Negociação

– Oi…. hum…. Guichê dois?
– Qual o seu número?
– Cinquenta e seis.
– Pode sentar.
– Obrigado, eu –
– Um minuto.
– ….
– Sua ficha diz que o senhor quer encerrar seu relacionamento conosco.
– É verdade, eu –
– Qual o motivo?
– Bom, não tem um motivo específico, quer dizer, tem –
– Porque vejo aqui que o senhor está conosco há muito tempo.
– É, a vida toda. Praticamente, né? Desde –
– No cadastro não consta também qualquer tipo de problema prévio.
– De fato não –
– Nem da sua parte nem da nossa. Parece que o senhor cumpre com as suas responsabilidades. Nós cumprimos com a nossa.
– Bom, aí é que está. Nem tud –
– Entendemos que sempre haverá motivos para queixas, é o preço que se paga pelo tamanho dessa operação. Mas não acreditamos que qualquer uma delas possa motivar um rompimento. Então.
– Então?
– Explique.
– Dinheiro! O problema é que –
– Claro. O senhor está querendo dizer que nossa tabela é abusiva.
– Não, não, acontece que –
– A estratificação de acordo com a condição de cada associado torna os preços praticados justos para todos. Os valores são definidos segundo critérios objetivos e são de conhecimento público.
– Pode ser, só que –
– O senhor –
– Não tenho dinheiro! Não dá para continuar.
– Contudo o senhor há de convir que solicitar o cancelamento é uma atitude radical.
– Fiz trocentas contas: outro reajuste, não dá.
– Acreditamos que com uma revisão de sua rotina o senhor ainda tem condições de honrar seus compromissos.
– Minha rotina está sendo revisada há anos. Simplesmente não dá.
– Essa postura é contraproducente. Podemos ajudá-lo, mas apenas se o senhor quiser ser ajudado. Sempre há luz no fim do túnel.
– Tem, mas… paga taxa, sab –
– Se o senhor estiver disposto a deixar os lamentos de lado talvez possamos pensar em soluções efetivas. É preciso persistência para chegar até a última gota.
– Também pago imposto por isso, entã –
– O senhor insiste. Se faz tanta questão de jogar seu relacionamento conosco no lixo –
– Incinerador. Lixo é taxado tamb –
– Caso sua intransigência seja final e de fato não haja interesse por apólices de outro tipo –
– Não tenho, obrig –
– Pedido deferido: considere terminado seu envolvimento com o Brasil.
– Perfeito, obrig –
– Última coisa. O senhor está ciente das implicações da ratificação da solicitação sobre seu patrimônio?
– Patrimônio? Que patrimôn –
– Nossos registros mostram que o senhor possuía bens. Houve sinistro?
– Sim, pode-se dizer qu –
– De qual natureza?
– Deu PT –

Compartilhe!

3 Comentários on "Negociação"

  • Mára Pezzolo diz

    Como é gostoso ler você!

    Voce conseguiu transpor varias situações em seu textos.Posso ler como se fosse o relacionamento entre :amigos, homem/mulher,e por ai vai. Como uma situação incomoda como o cancelamento de um cartão qq pode conter tanta filosofia!

    Obrigada,Mestre, pela Luz no fim de tudo…pq aqui tb de PT.

    abreijos

    Mára

  • Rafael.... diz

    Texto fluente como outras vezes. Muito bom.

  • Ricardo diz

    Caramba Paulão. Você me driblou nessa. Conseguiu montar um texto com a mesma densidade “Pauleana” de sempre disfarçada de um diálogo de comédio romântica. SHOW DE BOLA! Muito bacana mesmo! Pabaréns mano!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *