O Futuro

A televisão já foi considerada um dos maiores eventos do homem. Vislumbravam-se as possibilidades de alcançar as pessoas que você nunca conseguiria se tivesse que fazê-lo fisicamente. Possibilidades de ensino a distância, transmitir a cultura entre os habitantes de sua nação e por que não do mundo.
Pois bem, hoje temos todas essas possibilidades……….e o que fazemos com elas ?

Subutilizamos a capacidade do veículo, ou até, inutilizamos esta capacidade. Experimente ligar o seu aparelho televisor. Eu liguei e posso dizer que minha experiência não foi uma das melhores que já tive.
Era sábado a noite, dia 2 de setembro (eu acho). Chovia muito e, então, liguei a TV. Na telinha, a primeira coisa que surgiu foi a transmissão da campanha Tele Ton, transmitida pelas redes associadas (SBT, Cultura, Gazeta e Bandeirantes). Parecia um bom começo, afinal era uma campanha beneficente – nada mais louvável. Porém, não resistindo à vontade intrínseca de “zapear” os canais, troquei para a rede Globo e deparei-me com o festival da música brasileira. Lá estava Gabriel, “pensador”, cantando suas rimas geniais como : “a aha arrebita a carrapeta…” , ou então, “maresia, sente a maresia…….uuuuuuuúú….”. Indignado voltei para o canal inicial e vislumbrei uma comédia televisiva pois o padre Marcelo estava cantando e dançando suas músicas de louvor a Deus (nada pessoal). Não totalmente satisfeito, “zapeei”, novamente, para a Gazeta, onde tive a verdadeira compreensão da democracia: Sérgio “malandro” e suas malandrinhas apresentavam o concurso das “Popozudas”.

Tudo isso no mesmo horário, simultaneamente. O festival da música brasileira é uma piada, ninguém está lá para participar de um festival, e sim, para tentar galgar degraus mais altos na carreira. Não existe Festival da Música brasileira, existe um concurso de música, algo mais próximo de um concurso do Faustão do que de uma reedição de algo que já teve seu tempo.

A campanha do Tele Ton tem todo respaldo e mérito, claro – foi apenas uma coincidência de horários. Padre Marcelo é quase um pop star, bom seria se fizesse um exame de consciência, meditasse um pouco sobre o que faz e o que quer fazer com essa popularidade.

O programa da Gazeta não merece comentários. Após esta sessão de aprendizado sobre a liberdade de expressão, eu pergunto: Qual o uso que estamos fazendo da tecnologia que criamos? Tudo que se sonhou para a televisão não existe.

Compartilhe!

2 Comentários on "O Futuro"

  • Auri diz

    Olá…..

    Talvez alguem possa ajudar-me preciso comprar o chocolate toblerone de 400 gramas vc sabe onde encontro…..se for possivel agradeco muitissimo a ajuda. grata

  • Auri diz

    Agurado retorno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *