Metade de Mim

Algo está faltando aqui. Sinto que algo maior do que eu penso está faltando em mim. Olho minhas mãos. Cadê minha mão direita? Cadê meu braço direito ? Minha perna ?! Metade de mim sumiu!

Eu ainda me sustento como se tivesse todo o corpo, mas sei que só tenho metade. Andando pelas ruas ninguém percebe. Amigos, familiares, conhecidos … como ninguém me alertou ?! Metade de mim sumiu!

Tento falar com alguém, num momento oportuno. Ninguém me ouve. Todos me vem inteiro. Muitas vezes sinto partes de mim se reconstituindo, mas de uma forma diferente. Isso não sou eu. Cadê aquela metade de antes? Metade de mim sumiu!

Caminhando, passo em frente de uma vitrine qualquer, numa calçada qualquer. A imagem refletida está inteira. Como um vampiro as avessas. Minha imagem está intacta, talvez por isso ninguém fale nada. Mas não estou inteiro. Metade de mim sumiu!

Vou trabalhar, uma guerra idiota acabou com o trabalho. Agora tenho mais tempo pra olhar pra mim. Sem espelhos. Sinto muito, Ricardo. Metade de você sumiu.

Por alguns momentos me vejo inteiro de novo. Ufa, voltei. Mas não, é só pele, não tem nada por dentro, e essa superfície frágil, quando eu menos espero, explode, revelando, nos piores momentos, a verdade. Metade de mim sumiu!

Um dia, quem sabe, a pele voltará a revestir algo inteiro e maciço. Real. E aí, novamente, a imagem voltará a ser fiel ao corpo. Por enquanto, espero. Olhando no espelho e torcendo pra que o meu reflexo inteiro, acelere a minha reconstrução, lenta e vagarosa, doendo um pouquinho, sarando um pouquinho. Aos poucos, porque agora: Metade de mim sumiu!

Compartilhe!

15 Comentários on "Metade de Mim"

  • Nossa, essa frase foi tão pontual e definitiva (Mulher dificilmente leva fora), que me fez me sentir o último dos brucutus e a chata número 1. Em 29 anos tenho um histórico considerável de rejeição. A não ser que eu só me relacione com uma raça mais evoluída de homens – o que duvido bastante.

    Ah, e eu ainda prefiro a metade que falta. Expôr o nosso vazio é sempre corajoso.

    Depois eu leio todas as suas crônicas, Kris.

    E vou pensar se comento. :o)

  • Kris diz

    Acho que o seu problema não foi uma raça mais evoluída de homem. Foi uma menos evoluída pois rejeitar uma mulher que tem capacidade de argumentação nos últimos tempos é extrema burrice.A maioria não sabe nem falar…

  • Ricardo diz

    Daniela,

    Eu sei que foi meio machista, mas piada sempre é politicamente incorreta, a mulher leva fora sim, mas o homem se submete ao ridículo com maior facilidade (por isso fica mais fácil tirar um barato), além disso estou numa fase em que não consigo ver esse tipo de situação de outra forma (vide Metade de Mim … hehehe). E não se subestime, fora é que nem briga. O cara que apanha nunca esquece, e o que bate, depois de um tempo, nem sabe mais o que aconteceu. hehehe

    Obrigado pelos elogios,

    Beijos !

  • Anninha diz

    Metade de mim tb sumiu há um tempo atrás, mas a metade que ficou era mais calada e bastante menos consciente que a sua.

    A capacidade de auto-exposição é certamente o caminho mais inteiro e centrado de reconstruir ou achar a metade que hoje lhe falta.

    O texto está lindo.

    Bjo.

  • Gostei muito dessa sua metade que estava faltando. O “Hein?” é genial. “Cantando no chuveiro” que tem uns toque mezzo machista. Porque quando B quer e A não, é diferente?

    Mulher leva fora sim. Bonita ou não.

  • Kris diz

    Mulher dificilmente leva fora. Os homens são muito fracos pra dar um fora. Muito primatas. Veja por exemplo o Bill Clinton…

  • Kris diz

    Ahhhh, outra coisa….eu prefiro a metade que sobrou do que a que faltou

  • Renata diz

    Bom, só posso dizer que mulher leva fora, sim. Talvez menos do que homem porque se expõe menos, fica esperando o cara chegar. Aquele papo de convenções sociais e blá, blá, blá. Eu também tenho meu histórico, pequeno justamente pela falta de dar a cara pra bater.

    Enfim… As duas crônicas estão muito legais. Ricardo, fiquei te imaginando (calma, da forma mais respeitosa possível!!!)no chuveiro, a água caindo na cara e mal te deixando falar… Muito engraçado…

    A “Metade de Mim” está linda, linda, linda. Me emocionei pacas. Parabéns!!!

  • Leopoldo diz

    Pô Ricardo!! Simplesmente Genial a “Metade de mim”… Não faz mais isso não… Pq é meio boiola falar q eu me emocionei com texto de outro cara… Mas genial mesmo! E sincero! Muito bom!

  • Ricardro diz

    Bom gente,

    Só posso agradecer os comentários e o apoio de todos. Leo, fica tranquilo que boiolice é coisa de cara que faz comunicação e escreve crônicas (ops!!).

    Obrigado!

  • Sérgio diz

    Você ganhou o prêmio Oswaldo Montenegro “Metade…” (desculpe a piadinha cretina). qq forma, tá muito legal.

    Esse negócio de A e b é muito louco. faltou a hipótese B querer e A ser tão sonso que não consegue perceber.

  • Gabis diz

    Ri, já escrevi mil vezes o meu comentário neste espaço mas não consigo achar palavras que expressem o que quero te dizer. Acho que vou te mandar um beijo estalado na bochecha e um sorriso então…sempre fui melhor em espontaneidade do que com palavras… sei que vc sabe o que quero dizer. gabis

  • Ricardo diz

    Serjão, fica tranquilo, adoro essa música dele! hehehe

    Valeu!

  • paulo roberto vasconcellos diz

    Acho que essa crônica de metades está gerando efeitos colaterais. Tem gente comentando duas crônicas no mesmo espaço. O serjão tem razão, o mais engraçado mesmo é quando B quer e tonto do A nem percebe. E o lance das metades, pra ser sincero, não entendi muito bem. Acho que metade do cérebro sumiu devido ao consumo alcoólico.

  • paulo roberto vasconcellos diz

    merda! digitei errado. É “metade do MEU cérebro sumiu devido…” Foi mal. E desculpa o palavrão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *