Erro Fatal …

Os computadores fazem, cada vez mais, parte de nossas vidas. Querendo ou não somos obrigados a nos acostumar com eles, seja num caixa eletrônico de banco, no nosso trabalho, escola, ou até na cancela de um estacionamento qualquer.

Mesmo as pessoas mais refratárias às mudanças, já estão se acostumando aos computadores, e vendo que não há como escapar dessa tecnologia. A Humanidade está sendo dominada pela tecnologia, mas, infelizmente, não podemos dizer que a recíproca é verdadeira.

Por mais que aumentemos nossos conhecimentos e desenvolvemos novos produtos, os computadores continuam tendo respostas inesperadas nas piores horas, e comportamentos indesejados sempre que possível.

Dizem os grandes técnicos que a informática nunca foi uma ciência lógica, muito pelo contrário, a nossa vã filosofia, a todo tempo, é subvertida pelos softwares, plataformas, linguagens e todos aqueles outros termos de difícil compreensão.

Muitos tentam explicar e resolver os problemas com grandes teorias , novas linguagens, versões betas e outras coisas que nunca acabam funcionando como o desejado e ainda acabam criando novos problemas. Outros se conformam e apenas aprendem as técnicas de defesa pessoal para redução dos efeitos provocados por um “pau” ou “tilt”, para os mais antiquados. Nestas técnicas estão os famosos Ctrl+Alt+Del, além do “reset” e outras palavrinhas tão meigas, que já fazem parte do vocabulário de qualquer criança de 5 anos.

Não sou um grande conhecedor de informática, e, nos computadores, isso é o que menos me fascina. Uso um micro apenas como uma ferramenta, um meio para produzir algo. Porém, como trabalho há um bom tempo com pessoas que conhecem tudo de informática, e de um jeito ou de outro, sempre estive envolvido com isso (desde o Atari … ou melhor, do Genius), tenho minha teoria sobre a principal causa de todos os problemas um computador.

Semântica ! Exatamente, isso ! Responda rapidamente para mim: quantas vezes você apertou a tecla “Enter” do seu micro realmente desejando Entrar em algum lugar ?!!

“Enter” em inglês, segundo meu dicionário conectado tecnologicamente à internet, significa:
Enter – v. entrar, anotar, penetrar.

Por mais que o computador tente, é impossível fazer tudo certo sendo contrariado tantas vezes. Contrariedade tal, que só pode ser comparada aos garçons de rodízio.

Se pararmos para analisar a computação, no início não havia a tecla “Enter”, existia o bom e velho “Return”, e eu pergunto agora: Quem se lembra de uma operação fatal com direito a tela azul em um TK-3000, ou num APPLE que usava a linguagem Logo com aquela maldita tartaruguinha, heim ?!?!

Pois é leitores, os computadores são na verdades, coisas que trabalham o tempo todo negando tudo em que acreditam, são palmeirenses obrigados a cantar o hino do rival alvi-negro durante toda a jornada de trabalho. É inevitável que as operações fatais ocorram a todo momento, não é todo chip que é psicologicamente preparado para isso.

Talvez se os teclados e sistemas fossem adaptados pela função do usuário, os nossos problemas seriam resolvidos. Se o usuário fosse digitador, ao invés de “enter” haveria a tecla “return” ou “parágrafo”, se fosse um usuário de computação gráfica simplesmente “Ok”, e assim por diante. Deste modo, reduziríamos o sofrimento dos computadores, e nós, teríamos a nossa paciência finalmente poupada.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *