Praga de Cidade

São Paulo não é mais São Paulo. É sério. São Paulo, todo mundo sabe, é a cidade da garoa e locomotiva do Brasil. Faz tempo que não temos garoa por aqui. Quando a água aparece não é com a elegância da chuva fina, mas com o peso da tempestade. Também não podemos mais dizer que a cidade é a locomotiva do Brasil. Pela quantidade de gente amontoada nas ruas, nos ônibus ou em qualquer outro lugar, São Paulo é, no máximo, o trem de subúrbio do Brasil. Se essa cidade não é a da garoa, nem a locomotiva do país, não é São Paulo. Quem está se passando pela nossa metrópole?

O primeiro suspeito dos mais desavisados é o Rio de Janeiro. Trem de subúrbio é coisa deles, não é? Então. Só que o Rio tem mar e até agora não apareceu mar por aqui. O Rio está fora, assim como todas as outras cidades brasileiras – pequenas demais para os números de São Paulo. O impostor deve ter mais ou menos o mesmo tamanho do desaparecido. Descartamos Tóquio por motivos óbvios e Nova Iorque porque, bem, depois de setembro ninguém tem dúvidas de sua localização. Como o centro de São Paulo está mais ou menos no mesmo estado que as ruínas romanas, a cidade estranha em que temos vivido poderia perfeitamente ser a Roma de outros tempos reencarnada. A tese ganha mais força quando comparamos os restos do Coliseu e do Estádio do Pacaembu, mas dois detalhes põem tudo a perder: o Senado deles era na cidade, o que não é o nosso caso, e no Coliseu aconteciam coisas emocionantes, o que não é o caso do Pacaembu. Outro fantasma que pode ter decidido baixar por aqui é o do Egito. Além de também sofrer com a aridez, foi, como nós, um dos poucos gigantes governado por mulheres. E há ainda a séria suspeita de estarmos sendo vítimas de pragas.

Sendo esse o caso, Deus com certeza está muito mais puto agora do que há alguns milhares de anos. Não só porque a maldição está sendo mais longa, mas também pela maior crueldade dos castigos. Ao invés de sangue, os rios viraram cocô. Os sapos não brotam das águas, mas da TV, e invadem nossas casas travestidos de príncipes e princesas. As bolas de fogo não vêm do céu; desta vez estão muito mais perto do chão. Explodem dentro dos capôs, queimando nervos ao invés de plantações. Nas ruas, buzinadas curtas e agudas prenunciam hordas de gafanhotos que se movem freneticamente entre os carros parados. A escuridão aqui dura bem mais do que três dias; o apagão já tem mais de 90. Isso sem contar as pragas mais corriqueiras, a que já nos acostumamos: uma população só de primogênitos – todos mimados e egoístas – e moscas em volta de sacos de lixo.

Pensando bem, estamos sofrendo muito mais do que os egípcios. São Paulo ainda deve ser São Paulo. Só que mais gasta, desfigurada por causa das provações. Afinal, ao contrário do que aconteceu lá, aqui não está tendo nem discriminação de credo. Essa linha dura assusta. Não dá para saber quanto tempo ainda vai durar o tormento nem arriscar o número exato de pragas. Mas o pior mesmo é pensar que não vai aparecer nenhum profeta para abrir o mar de pedágios entre São Paulo e uma terra prometida qualquer.

Compartilhe!

9 Comentários on "Praga de Cidade"

  • Dani diz

    Paulão, você TEM que passar aqui pro lado da criação. Güenta que eu faço o lobby.

  • Renata diz

    Dani,

    Relaxa… Também acho que ESTA pulada de cerca poderia ser muito vantajosa… Dou a maior força. Mas que ele vai apanhar, ah, isso vai. Poxa, se não em quem eu vou descontar minha agressividade reprimida? : )

    Ah! Gostei do seu blog, viu? Botei um comentariozinho na campanha dos “bobo-alegres”. Abaixo os bobo-alegres!

  • Renata diz

    Poxa… gostei do primeiro comentário…

  • Paulo diz

    Dani, acho que eu pularia a cerca aí pro lado de vcs sem pensar ….

    hehehehehehe

  • Dani diz

    Cerca praticamente pulada. Aguarde + informações.

  • Renata diz

    Peraê! Vamos parar com essa história de pular a cerca, por favor???!!!

    (Namorada ensandecida.)

  • mamute diz

    Bom falando do texto, que é o mais provável neste espaço, queria dizer que achei muito boa essa analogia com as pragas do egito, mandou muito bem Paulão! Congratulations.

  • Dani diz

    Pode ficar tranqüila, Renata. Só pretendo tirar seu namorado do lado de um monte de cuecas e colocá-lo ao lado de três redatoras. :o)

    (pelamordedeus, é brincadeirinha.Não bate no moço não. É que sinceramente eu acho que ele deveria estar escrevendo no lugar de programar site)

  • Paulo diz

    Uma troca para lá de vantajosa, diga-se de passagem… :D

    ( é, não bate em mim não! )

    Ah, e Rafa, valeu!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *