Ode ao Futebol

“Vi dois siri jogando bola. Vi dois siris bola jogá.” Quando o Tatu me perguntou: que é que achas de jogá pra lá? E respondi: só não vou lá, porque lá, não sei jogá.
Passa a bola pro cabrito que é certeza de gol, ele é sujeito que não fica fazendo besteria, feito seu Ricardo, aquele mesmo Teixeira. Posso garantir que do meio eles não vão passar, meu volante é um cavalo come mato e só faz bo….. como um tal de Eduardo Costa que mal sabe passar. A defesa tem dois porcos que de dupla são um só, castigam a coitada da bola, igualzinho ao Roque, que dó. A seleção é quase invencível. Não ganha do Alagadinho da baixada, perde pro Manguezal, não vence ninguém, …………. invencível.
Também pudera, pavão na esquerda correndo feito um perú. Todo orgulhoso empinando seu rabo, toda hora toma por entre as pernas, curtas como Robeto Carlos. A jararaca é a artilheira, não pula em bola rasteira. É boa mesmo de cabeça, correu, lançou é gol. Bola alta, peixinho, é gol, é bola na rede. Mas e os peixinhos? Todos na arquibancada. Torcida é o que não falta, tem peixe e peixa, baixo e alta. Dentro do campo tudo nos conforme, bem ou mal a gente aceita nosso papel, o que o time precisa é um goleiro eficiente, feito Tafarel. O zebu é grande mas não dá conta do recado. É só chutar que entra: de frente, de costas, de lado.
Fora das quatro linhas é fofoca e baixaria. O galo que saiu com uma chester e o perú com a galinha. Pra concentração, que é bom……. ninguém vinha. Marcelin e Passarin se põem de vítimas, dizem que não estavam lá. Dizem que a culpa é do bode Luxemburgo que há pouco se livrou do Leão, mas logo, outro entrou em seu lugá. Sai bode, entra Leão até que chega um tal de Felipão. Puro sangue dos Pampas. Sabe onde fica Tubarão? Sabe, então andas. É depois.
Já bebemos Coca-cola, usamos Nike e agora o guaraná. Brasil, ame-o ou deixe-o. Mas que há mutreta, há. Tudo bem, não estamos uma maravilha. Só não podemos perder da Argentina, o resto a gente dá um jeitinho, afinal, vem aí o Ronaldinho. O fenômeno, o tal; que nos faz acreditar que o futebol do Brasil, ainda é animal. Tanto aqui quanto lá. “Vi dois siri jogando bola. Vi dois siris bola jogá.”

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *