De volta para o passado

-Bom dia!
-Bom dia.
-Você é o Ricardo Casale Laganaro, né ?
-Sou.
-Prazer em conhecê-lo.
-O prazer é meu, mas quem é você ?
-Eu ? Melhor você não saber.
-Como assim, claro que quero saber, como você sabe quem sou eu, assim, sem nunca ter me visto ?
-Tem certeza ?
-Claro, pode falar.
-Bom, vamos lá … Eu sou você amanhã. Quer dizer daqui algumas décadas.
-Heim ?!
-É isso mesmo.
-Ah, tá bom então ! Você poderia me provar isso ? Não que eu esteja duvidando, mas só por curiosidade.
-Você quer que eu te diga como foi aquele dia em que você chutou a bola bem no meio na porta de vidro da 2º casa de Vinhedo e rezou para aquela porcaria não quebrar senão o papai ia ficar uma fera.
-Caramba, como você sabe disso, só estava eu e o …
-O Otávio, mas ele não lembra disso.
-Peraí ! Mas por que você se lembrou de uma passagem tão imbecil como esta ?
-Justamente por ela ser imbecil é que eu lembrei, se fosse algo importante, você poderia dizer que todo mundo sabe disso.
-Hmm, sei não …
-Então você quer que eu te diga que você odeia que te digam o caminho no trânsito, principalmente quando já você sabe o caminho.
-Mas eu …
-Que você comeu no McDonald’s ontem ?
-Heim …
-Que você sempre foi péssimo de cambalhota ?
-Pior que é verdade …
-Então, quer conversar ?
-Eu não !
-Por quê ?
-Tou com medo.
-Hehe, então você vai acreditar ou quer que eu diga todos os seus podres nessa crônica.
-NÃO ! Mas se você é eu, ou melhor se você sou eu, quer dizer … bom, você entendeu, você tá falando de você mesmo, né ?
-Óóó, pelo que eu me lembre, eu era mais inteligente quando era jovem.
-Também não precisa pegar pesado né … né …. hmm, Ricardo.
-Até que enfim !
-Se você sou eu e você está aqui, quer dizer que eu vou viver até ser você, certo ?
-Acho que sim.
-Como assim ? Você não sabe ?!
-Claro que não. O seu futuro é você quem faz.
-Mas então o que você está fazendo aqui ?
-Sei lá ! Foi você quem começou essa crônica, eu tava tranquilo no seu futuro e você me chamou aqui.
-Bom então acho que não posso fazer nada.
-Muito menos eu, mas você pode.
-O quê ?
-O seu futuro !
-Para ficar assim ?!
-É ! Ou não …
-Ahh, tá bom então, depois a gente vê.
-Você sempre diz isso !
-Você sempre dizia !
-É verdade.
-Só uma pergunta ?
-Não vale perguntar o que vai te acontecer, é so lembrar do “De Volta Para o Futuro”. E a gente adora esse filme.
-Ok, Dr Brown. Se o meu presente é o seu passado, e o seu presente é o meu futuro, o que estamos vivendo agora é a sua volta ao passado, ou a minha ida ao futuro ?
-Como?!
-Eu estou presente no meu futuro, ou o futuro é quem esta presente no meu presente e no seu passado ?
-Você é louco, Ricardo.
-Como assim, eu sou você ontem !
-Por isso mesmo que eu tou falando, eu me lembro muito bem …
-De mim ?
-Ahh, esquece, você ainda é muito novo para entender isso.
-Eii ! Volta, peraí ! Eu tava brincando !
-Tchau, tchau, te vejo no futuro, ou melhor, nos encontramos lá !
-Me ajuda, que faculdade que eu vou trancar no ano que vem ?! Eu vou trabalhar com internet mesmo pro resto da vida?! Eii, volta aqui !! Volta, por favor ! Ricardo ! Droga …

Compartilhe!

3 Comentários on "De volta para o passado"

  • marcia diz

    eu tenho a vida má e gostava quando vai acabar… e tambem gostava saber se vou ser verterinária….

  • Pamela diz

    A D O R E I

  • Sandra diz

    Legal, adoro crônicas!

    E essa é melhor ainda!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *