Engraxate

– Vai graxa?
– Como é?
– Perguntei se vai graxa.
– ….
– Olha, só estou perguntando se o senhor gostaria de engraxar seus sapatos. Não é nada demais.
– Não, eu sei. Quer dizer, não é nada demais, mas é, entende?
– Assim, não muito, né?
– Eu fiquei surpreso porque não achei que ainda existissem engraxates.
– É, não sobrou muita gente nisso, não…
– E você é muito novo para ser um resistente….
– É que o ponto era de um velho que eu ajudava. Aí ele se aposentou e eu fiquei com esse cantinho.
– Sei. Faz tempo?
– Tem uns dois anos, só.
– Dois anos, é?
– É.
– Engraçado…
– Por que?
– Trabalho aqui faz mais de um ano e não lembro de ter visto você nenhuma vez.
– Ah, é que o senhor deve tá sempre apressado….
– É, deve ser isso. Aliás, bom que você tocou no assunto. Já gastei tempo demais aqui.
– Ih, mas que bobagem. Tempo não se gasta…
– O que é isso agora? Filosofia de rua? Vai dizer que meu tempo é o que?
– Investimento.
– Ah, bom. Investimento. E posso saber porquê?
– Olha só, é que pega mal terno caro com sapato barato, né? E o senhor deve concordar que sai mais em conta dar uma engraxada do que comprar novo.
– …
– Quinze minutinhos, só dez real.
– Tá bom, vai. Mas rápido!
– O senhor manda! A lojinha é logo ali, ó.
– Legalzinha essa sua barraca.
– É. Melhor do que ficar carregando a caixa de um lado para o outro, né? Sem contar que não tenho que sair correndo se começa a chover.
– Bem pensado.
– Tem umas revistas aí do lado se o senhor quiser.
– E novas ainda por cima…
– É…
– Olha só isso!
– O que?
– Parece que esqueceram um livro aqui.
– Qual?
– Uma coletânea de ensaios sobre literatura…
– Ah não, não esqueceram, não… Esse é meu.
– Seu???
– Assim, na verdade é do Beleza. Eu só estou lendo.
– Beleza?
– É. O Beleza é aquele velho doidão com a banca de livros usados aqui na frente. Ali, ó. Tá vendo?
– Estou….
– Pois é, ele é meio maluco mas é gente fina. Sabe aquele povo que foi hippie nos anos 60? Então, o Beleza é um desses. Acho que já li quase todos os livros dele.
– Sério?
– Sério. Ele não liga. Na real? Acho que até gosta de saber que alguém tá lendo.
– Quer dizer que você lê, então? Impressionante….
– Muito! Leio o que me cai na mão, sabe? O melhor é que o Beleza vive fazendo uns rolos, então sempre tem alguma coisa nova para eu pegar.
– Legal…
– E o senhor, lê muito?
– Não, não sou muito fã, não. Leio só o que preciso…. Jornal, relatório, essas coisas.
– Nem um livrinho de vez em quando?
– Um ou outro, bem de vez em quando….
– Ah, o senhor não sabe o que tá perdendo…. Tem tanta coisa boa. Se quiser posso indicar uns legais. O Beleza faz baratinho….
– Não tenho tempo para ficar lendo. E depois, não sinto a menor falta.
– É que eu nunca tive oportunidade, sabe? Sem os livros do Beleza, eu não ia saber nada de nada… Mas cada um é cada um, né?
– Ainda acho que eles não fazem muita falta, não. Nem para mim nem para você.
– Ué, como não?
– Você diz que aprendeu um monte de coisas nos livros, não é? Mas e aí? Isso ajudou no que?
– Bom…
– Eu digo no quê. Em nada. N-A-D-A.
– Ô, não é verdade.
– Claro que é! Se livro servisse para alguma coisa, eu é que ia estar engraxando o seu sapato. Mas não serve, então você vai ler, e ler, e ler a vida inteira e continuar na mesma.
– ….
– Olha, não me leve a mal, mas o mundo é assim.
– O senhor é que manda.
– …
– …
– Vai demorar?
– Já tô acabando. Só falta uma coisinha.

Dizendo isso o engraxate cuspiu no sapato para dar uma última lustrada.

Compartilhe!

7 Comentários on "Engraxate"

  • O post do Paulo Vasconcellos sobre teu estilo é verdade, Paulão. Uma ironia fina e sutil. A gente tem que tomar cuidado pra não ler muito levianamente, e perder o texto. Que bom!

  • Os diálogos envolvem e viciam… Um abraço aqui do interiorrr com pão de queijo, guaraná mineiro 180ml e paçoquinha – duas – pois ajuda na criação e na procriação!

  • Paulo diz

    O problema é acabar sutil demais, né, Volpa?

    Mas a gente vai tentando…

    hehehehe

  • paulo roberto vasconcellos diz

    Cruel, mas verdadeira. Infelizmente, nesse país o saber não é moeda de troca valorizada.

    O brasileiro prefere ser a Carla Perez do que o Mindlin. E eu não estou falando das classes mais baixas não. É isso aí, Paulão, dedo na ferida!

  • Renata diz

    Opa! Bom, vou assinar embaixo dos comentários do Vasconcellos também. Paulão, seus textos dão o maior prazer de ler. Prazer de ler uma coisa bem escrita, elegante e com estilo.

    Sobre este aqui… bom, este é bem aquele do travo amargo na boca.

    Boa, Paulão!

  • Dani diz

    SENSACIONAL!!!

  • Ricardo diz

    Puxa … demorei pra ler porque sabia que precisaria de tempo pra digerir o texto ,… mas foi bem pior do que eu pensava. Muito bom, Mamute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *