Moral da História

-Mama no quiero comer mas huevos, quando tengo hambre me dá com hue …
-Nosssssa senhora … que música é essa ?!
-Los pericos, papito, o próprio refrão já diz o nome: Mama no quiero comer mas huevos.
-Que mama no quiero comer pechugas, o quê ?! Cé tá bem louco?!
-Por quê? Eu curto Supla desde a época que ele fazia par romântico com a Angélica nos filmes do Trapalhões, e todo mundo sempre me chamou de babaca, agora o Brasil inteiro canta Japa Girl em drum’n bass, e isso é legal. Estou à frente do meu tempo, amigão…
-Mas Los Pericos é sacanagem …
-Mais ou menos, forró sempre foi coisa de “baiano”. Quando eu voltei de Caraíva com aquele CD de forró da raíz, toda galera de chamou de ridículo pra baixo. Agora, até você tem um CDzinho do Fala Mansa no carro.
-Ah … mas aí não conta …
-Só porque você conhceu a Ritinha lá no KVA …
-Hehehe … é verdade …
-Isso pra não falar na música eletrônica. Vocês falavam que era bate-estaca, coisa de doente. Aliás, vi um especial sobre Jazz um dia desses. E falavam exatamente essas coisas do Jazz, nos anos 60…
-Hihihihi …
-E pra não dizer da grande invasão…
-Hahahaha!
-O que foi ?!
-Ai, ai … a Ritinha … nem me fale dela ! Não me lembrava que tinha conhecido a Ritinha num forró.
-Como não ?! Um avião daqueles, e você nem pra lembrar como a conquistou …
-Sabe como é, né ? O Pelé não pensava quando fazia uma jogada genial … simplesmente fazia.
-Porra ! Eu me mato pra saber tudo de música, prevendo todas as tendências que a mulherada vai curtir, só pra ter xaveco, e você …
-Olha cara, eu não preciso estudar milhares de assuntos pra impressionar uma garota, numa balada. Tudo depende do meu carisma.
-Sei não, ainda acho que saber sobre vários assuntos torna um xaveco muito mais interessante.
-Que nada, o papo é o que menos importa no xaveco, a postura é bem mais importante …

E assim continuaram debatendo sobre o jogo da sedução, esses dois velhos amigos, por toda a madrugada.

Moral da história: Querendo ou não, homens solteiros sempre acabam o fim da noite falando invariavelmente de uma única coisa: mulher.

Compartilhe!

4 Comentários on "Moral da História"

  • Dani diz

    Falam muito e agem pouco. Tsc, tsc.

  • Ralf Firman diz

    hehehe…espetacular…

    AGEM POUCO O &%$#@*&&¨%&*%…

  • paulo roberto vasconcellos diz

    A moda musical é curiosa. É engraçado pensar que o Tim Maia e o Djavam eram considerados os maiores bregas do mundo e agora são idolatrados pela galera descolada.

    Quanto a moral de história, perfeita. Se fala mais, se fala menos; se age pouco ou muito; o assunto sempre acaba em mulher. Ou futebol.

  • Carol Elizabeth Conway diz

    Adorei sua crônica! No mundo feminino, o roteiro se projeta de forma idêntica…Mulheres solteiras sempre acabam a noite falando de homens, ou moda.Já que não se pode estar com eles… e o shopping tá fechado… E como já diria a música do Capital Inicial, que aliás se encaixa perfeitamente na sua descrição passado-presente : ” porque as noites são, todas iguais.. “

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *