triste. Terminado o almoço, que durou quarenta minutos, fomos até a sala de estar. Mal sabia eu o que estava prestes a acontecer.

– Pois então me jovem. Espero que você esteja tratando bem da minha filha, certo?
– Pai, isso é coisa que se pergunte?
– Ué filha, eu trouxe o rapaz aqui para conhece-lo melhor. Preciso saber o que, realmente, passa na cabeça dele.
– Mas não precisa envergonhar o Tito. Ele já está morrendo de vergonha.

Vergonha, que nada. Eu suava bicas. Ensopado de suor sentado num sofá de couro. Faltava pouco para começar a escorregar.

– Pois é meu jovem. O que você quer ser quando crescer?
– Engenheiro.
– Ah, entendi, vai passar fome.
– Querido, pare com isso! Deixe o menino em paz, ele está todo nervoso.

Nervoso, que nada. Ela tinha medo que meu suor estragasse o sofá novinho da casa. Só pensava em desaparecer, mas não era possível.

– Pois é meu jovem. Você conhece o site: www.cretinosagrupados.com.br?
– Sim senhor. Eu escrevo para esse site.
– Eu sei. Inclusive, durante a minha busca, sim, eu fiz uma busca, eu achei a seguinte frase: “”mulher mal comida é infeliz, faça um sacrifício e coma bem uma delas. Eles sempre melhoram o humor””
– Papai!
– Querido!
– Pois é meu jovem. Tenho apenas uma pergunta para você. Minha filha é feliz?”

Compartilhe!

8 Comentários on "Conhecer o Sogro"

  • Rafael diz

    eita.eita.eita.

  • Paulo diz

    Gente contente é feliz?

  • Kris diz

    um tanto quanto capciosa sua pergunta…

  • malena diz

    hahahahaahahahahahahahaahah

    demais!

  • van diz

    tô morrendo de rir!!!!!!!!!!!!!!

  • Sensacional, Mamute! PArabéns MASTER! Na boa, tou orgulhoso!! Mesmo!

  • diz

    Haveria referências ocultas a outros sites?

  • Gabi diz

    Huahuahuahuahuahuahua.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *