Arroz e feijão

Você gosta de arroz e feijão. Eu sei, todo mundo gosta. Meu vizinho adora o feijão mais grosso, encorpado, já lá em casa, o Feijão é bem aguado, mas o arroz é Cardeal, sempre. Quase Papa, ele gruda nos dentes e causa uma sessão de risos toda vez que alguém come e logo em seguida pretende falar alguma coisa. Mas quer saber? Cansei de feijão com arroz. E pior de tudo é encarar o feijão com arroz imaginando um suculento strogonofe. Droga. A gente faz tudo certo na vida, quando faz uma coisa besta, inesperada, pronto. Pode esticar a palma da mão e esperar a crucificação. Poxa, eu juro que não queria fazer aquilo, mas sabe como é, coisa de homem, coisa de estômago, não dava pra evitar.

Dava, sim. Mas eu esperei tanto por aquele momento e agora eu ia deixar de lado? Você não entende, você devia ficar feliz por mim, eu realizei meu sonho de anos e anos e você não compreende. Uma coisa não impede a outra, foi momento, realização e pronto. A realidade continua sendo você todo dia, dia-a-dia.

A gente nem combina direito, você gosta de coisas totalmente diferentes das coisas que eu priorizo ou admiro, nem dá muita chance pra gente se entregar; enquanto tudo o que eu quero é estar nos seus braços. Como a gente continua isso? As coisas estão muito difíceis pro meu lado, mas entenda: você teria feito a mesma coisa se a situação fosse inversa.

Não adianta negar porque ninguém é de ferro e você acabaria sedendo. Eu só acho que você poderia ser mais compreensiva e tentar entender a minha angústia, e talvez a minha sina. Quem sabe eu não tenha mesmo merecido este castigo e você só está aqui para me mostrar isso. Quem sabe.

Eu pretendia te dar tudo, tudo o que você nunca experimentou ou teve coragem de fazer, dar experiências para você, ficar gravado na sua memória pra sempre como uma boa lembrança. Era por isso que eu te queria, pra te fazer feliz, e você sabe que eu era o melhor pra você mas mesmo assim não me viu. Deixou o orgulho falar mais alto e seguiu em frente, não se importando com os outros e nunca se importou mesmo.

O fim é assim mesmo, não começa, só acaba. Ninguém nunca soube de onde ele veio e nem como veio. O certo é que quando ele vem, finda. Agora é recolher os cacos e seguir a vida, tanto pra você quanto pra mim. Eu precisava escrever isso antes de deixar você, de deixar todos vocês.

Por aqui termino o que nunca teve seu início como deveria ter tido tempos atrás quando, no balcão, você me ofereceu a cadeira ao lado para comer o prato feito do Jerônimo. Tinha um feijão delicioso, acho que porque era requentado, ficava bem grosso, cremoso. O arroz não ficava atrás, soltinho, de grãos grandes e estufados, macio. Um dos melhores pratos de arroz com feijão que eu já comi. Mas um dia o arroz e feijão cansa.

Compartilhe!

3 Comentários on "Arroz e feijão"

  • Gorette diz

    Mas que incompreensiva! rs Claro que arroz e feijao todo dia cansa… ( no dia em que não estiver afim…fique sem comer! rs) (brincadeirinha…)

  • Nicamu diz

    Tá reclamando do arroz e feijão daí? Imagina o daqui do Japão! É doce! rsss….

    Adorei a sua crônica!!!!

    bjo gde

    saudades

  • Nicamu diz

    Dê um tempero novo para o seu feijão, venha para o Japão!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *