Cachorros, mulheres e homens

– Cara…eu tava pensando…
– Jura? Cuidado…
– Sério! E tava vendo uma reportagem dos cachorros…falava que eles se parecem muito com os donos, saca?
– Sei, sei…tipo o cachorro que é Buldog e o dono tem umas bochechonas e tal…
– É; mais ou menos isso. Aí eu fiquei puta intrigado e desenvolvi uma teoria.
– Cara! Você tá avançado nesse troço de pensar, hein?
– … é uma teoria sobre as mulheres.
– Mas não era sobre cachorros?
– É, mais ou menos. Por exemplo: todo cachorro tem dono, certo?
– É, tem uns vira-latas soltos na rua e…
– Você tem mulher?
– Tenho, mas e daí?
– E daí? Você não entendeu?
– Quase…
– Pô, assim não dá. Tô contando duas novidades e você nem pra acompanhar?
– Duas?
– É. Uma: eu tô pensando. Duas: eu tenho uma teoria.
– Tá certo, conta ela então pra ver se eu entendo!
– Seguinte; a teoria é praticamente aquela dos cachorros só que com as mulheres.
– Cara, isso vai pegar mal. A mulherada não vai gostar de ser comparada a…
– Você não tá entendendo. Presta atenção.
– Tá, fala.
– Todo cachorro tem um dono, ou melhor; todo cachorro que tem um dono, parece com ele segundo a reportagem.
– Sim, e daí?
– E daí que todo cara como eu ou você, que tem uma mulher; também se parece com ela.
– Cara, sinto muito mas eu sou homem e não tenho os peitos que a Márcia tem.
– Nã! Todo cara como nós acaba se parecendo não fisicamente, sua besta! Mas o jeito de ser e de agir.
– Tá dizendo que eu sou chato!
– Não, não é nada disso…quer dizer…
– Pô Claudião, vai se catá!
– Chato no jeito bom da coisa, Carlô.
– Que jeito bom? Meu! Isso não tá certo não, cara! E a nossa amizade!
– Vê só Carlão; o Dininho. Como é que ele é? Chapado, beberrão, de longe é o mais bêbado de nós. E a Marisa? Vai falar que nunca viu ela deixar as meninas bêbadas e continuar com a gente, alí, enchendo o caneco!?
– Hum, verdade; o Dininho nem bebia muito na época da faculdade.
– Viu só?
– É, mas isso não quer dizer nada…
– O Vado? O cara faz MBA, curso de especialização em WorldTrendEntrepeneurshipmentForever e ainda dá consultoria pra ONG sei-lá-o-que.
– Verdade!
– A Mariana faz o quê?
– Pô, a Mari quase perdeu o bebê porque estressava de tanto trampar e tal!
– Tá vendo?
– Hum…
– O Biro é a mesma coisa. Todo descolado, cabelo blackpower, tatoo no braço inteiro…
– E a Verinha com aquele cabelo todo estranho, meio moicano; com uns piercings no peito e…
– Epa! No peito? Cara, como você…
– Calma, calma, foi ela quem me disse, nem sei de nada não.
– Pô fod…; e o Rodriguinho com aquele jeitinho engomadinho, todo executivo.
– Executivo “Master”
– Master?
– É…tipo: muito executivo.
– Ah, tá! A Fernandinha nem precisa falar, né?
– Patricinha!
– Patricinha!
– É verdade Claudião, nunca tinha reparado, cara!
– Pô, tô falando! Eu tava pensando, cara!
– Esse negócio de um parecer com o outro e tal…
– E o Rubão, hein?
– Pô, o Rubão…
– Esse é gostoso!
– Esse é gostoso!

Compartilhe!

4 Comentários on "Cachorros, mulheres e homens"

  • anninha diz

    hahahahaha…

    deveria mudar o nome para “teoria sobre mulheres e homens cachorros”.

    a-do-rei!

    queria era saber quais as qualidades que “pegou” da sua senhora…

  • Genial Mamute ! A Teoria, e o final da Crônica! Show!

  • Senhora diz

    Que tipo de qualidade ele “pegou”, isso eu infelizmente não posso dizer em público, querida Anna.

  • Camila diz

    Nem preciso dizer que fiquei com a pulga atrás da orelha para saber como e quando ele chegou a essa conclusão das semelhanças. Enfim, adoro quando as crônicas desse mamute me surpreendem, arrancando minhas risadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *