Criatividade tem limite

Eu tentei, mas não consigo mais esconder. Eu já não consigo, mais, pensar em nada engraçado. Na verdade eu até consigo pensar mas escrever já não dá mais. Talvez seja a síndrome da criatividade. Sempre ouvi falar mas nunca acreditei. Pra mim, era tudo papo furado de publicitário decadente; imagina, de uma hora pra outra você começa a se achar pouco criativo e começa a realmente tornar-se aquilo que mais teme ser: pouco criativo.
Por mais que eu tente contar uma história qualquer não sai nada realmente engraçado; nem um pouquinho engraçado, eu posso chamar. Ultimamente eu só tenho pensado em catástrofes ou papos muito sérios e consequentemente ……….

– Caramujos!

….. consequentemente eu escrevo sobre pensamentos filosóficos, sobre a vida e a morte, sobre a existência humana. Não que eu escreva bem, ou tenha um raciocínio lógico maravilhoso, mas como pauta, só saem coisas sizudas, assuntos de natureza complexa. Eu tentei escrever sobre o Pum. Tem coisa mais banal e terrena que o Pum? Acabei enveredando por um lado totalmente metafísico do gás e acabei falando do sincretismo cultural da …….

– Onde estão os Caramujos!?

O caso é que eu estou ficando – realmente – preocupado com a minha capacidade. Acho que estou passando por uma fase de depressão na qual o meu superego inibe o meu, blábláblá …….. a quem estou querendo enganar?
Bom, o mais difícil é começar a escrever e isso eu já fiz, pelo menos, até agora. Mas sempre tive problemas com finais. Se o texto fosse bem-humorado teria um final surpreendente que faria as pessoas acharem graça e rirem da improbabilidade do fato, do fim. Mas até pra isso eu estou com dificuldades. Veja só você, não consigo começar um texto engraçado e quando consigo começar um texto qualquer não consigo achar um fim imprevisível que seja cômico ou inesperado. Acaba que eu tenho que fechar com conclusões burocráticas e abertas – e portanto, não concluem nada – sobre o devir e a ………

– Mas que droga! Cadê os Caramujos!?

…. a insensatez das coisas. Tema muito preocupante que afeta milhares de jovens em início de carreira ……. ah!!!! estou fazendo de novo ……. droga. Para terminar eu podia, mesmo, simplesmente escrever fim e acabar com toda essa coisa de texto bem feito, bem amarrado, coeso ou coisa parecida. Simples: Fim. Será que alguém já pensou em fazer isso …….? Quando chega o fim da história você só precisa dizer fim, a história é sua mesmo. Mas eu queria algo mais inesperado pra tentar sair da banalidade dos textos que tenho visto – lido.

– Mais que droga! Onde é que estão meus Caramujos? É tão difícil comer nesta cidade ……..

Compartilhe!

5 Comentários on "Criatividade tem limite"

  • Kris diz

    Acho que em vez de coqueiros deviamos ter caramujos….

  • Dani diz

    Vocês podem encomendar escargots pra festa de um ano dos Cronistas…

  • anninha diz

    Nossa! Deviam muito ter encomendado escargots para a festa, com um detalhe, tinham que encomendar de mim, tá?!?!?! Qualidade garantida! *rs*

    Caramujos, caramujos e sempre caramujos… *rs*

  • herminio (?) diz

    Caramujos reunidos: ontem a casca estava grande, gigante, infinita! Sempre caramujos!

    Aleluia irmãos! Aleluia! Oito caramujos numa casca só! Aleluia! E viva o Roberto! Aleluia!

  • Ricardo diz

    É mamute,

    é a metalinguagem sempre salvando a gente nesses momentos desesperadores. Embora vc, provavelmente, nâo concorde, o texto ficou bem bom!

    Vamos que vamos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *