Lendas Urbanas

Márcio era casado com Márcia, coincidências da vida, talvez até uma brincadeira de mau gosto, mas era assim; Márcio e Márcia, sempre juntos. Isso já era motivo de constrangimentos. Há cinco anos isso fazia parte de uma corriqueira situação, já conheciam todo o tipo de brincadeira ou piadinha, mas a educação sempre lhes deu um sorriso como resposta mais imediata.

Márcio não era assim um galã cinematográfico, muito menos o mocinho da “novela das oito”. Modesto quanto a beleza, era um sujeito simples e divertido que adorava sair com os amigos pra contar histórias e reviver peripécias do tempo de ginásio. Foi em uma destas saídas que Márcio conheceu Márcia. O Dudu que apresentou: Márcio, Márcia – e foi instantânea a brincadeirinha e os sorrizinhos.
Márcia era bastante humilde quanto a sua possível semelhança com Gisele Bünchen ou qualquer outra sex simbol, na verdade ela estava mais pra espanta-soluço que pra modelo e atriz. Passando na frente de qualquer obra ela já havia se acostumado a ouvir alguma coisa como “chuta, chuta que é macumba!”, mas nunca dera bola pra essas coisas, afinal o importante é ser bonita por dentro. Balela. Mas no fim, eu diria que formavam um casal excêntrico. Até que jeitosinho.

O único consolo do casal era que pelo menos o filho estava garantido. Foi, então, que o rebento nasceu. Marcelo era o nome – e qual outro seria?. Surpresa! O moleque era feio, mas feio que não acabava de tanta feiúra. As pessoas vinham todas felizes esperando encontrar um bebê lindo e sorridente – é, além de feio era mau humorado – e encontravam Marcelo. Para Márcia foi a gota d’água.

– Mas Márcia . . .
– Pra mim já chega, era só o que me faltava.
– Mas querida o que é que está acontecendo?
– Você sabe muito bem o que está acontecendo . . . .
– Não sei n. . . . .
– o que está acontecendo é que o nosso filho é feio demais.
– Mas meu amor o que importa é que estamos feli. . . . .
– Eu sou feia! Você é feio! Porque o nosso filho não saiu lindo?
– O que é isso? Porque ele dev . . . .
– Vai falar que você não conhece a história que pais bonitos filhos feios, pais feios filh . . . .
– Calma meu amor . . . . . . . . . . . . . . . . . ei? Como assim pais feios?

Compartilhe!

8 Comentários on "Lendas Urbanas"

  • Rafael.... diz

    Sim os fatores genéticos são a parte misteriosa das “lendas Urbanas”, rs

  • Marcia e Marcio.

    Só pra vc saber Rafael,temos,eu e meu marido,um casal de amigos com esta concidencia.E exatamente com estes nomes Marcio e Marcia-alias otimos amigos!A coincidencia com teu texto pára por ai.O resto?Nem de longe!

    Agora, dá pra explicar aqui pra mim que raio de fatores geneticos são estes?pais feios e filhos bonitos?

    Todos os filhos são lindos!

    E não provoque a ira nesta mãe de familia que te escreve…

    abriejos! e grata pelo texto!

    Mára

  • José Ignacio diz

    Na sociedade ocidental pós-moderna, fatores genéticos são a nova desculpa para explicar qualquer coisa. Qual será o gene para “cronista”?

  • malena diz

    cá entre nós, todo recém-nascido é muito feio! vai ver eles não deram tempo suficiente pra atestar a beleza do moleque. Vai q depois de 5 meses ele fica bonito…

  • Mára Pezzolo diz

    Rafael, bom dia!

    Posso usar seu espaço mais que democratico,diria ser um Àgora para seus leitores e conversavaiconversavem com os cometaristas também?Ou o espaço é do tipo “famiglia”?Sim porque,caso não saiba, familia prá dar certo so funciona na base da ditatura.Tenho uma e sei como é.A ditadora sou eu, claro.

    Ou terei que apelar prá e-mails mesmo?

    Espero sua autorização; caso não receba qq notificação,tomarei o silencio como concedida a liberdade de expressão!

    abreijos( e vê se se alimenta direito tá?)

    Mára(49)

  • Rafael.... diz

    Espaço democrático desde sempre. Fiquem à vontade!

  • Caro Jotaicemene, colega de leituras deste acolhedor espaço!

    Notei seu comentario e como já me foi dada a autorização para que comentasse seu comentario

    (tá ali em cima ó!tá assinada e tudo pelo dono do espaço/livro/cronico aqui!)pois fiquei deveras intrigada com o seguinte fator: causas geneticas.

    O “pós-moderna da sociedade” também me deixou com a pulga atras da orelha, mas não tanto quanto o “causa genetica” seguida da indagação “qual será o gene pra cronistas?”

    desde que li sua pergunta venho tentando encontrar a resposta, mas nem aquele morador de rua que vive com uma lanterna na mão, mora num tonel,e se recusa a tomar a banho , creio que seu nome é “filosofo”, conseguiu responder.

    E atrelada a esta questão ( gostei da palavrinha atrelada!soa legal.)deixo outra.

    Qual é o gene pra definir “leitores cronicos de cronicas?”

    agradeço se alguem conseguir indicar a luz no fim do tonel..digo tunel!

    abreijos Jotaicemene!

    Mára

  • Jéssica diz

    Oie!! demorei pra comentar,né?! mas já tinha entrado faz tempo! gostei mto das histórias!! entrarei sempre!! mto legal ter conhecidos vcs! Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *