Ajude a CNCAMEHGSAFFTA

Não há como negar o nível da produção dos filmes norte-americanos. Você pode não gostar dos roteiros, atuações, trilhas sonoras e até direção. Mas na qualidade de produção, não temos como negar que eles estão muito à frente de qualquer outro país.

Aviões, helicópteros, prédios explodindo, casas monumentais, carros-sonho voando pelos ares, celulares inventados especialmente para um personagem, tudo que eles fazem tem o nível máximo de perfeccionismo e precisão.

Até nas cenas internas eles não fazem economia. Lustres de 1 milhão de dólares, escadas de mármore, pianos caríssimos que nunca serão tocados, etc e tal.

A única coisa que não evolui nos filmes, e não há nenhuma explicação para isso, são os telefones das cozinhas (americanas, obviamente). Estamos no século 21, um órgão humano foi clonado (morreu, é verdade, mas que foi clonado, isso foi), a internet dominou o mundo, a tecnologia chegou em um nível espantoso, e todos os telefones de cozinha, nos filmes, ainda tem aquela maldita extensão helicoidal gigante que separa o aparelho do fone.

Será que eu sou o único ser humano que não percebe um erro de cronologia nisso! Esses telefones foram ótimos nos anos 70 e 80, quando inventaram a necessidade de se conversar ao telefone, cozinhando.

Posso até admitir que esse erro continuasse no começo dos anos 90, já que os telefones sem fio ainda não eram muito eficientes. Mas hoje ?! Se você for assistir qualquer comédia romântica recém produzida, pode ter certeza: aquela maldita lombriga helicoidal gigante que separa o aparelho do fone estará lá, e branca, ainda por cima !

Há uns 4 anos atrás, eu me incomodei tanto com esse assunto, que comprei uma extensão dessas e instalei-a no meu quarto. Não tenho palavras pra expressar o dissabor dessa experiência. Quantas vezes não me encontrei totalmente mumificado por aquela maldita coisa, com o fone apoiado na orelha, gritando desesperadamente por socorro, e a pessoa do outro lado da linha aflita perguntando: Em quanto eles estão?! Eles estão armados?!

Não há diretor, roteirista, produtor ou qualquer outro que me convença que esse tipo de aparelho não destrua com a caracterização de qualquer cozinha contemporânea. É como ter uma vitrola na casa do James Bond, ou ver o Neo do Matrix atacando um dos Vigilantes com um tacape.

Produtores de longa metragem, pelo amor de Deus, USEM O TELEFONE SEM FIO! E vocês, queridos leitores, me ajudem a acabar com esse mal terrível, na CNCAMEHGSAFFTA (Campanha Nacional Contra Aquela Maldita Extensão Helicoidal Gigante que Separa o Aparelho do Fone nos Filmes que Tanto Amamos), e saiam do meio de qualquer filme que esse monstro faça uma aparição. Afinal, se teve gente se mobilizando pra deixar o Alexandre Frota na Casa dos Artistas, porque nós não podemos fazer isso!

Compartilhe!

6 Comentários on "Ajude a CNCAMEHGSAFFTA"

  • Anninha diz

    Amei!!!!!

    Quero fazer parte desta campanha, apesar de nunca ter usado o monstro do qual estamos falando. Vou até colocar um link na minha HP p/ apoiar! Precisamos acabr com este mal, afinal, ö diabo mora nos detalhes”, não é?! Vamos matá-lo, então! *rs*

    Ficou ótima Ri! Bem de cronista-louco-pela-sétima-arte!

    Bjos helicoidais (sem mau caminho! *rs*)

  • Já que é para lutar contra aquela maldita extensão helicoidal gigante que separa o aparelho do fone nos filmes que tanto amamos, acho que a gente também pode se unir contra uma coisa mais grave – que tenho visto com uma certa freqüência: o AMMQOEVTPDCPSASDC, aquele maldito microfone que o editor vagabundo teve preguiça de cortar porque só apareceu por alguns segundos na cena (Em Erin Brocovich – é assim que se escreve?- ele estava lá. Meninos, eu vi).

  • Ricardo Alter diz

    Ri…. toda modelo tem sua joanete. Tuda super produção tem sua extensão helicoidal. Adorei a crônica. Agora, Dani… o famoso microfone já faz parte da vida de hollywood… é como procurar o geninho durante os episódios de Shiha!!! (É assim que se escreve Shiha?)

  • Anninha diz

    Lembrar do geninho que a gente (eu pelo menos) vivia procurando nos raio do desenho foi golpe de mestre! *rs* Eta memória boa!

    E realmente, os microfones são o fim da picada, estão lá de aparecidos que são! Acho que eles pensam: “Pôxa! Eu colaboro tanto pros filmes e nem me dão uma pontinha da tela! Vou me esticar e aparecer a força!” Tadinhos!!! *rs*

  • É She-Ha, rapaiz!!! Parece que nunca assistiu TV !!!

    (Mas só há pouco tempo é que me dei conta de que esses nomes parecem “SHE-HER”, que nem o “HE-MAN”. É ideologia nas nossas cabecinhas infantis, e fios helicoidais nos enervando… heheeh…)

  • paulo roberto vasconcellos diz

    Uma causa de tamanha importância exige o meu apoio incondicional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *