Céle(b)res

– Möet?
– Hmm. Não, ´brigada.
– Só um “oi” então?
– Olha – se virando – eu… Você! Nossa!
– Surpresa?
– Mais ou menos. Nem devia, né?
– Não. Se a festa é boa, tô lá.
– Esta aqui é uma festa boa?
– E não? Tem mais flash disparando do que bolhas nesse champagne que você não quis.
– Agora fotógrafo é critério de festa boa? Fala sério.
– Não é só fotógrafo, não. Olha em volta. Som bombando, gente bonita. Você.
– Ó…
– Juro, você tá linda!
– Mesmo?

Foto: ele e ela próximos, sérios; ele com dois copos na mão.

– Pronto, começou.
– Você acha que dá a capa dessa semana?
– Não sei.
– Ia ser a sua segunda seguida. Acompanhada nas duas.
– Verdade.
– Aliás, você ainda tá com o –
– Não, não. Ele tinha umas issues, né? Nem sei por que rolou.
– Acontece direto.
– Soube de você também… Aquela?
– Ih, até era, mas ó…
– Ahã, sei.
– Tô te falando. Não tá comigo, não. – apontando – Olha com quem ela tá.
– Como pode?!?! Ele –
– Eu sei, eu sei. Mas isso faz um tempo. Foi você, aí –
– Aquela sua antes dessa com ele, não é?
– Não, não. Rolou uma outra antes… Lembra aquela que eu fiquei? Depois da gente?
– A… ? –
– Isso! Então, ela, depois a ruiva, do teu tatuado…. Aí, essa.
– Mas por que você –
– Ah, ela era, assim, meio, sei lá, imatura. Entrava numas de “eu, eu, eu” que nem rolava. Você me conhece, sabe que aqui isso pega. Comigo o lance é a gente, nós, casal 100%, tipo, dois corações que são um só, entende? Ou nada.

Foto: rosto dos dois próximos, ele falando, ela sorrindo; ela com um dos copos.

– E você; por quê?
– Mesma coisa. Ele vivia numa mega egotrip, não sabia dividir, priorizar. Que nem, eu também tenho minha carreira, mas como você disse, tem o “eu” e tem o “a gente”, e eu também acho, tem que ser parceiro, ir a festas, pô, entender. É o meu trabalho.
– Total.
– É, mas quer saber? Esquece. Porque eu olho é para frente. Foi importante, mas não era ele, não era ele. Beleza. A fila andou.
– Andou, é?
– Andou. Tô apaixonada.
– Que bom… Quer dizer, se você tá feliz, e tal….
– A gente tá superbem. Fomos esquiar num spa e tudo. Coisa séria, viu. Mas diz aí… Você?
– Felizaço. E seriamente comprometido.
– Sabia! Nunca aparece em festa sozinho. Conheço?
– Todo mundo que tava no país esse mês conhece.
– Ah, não, não a-cre-di-to. Cadê?
– Por aí, com a assessoria. Ele?
– Tirando umas fotos para os patrocinadores, mas já, já, volta.

Foto: os dois em silêncio, olho nos olhos, rostos quase colados; os copos cheios e efervescentes.

– Mas –
– É –
– as agendas são complicadas –
– Umas manias que a gente não sabia –
– Enfim…
– Não tinha tanto futuro assim –
– A gente fica se enganando –
– Só que o coração; não dá para mandar
– Sentimento é sentimento –
– não rola ficar controlando –
– A vida é curta…
– Total…
– É, foi, sei lá… eterno…
– … enquanto durou, eu sei!

Foto: os dois se agarrando, num beijo que não deixa dúvidas; os flashes superam as bolhas nas taças.

Compartilhe!

4 Comentários on "Céle(b)res"

  • malena diz

    Gostei!

  • ADOREI!

    Já começaram a filmagem? E quem serão os atores?

    Um otimo roteiro!

    ..vc NÃO vai dirigir o filme, né?…ou vai?!?

    mais uma vez parabens!..de verdade eu gostei

    abreijos

    Mára

  • Mila* diz

    Um ritmo muito bom… adorei!

  • José Ignacio diz

    Aplaudi e urrei de alegria, foi um elogio espontâneo, sem ninguém para ouvir, diante da pura beleza da obra. Demais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *